CVM faz parceria com UFPR para fomentar tecnologia Blockchain

O convênio irá resultar em ações como produtos educacionais, eventos, palestras, cursos, estudos e pesquisas.

Siga no

Junto com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) irá atuar, por meio de uma parceria, para ajudar no desenvolvimento tecnológico da instituição.

O acordo de cooperação envolverá várias ações, como o estímulo à produção acadêmica sobre inovações financeiras no país. Neste sentido, o uso de novas tecnologias, e as mudanças nas relações de bancos e pessoas com ativos tradicionais e digitais serão alguns temas.

O trabalho será realizado pelo Grupo de Pesquisa Inovação e Competitividade do Departamento de Administração Geral e Aplicada (GPITEC) da UFPR.

A expectativa para a CVM, de acordo com o chefe de assessoria de análise e gestão de riscos, Bruno Luna, é bastante positiva.

Ele afirma que a uma das prioridades da produção acadêmica será o enfoque em aspectos legislativos do Brasil e outros países. O objetivo será entender as normas tecnológicas em cada território.

Além disso, Bruno destaca também que enquanto o acordo estiver em vigor, a CVM irá fornecer pautas de interesse mútuo para a UFPR.

Assim, será possível obter dados quantitativos que poderão ajudar no desenvolvimento de ações futuras da comissão. O convênio também irá resultar em ações como produtos educacionais, eventos, palestras, cursos, estudos e pesquisas.

Blockchain e criptomoedas também serão destaque

A parceria entre a comissão e a universidade também dará enfoque a alguns temas referentes ao criptomercado.

Entre eles está o uso da tecnologia blockchain e os criptoativos, cada vez mais importantes e utilizados no país e no mundo.

O presidente da CMV, Marcelo Barbosa, um dos principais objetivos é engajar a academia a temas ligados ao mercado em geral. Ele afirma que os estudos ligados a inovação também serão de grande importância, principalmente pela promoção e propagação destes conhecimentos.

O diretor do Setor de Ciências Sociais Aplicadas da UFPR, Dr. Marcos Wagner da Fonseca, afirma que a parceria é de extrema importância para criar novos conhecimentos sobre o tema.

Assim, para ele os resultados destes estudos permitirão que tanto o mercado quanto a sociedade possam receber informações a seu respeito com maior rapidez e credibilidade.

A parceria foi consolidada por meio do programa Ponte de Inovação, criado pela CVM em 2019.

A ideia é somar esforços com a instituição de ensino para criar ações de interesse conjunto com relação a área econômica.

Desta forma, além de questões ligadas ao criptomercado também serão desenvolvidas ações voltadas para inteligência artificial e ciência de dados, fintechs, análise de impactos regulatórios, produtos financeiros tradicionais e novas tecnologias em finanças.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".
Ethereum RIP

Usuários de Ethereum pagaram R$ 5,5 bilhões em taxas nos últimos 30 dias

Segundo estatísticas apresentadas pelo Token Terminal, os usuários de Ethereum pagaram cerca de 1 bilhão de dólares em taxas nos últimos trinta dias. O...
Bitcoin Bolha. (Imagem: Shutter Stock)

Por que os investidores que previram a crise de 2008 dizem que Bitcoin é...

John Paulson é um famoso investidor e conhecido por ter feito a "melhor negociação do mundo" quando, em 2007, ele ganhou US$ 4 bilhões ao...
Alex Saunders

Influenciador é obrigado devolver R$ 2 milhões em criptomoedas para seguidor que caiu em...

O sucesso das criptomoedas fez com que um grande número de influenciadores surgisse, mesmo que eles tenham pouco conhecimento sobre mercado financeiro. Este foi...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias