Criador do melhor jogo de 2021 diz que prefere levar tiro a implementar NFT em seus jogos

Opinião do produtor de It Takes Two.

Personagens do jogo vencedor de prêmio do ano em 2021 produzido pela EA, It Takes Two
Personagens do jogo vencedor de prêmio do ano em 2021 produzido pela EA, It Takes Two /Reprodução

Apesar da popularização dos jogos com NFT, nem todos estão animados. Josef Fares, criador do It Takes Two que venceu o prêmio de Jogo do Ano no The Game Awards (TGA) 2021, afirmou que “prefere levar um tiro no joelho” do que colocar NFTs em seus jogos.

Esta não é a primeira declaração polêmica de Fares, em 2017, durante outro evento TGA. Na ocasião Fares soltou um “F***-se o Oscar“, mostrando seu descontentamento com tais premiações com o Oscar e o próprio The Game Awards.

Fares também destaca que os NFTs podem ser incluídos em alguns jogos, porém não nos seus, devido ao seu estilo. Ou seja, embora seja uma tecnologia boa, é preciso saber quando e onde usá-la, caso contrário o jogador não terá nenhuma diversão.

Tiro no joelho ou NFT?

O ponto curioso desta história é que o jogo de Josef Fares foi publicado pela Electronic Arts (EA), empresa famosa e muito criticada por incluir micro transações, como loot boxes, em seus jogos.

Apesar disso, It Takes Two não contém nenhum desses elementos e foi justamente este jogo que fez com que a EA voltasse a ganhar o prêmio de jogo do ano, ao lado da desenvolvedora Hazelight Studios. A última vez que a EA havia ganho este prêmio foi há 7 anos, com o jogo “Dragon Age: Inquisitoin”.

Dito isto, é preciso dar ouvidos a Fares. Afinal não é nenhuma pessoa qualquer que convence a EA a abandonar práticas consumistas e ainda consegue ganhar o maior prêmio do setor de jogos. Além disso, o jogo está com 96% de avaliações positivas na Steam.

“Deixe-me dizer uma coisa: qualquer decisão que você tome em um jogo, onde você tem que ajustar o design para fazer o jogador pagar ou fazer algo que o faça querer que ele gaste dinheiro, isso está errado.”

Indo além, Fares também afirmou que a opinião de CEOs são diferentes, afinal eles só querem ganhar dinheiro embora, para Fares, jogar seja uma arte. Por fim, o criador de It Takes Two também afirmou que “prefere levar um tiro no joelho” do que colocar NFT em seus jogos.

A fala do produtor foi feita em entrevista ao The Washington Post nos últimos dias.

Golpes e jogos feios

Mesmo que os NFTs sejam uma tecnologia que possam ter bastante uso na indústria, criando economias reais em jogos como do metaverso, também é preciso destacar os lados negativos.

O primeiro deles são os golpes que já preocupam a comunidade, afinal a cada dia novos jogos play to earn (P2E) estão roubando seus usuários que não buscam diversão e sim dinheiro fácil.

Além disso, também vale destacar que muitos desses jogos são tão chatos, e feios, que são mais maçantes do que um trabalho comum. Ou seja, nem todos vão lhe fornecer diversão, especialmente quando você precisa fazer investimentos iniciais.

Com isso, não podemos dizer que Fares está totalmente errado em sua declaração, afinal os NFTs não foram feitos para todos os jogos e em muitos casos mais atrapalham do que ajudam.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias