DeFi atinge valor de US$ 3 bilhões, novo mega setor ou mais uma bolha?

DeFi permite fazer empréstimo sem a necessidade de um banco.

Siga no
Defi
Defi

As Finanças Descentralizadas (DeFi) aos poucos se torna um dos principais setores em diferentes mercados, chamando a atenção de diversos investidores por ser uma das áreas que mais cresce atualmente. Para se ter uma ideia, o setor de DeFi continha cerca de US$ 2 bilhões há duas semanas, hoje, esse valor já passa dos US$ 3 bilhões.

O DeFi é um mercado muito interessante e promissor para quem acompanha toda a descentralização prometida pela blockchain. Com as aplicações dessa natureza, é possível realizar empréstimos e outros serviços financeiros de forma descentralizada e sem a necessidade de um terceiro.

Ou seja, é possível fazer um empréstimo sem ter que precisar de um banco ou casa de crédito. Tudo é gerado e mantido pelos contratos inteligentes. Para evitar problemas de falta de dinheiro, as aplicações travam diferentes valores em USDT, Bitcoin e Ethereum. É justamente esse número de valor “travado” em aplicações DeFi que atingiu a marca de US$ 3 bilhões, um crescimento surpreendente.

Atualmente, quem brilha no setor do DeFi é o Ethereum, onde a grande maioria das aplicações são construídas. Mas todo esse crescimento levanta a dúvida, é um novo setor promissor ou mais uma bolha?

Crescimento explosivo do DeFi

Conforme apontado pelo Decrypt, o setor de DeFi levou cerca de dois anos e meio para conseguir quebrar a barreira de US$ 1 bilhão travados em contratos inteligentes. Após uma rápida queda, o valor voltou a subir e no dia 7 de julho o valor travado em aplicações DeFi alcançou US$ 2 bilhões pela primeira vez.

Cerca de duas semanas depois, mais US$ 1 bilhão estavam no setor. Esse é um crescimento exponencial e que não demonstra nenhum sinal de que vai parar por enquanto. É bem provável que novos bilhões sejam adicionadas em tempos cada vez mais curtos.

O crescimento começou a ganhar força no mesmo período em que a Compound, o segundo maior aplicativo credor no setor, passou a distribuir o token COMP. O token não só valorizou consideravelmente desde o seu lançamento em junho, como também trouxe uma onda de novos interessados na tecnologia.

Além disso, o token também foi responsável por o que está sendo chamado de “fazenda de rendimento”, onde usam tokens para ganhar mais tokens. E é justamente nesse ponto que levanta a preocupação da possibilidade de tudo não passar de uma bolha.

Quem coloca dinheiro no DeFi, recebe de volta tokens por manter a liquidez da rede. Cada vez mais interessados estão surgindo e pode ser que esse tipo de esquema de renda não tenha como ser mantido.

Em um artigo publicado no Medium, Aleks Larsen, divulgou o que pensa sobre o futuro do DeFi, principalmente em relação a esses esquemas com tokens de incentivo.

“É possível imaginar uma situação onde um protocolo cria um incentivo que – sem nenhuma ação própria – pode levar a comportamentos perigosos em outros protocolos e resultar em liquidações em cascata e perda de grandes valores.”

Claro, como todo setor, assim como aconteceu com o criptomercado após a febra das ICOs, tudo evolui e elimina certos ricos. No entanto, muito dinheiro pode ser perdido no caminho.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Vídeo com Deepfake da Ruja, líder da Onecoin, promete novo golpe com Bitcoin

‘Rainha do Bitcoin’ está de volta? Suposto vídeo de líder é publicado no Youtube

Um vídeo publicado no YouTube afirma que Ruja Ignatova, conhecida como 'Rainha do Bitcoin' está de volta. Ela é líder da Onecoin, um golpe...

A China é para o bitcoin o que a Dilma foi para o movimento...

Há quem acredite que os maiores precursores e catalisadores do movimento libertário no Brasil foram pessoas como Daniel Fraga, Raphael Lima (Ideias Radicais) ou...
Bitcoin dentro de livro criptomoeda blockchain vocabulário

Academia Brasileira de Letras inclui “criptomoeda” em vocabulário atualizado da língua portuguesa

Mais um vocabulário brasileiro adiciona o termo "Criptomoeda", reconhecendo assim na língua portuguesa a palavra que tanto chama atenção dos brasileiros nos últimos anos. No...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias