Criptomoeda sustentável impulsiona projeto de reciclagem e aquece economia no interior paulista

Desenvolvida pela startup Ecochain, a criptomoeda sustentável recompensa os moradores que contribuem com a coleta seletiva de materiais recicláveis.

Siga no
(Foto: Pixabay)

A 320 km de São Paulo, a cidade de Santa Cruz da Esperança chama a atenção por ser um dos menores municípios do Brasil. Mas não só por isso. Nos últimos meses, a cidade, que conta com uma população estimada em 2.124 habitantes, vem ganhando projeção por conta de um projeto de coleta seletiva que recompensa os moradores de um jeito diferente e disruptivo: por meio da criptomoeda ECOs.

De acordo com o Portal Draft, a iniciativa, desenvolvida pela startup Ecochain, é um aperfeiçoamento do projeto Moeda Verde, que desde de 2017 recompensa com um vale-compras os moradores que entregam materiais recicláveis, como alumínio e papelão, nos locais de coleta seletiva.

Na ideia original, todo o material recolhido pela população era revertido em uma “Moeda Verde”, similar as antigas notas de R$1, que permitia a compra de mercadorias no comércio da cidade. No entanto, o projeto acontecia de forma inteiramente analógica.

Cupom original da “Moeda Verde”, utilizado para aquisição de mercadorias no comércio local.

A iniciativa do pequeno município chamou a atenção da startup, que enxergou o cenário ideal para aplicar um projeto piloto de sustentabilidade por meio da inovação blockchain, além de promover a inclusão social e geração de renda para os voluntários. Como explica Marcelo Miranda, um dos sócios da Ecochain:

“Quando soubemos do programa da Prefeitura de Santa Cruz da Esperança, pensamos que seria um case interessante para um piloto, caso a gente conseguisse trocar, para a tecnologia blockchain, algo que era feito com um pedaço de papel”.

Criptomoeda sustentável

 A criação da Ecochain é o resultado da junção de forças das empresas de solução e inovação tecnológica Ti2Ci e LF1, juntamente com a exchange FlowBTC. Ao unir as expertises de cada negócio, os sócios viram na blockchain um caminho para promover a inclusão social e resolver um problema antigo no país: o descarte inadequado do lixo.

De acordo com estudo realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, Abrelp, apenas em 2017, foram gerados 78,4 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos. Já o índice nacional de reciclagem não passa de 3,7%, segundo pesquisa do Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana, Selurb, e reportada pela Revista Galileu.

No modelo da Ecochain, os moradores voluntários precisam cadastrar o nome e CPF no site da startup para ter direito a uma carteira digital, meio pelo qual receberá os créditos das coletas. Então, Os tokens ECOs podem ser verificados a partir de um dispositivo móvel ou por meio de um QR Code, que permite a troca da criptomoeda, por itens de cesta básica ou de materiais escolares, no comércio da região.

Expansão

O projeto piloto, que cadastrou 20 famílias e teve início em novembro de 2018, se encerra agora em maio, conforme explica a equipe da Ecochain. Após implementação e acompanhamento inicial, a startup passou o bastão das operações do dia a dia para a prefeitura.

A Ecochain estima que a coleta de resíduos sólidos domésticos do pequeno município possa alcançar até 2 toneladas por mês. E prevê, já para 2020, uma receita de R$ 4 milhões, gerada a partir das porcentagens pagas por resíduos coletados. De acordo com Marcelo, os sócios já investiram em torno de R$ 500 mil na startup, valor este que foi dividido entre as empresas que formam a joint venture.

Finalizada essa fase de testes em Santa Cruz da Esperança, a Ecochain planeja expandir o modelo para outras localidades no interior de São Paulo. Como revela Marcelo, 40 cidades já demonstraram interesse pela iniciativa, acrescentando que uma das vantagens da solução Ecochain para as prefeituras é o baixo custo operacional.

Leia mais sobre:
Camila Marinho
Camila Marinho
Camila Marinho é jornalista, com passagem por jornais impressos e outros portais com foco em criptomoedas. Acredita que a tecnologia blockchain é como o fogo dado por Prometeu à humanidade. Cresceu sob o sol da Bahia e hoje vive no frenesi do centro de São Paulo.
PayPal Laranja

Usuário é banido do PayPal após fazer trade com Bitcoin

Usuários do PayPal que pretendem usar o serviço da empresa para fazer trade com criptomoedas com alta frequência devem ficar atentos, pois isso pode...
Criptomoeda do Facebook Libra pronta

Criptomoeda Libra do Facebook está pronta para ser lançada

A criptomoeda Libra, que tem como um dos criadores o Facebook, está pronta para seu lançamento. Segundo fontes envolvidas com o projeto, nos próximos...
Criptomoeda Bitcoin (BTC) maior cotação da história

Qual é a maior cotação do bitcoin? No Brasil recorde mudou

Muitos se perguntam qual a maior cotação da história do Bitcoin, que recentemente quebrou várias barreiras em muitos países. Se procura pela resposta rápida,...

Últimas notícias

Criptomoeda Libra do Facebook está pronta para ser lançada

A criptomoeda Libra, que tem como um dos criadores o Facebook, está pronta para seu lançamento. Segundo fontes envolvidas com o projeto, nos próximos...

Qual é a maior cotação do bitcoin? No Brasil recorde mudou

Muitos se perguntam qual a maior cotação da história do Bitcoin, que recentemente quebrou várias barreiras em muitos países. Se procura pela resposta rápida,...

MP faz levantamento sobre Bitcoin no Brasil a pedido do Cade

O Ministério Público (MP) fez uma levantamento sobre o caso dos bancos brasileiros atuarem contra empresas cripto, o pedido de inquérito foi aberto pelo...