“Se você pega dinheiro emprestado para comprar bitcoin, você é um idiota”, diz CEO do JPMorgan

“Acho que se você pede dinheiro emprestado para comprar bitcoin, você é um idiota”, disse Jamie Dimon ao Times of India.

Jamie-Dimon
Jamie-Dimon

Jamie Dimon, CEO do JPMorgan, possui uma longa relação com o Bitcoin. Embora o banco tenha começado a trabalhar com a moeda digital este ano devido à demanda de seus clientes, Dimon continua cético em relação a maior criptomoeda.

Em recente conversa com o The Times of India, Dimon comentou sobre o aumento da inflação no mundo inteiro devido à pandemia e também aproveitou para falar sobre o Bitcoin e a sua regulamentação por governos.

O CEO do JPMorgan possui um longo histórico de desconfiança com o bitcoin, apesar disso o banco acabou se convencendo este ano de que não poderiam perder clientes, que buscavam investir na criptomoeda.

JPMorgan, inflação e Bitcoin

Dimon se mostrou preocupado com a flexibilização quantitativa (impressão de dinheiro para comprar títulos) e estímulos fiscais, são “drogas pesadas”, segundo ele. O CEO também lembrou que o crescimento é mais importânte que a inflação, basta que ele seja maior.

Já em relação ao Bitcoin, o CEO do JPMorgan parece ainda não entender que a moeda consegue ser mais de um tipo de ferramenta ao mesmo tempo, ao comentar que não sabe se o Bitcoin é um ativo, uma moeda estrangeira, apenas uma moeda, ou outro.

A única certeza de Dimon é que o governo vai encontrar um jeito de regulamentar o Bitcoin.

“Eu realmente não me importo com bitcoin. Acho que as pessoas perdem muito tempo e fôlego com isso. Mas vai ser regulamentado. Os governos regulam quase tudo. Não sei se é um ativo. Não sei se é câmbio. Não sei se é uma moeda. Não sei se são as leis de valores mobiliários, mas eles vão fazer isso. E isso vai restringi-lo até certo ponto. Mas se isso o elimina, não tenho ideia e pessoalmente não me importo. Não sou um comprador de bitcoin. Acho que se você pede dinheiro emprestado para comprar bitcoin, você é um idiota.” – disse Jamie Dimon.

Apesar disso, Dimon não parece estar preocupado, pelo contrário. Desde 2015 ele acredita que os governos farão algo a respeito do bitcoin, todavia 6 anos se passaram, o Bitcoin cresceu mais de 100 vezes em valor e o governo americano ainda não fez muito a respeito.

Dimon também disse não se importar com o preço, mesmo que ele vá para 400.000 dólares nos próximos cinco anos. Ele também aproveitou para comparar a criptomoeda com a Mania das Tulipas, chamando o Bitcoin de golpe, de forma sutil.

Todos nós sabemos sobre bulbos de tulipas. Todos nós sabemos sobre ações da Internet. A especulação acontece em todos os mercados do mundo, inclusive nos países comunistas. Então, eu não sei porque é que há uma surpresa.” – completou.

Proteção contra a inflação

Embora o CEO do JPMorgan pareça preocupado com a inflação, ele está ignorando a melhor proteção contra ela, o Bitcoin. Ao contrário das moedas de curso forçado do governo, a emissão de BTC é linear e sem surpresas. Além disso, o seu preço não influencia a sua velocidade de mineração, como acontece com o ouro.

Neste ponto, parece que o único plano de Jamie Dimon é querer estar certo, recusando-se a mudar de opinião em relação ao Bitcoin. Apesar disso, sua longa espera por ações do governo para barrar o BTC parece ter dado passos apenas na China, outros países, como os EUA, ainda estão preferindo a liberdade.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias