Cubanos utilizam bitcoin para sobreviver em meio à crise

Além de bitcoin, USDT, Tron, Litecoin e Bitcoin Cash são outras criptomoedas utilizadas

Siga no
Protesto em Cuba
Protesto em Cuba

Vivendo um período sombrio de crise econômica e aumento dos casos de COVID-19, os cidadãos cubanos estão recorrendo ao uso de criptomoedas para sobreviver.

Atualmente Cuba está passando por uma crise que assola o país. De acordo com a Coindesk, depois do aumento de casos de COVID-19, que chegou a registrar mais de 6 mil casos positivos em 9 de julho – a população cubana saiu em protesto pela liberdade e para demonstrar insatisfação com a situação econômica em que vive a Ilha.

Os gritos eram por mais liberdade, social e econômica, e pelo fim do regime comunista, que impera em Cuba e tem causado pobreza, fome e desinformação, já que recentemente a Internet dos cubanos foi cortada, situação que dificultou, de certa forma, as transações com criptomoedas.

Bitcoin como salvação

Diante da situação atual do país, uma empresária local decidiu se juntar ao YouTuber cubano Frank el Makina, um influenciador de criptos.

Os três iniciaram uma mobilização para arrecadar doações em prol dos cubanos necessitados.

Com isso, García Cruz, que lidera projetos como o BitRemesas e QvaPay, dois empreendimentos que buscam facilitar o fluxo de remessas e a coleta em dólares pelos cubanos usando criptomoedas, criou uma conta no QvaPay para receber doações.

A iniciativa permite que os cubanos possam receber dinheiro de forma rápida e fácil. Doações com dinheiro fiduciário também foram realizadas, porém a quantidade em criptomoedas foi maior.

O caso Venezuela

Cuba não é o único país do mundo que tem utilizado criptomoedas para tentar fugir das crises econômicas.

Embora tenhamos recentemente o famoso caso de El Salvador como sendo o primeiro país do mundo a adotar bitcoin como moeda de curso legal, a Venezuela é um caso conhecido e antigo.

Sendo o 3º país do mundo com maior adoção de criptomoedas, a Venezuela vive uma grande crise gerada pela hiperinflação. Com isso, uma nova cripto está em circulação desde março no país, a moeda digital chamada Reserve.

Bitcoin é um dinheiro melhor

Cada vez mais é possível perceber como os governos e estados controlam as nossas vidas por meio da economia.

É o que está acontecendo em países como Cuba e Venezuela. Onde a desvalorização da moeda causa não somente perda do poder de compra, como afeta vertiginosamente a qualidade de vida dos indivíduos e a sua liberdade individual.

Por isso o bitcoin é um dinheiro melhor, pois é completamente escasso e seguro. Um sistema de dinheiro para as pessoas. Não é de nenhum governo ou corporação.

O bitcoin não pode ser desvalorizado ou censurado, muito menos barrado por qualquer estado ou país.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Eduarda Lobatohttp://eduarda.substack.com
Libertária e entusiasta de Bitcoin, Blockchain e outras tecnologias relacionadas ao mundo cripto.
Jordan Belfort, o Lobo de Wall Street

“Regulamentação vai fazer Bitcoin disparar”, diz Lobo de Wall Street

Jordan Belfort, mais conhecido como "O Lobo de Wall Street", falou em uma recente entrevista sobre a importância da regulamentação do mercado de criptomoedas. Mas...
Senadora Democrata Elizabeth Warren

Senadora dos EUA compara Bitcoin a óleo de cobra

A Senadora Democrata Elizabeth Warren, falou em uma recente entrevista à CNBC que não é contra as pessoas serem livres para investir em Bitcoin,...
Casa a venda por Bitcoin negócio imobiliário

Bitcoin vira garantia em negócio para crédito imobiliário pela primeira vez

Ao tentar obter um crédito imobiliário um credor de uma negociação comprovou ter Bitcoin e conseguiu ter seu financiamento aprovado. Muitas pessoas quando vão ao...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias