CVM habilita QR Capital, fintech especializada em criptomoedas, como gestora de recursos

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) habilitou a QR Capital, fintech brasileira especializada em serviços de corretagem e gestão de ativos digitais, a prestar serviços de administração de carteira de valores mobiliários. A autorização foi publicada na semana passada.

Com o aval do órgão regulador, a empresa anunciou que pretende expandir a distribuição de seus fundos de investimento com foco em blockchain a partir do ano que vem.

De acordo com a fintech, que também é dona de parte da Foxbit – uma das maiores corretoras de ativos digitais do Brasil -, a estimativa é que esses novos fundos cheguem ao final de 2020 com um patrimônio líquido de R$ 250 milhões, incluindo captação e rendimentos.

“Com a habilitação, estamos avançando na formatação dos fundos, que buscam criar um veículo seguro para que o investidor possa capturar as principais oportunidades deste mercado”, disse Fernando Carvalho, sócio da QR Capital, em comunicado divulgado à imprensa.

Carvalho não informou outros detalhes sobre os novos produtos que vão ser oferecidos pela empresa, mas disse que serão “inovadores dentro do cenário financeiro brasileiro”.

Aval do órgão é um reconhecimento dos players sérios, diz head

O head de gestão da fintech, Theodoro Fleury, disse que a autorização da CVM é um reconhecimento às boas práticas da empresa e aos players sérios que atuam no mercado de criptomoedas.

“A habilitação nos dá a chancela de um regulador de peso, que é a CVM. Ela sinaliza, com isso, que o mercado tem players sérios para oferecer formalmente aos investidores produtos ligados a indústria de blockchain”.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).

Últimas notícias