Dogecoin é centralizada e pode sofrer ataque 51%, alerta CoinMetrics

Para o especialista da CoinMetrics, Lucas Nuzzi,  a falta de maturidade e seriedade da Dogecoin deve ser vista por investidores como um alerta: "Não coloque seu dinheiro em um meme", disse ele.

Siga no

Após promover a Dogecoin várias vezes no Twitter, o CEO da Tesla, Elon Musk, encontrou um sério problema na criptomoeda e reclamou que um pequeno grupo de baleias controlam a maior parte das DOGEs que existem.

A empresa de análises CoinMetrics publicou um relatório concordando com a afirmação de Musk e revelou outro problema da moeda digital.

De acordo com a empresa, apenas 100 carteiras são responsáveis por quase 70% de todas criptomoedas DOGE, o que significa que os tuítes de Elon musk beneficiam um pequeno grupo de baleias.

100 carteiras são responsáveis por quase 70% de todas criptomoedas DOGE
100 carteiras são responsáveis por quase 70% de todas criptomoedas DOGE

Elon Musk parece ter tomado conhecimento da situação e publicou no Twitter que a concentração da Doge é um problema grave, pedindo que as baleias abram mão de suas moedas, caso contrário, ele não apoiará mais a moeda..

“Se os principais detentores de Dogecoins venderem a maioria de suas moedas, eles terão meu total apoio”, disse ele no domingo (14).

Respondendo ao tuíte de Musk, um usuário apontou que as baleias terão que considerar o ultimato do bilionário, porque “se obedecerem, a DOGE se tornará a moeda da Internet. Se não fizerem isso, ou trapacearem, distribuindo suas moedas em várias carteiras, eles perderão o apoio de um dos homens mais influentes do mundo. Decisão fácil para as baleias. Façam a coisa certa”, escreveu ele no Twitter.

A Dogecoin, portanto, pode perder o apoio de Elon Musk, e assim, a criptomoeda certamente tende a ter uma desvalorização maciça, já que naturalmente Musk vai promover alguma outra criptomoeda que não esteja centralizada nas mãos de poucas pessoas.

Dogecoin pode sofrer ataque 51%

Para a CoinMetrics, o problema de centralização não é o único na Dogecoin, já que o hash rate da moeda está muito abaixo das máximas históricas, apesar da disparada de preços.

A empresa explica que apesar de o preço da DOGE ter aumentado 1200% no ano, a taxa de hash, ou seja, o poder de mineração da rede cresceu apenas 15%. Isso torna a moeda um alvo para um ataque 51%.

Dogecoin hashrate
Dogecoin hashrate

Se um número suficiente de mineradores se unirem, eles serão capazes de realizar um ataque de 51% na moeda, e assim, escolher quais transações serão processadas na rede.

Quem tiver controle de 51% da rede poderá também reorganizar o histórico de transações e consequentemente gastar várias moedas duas vezes, ação conhecida como gasto duplo.

Para o especialista da CoinMetrics, Lucas Nuzzi,  a falta de maturidade e seriedade da Dogecoin deve ser vista por investidores como um alerta: “Não coloque seu dinheiro em um meme”, disse ele.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.
Tom Brady

Tom Brady adere ao Bitcoin e coloca foto com olhos a laser

A comunidade Bitcoin está alvoraçada com mais um fã da criptomoeda - Tom Brady (43). Ele, que é um famoso esportista, também é marido...
Bitcoin Brasil

Criptomercado está crescendo no Brasil, mas falta regulação

O mercado de criptomoedas está crescendo no Brasil e, em sua grande parte, impulsionado por traders que veem novas oportunidades de surfar nas ondas...
Conheça MAx e Bitcoin, os dois bodes de Mark Zuckeberg

Mark Zuckerberg diz que tem um bode chamado Bitcoin e posta foto no Facebook

Mark Zuckerberg é um nome muito importante no setor de tecnologia, sendo o fundador e atual CEO do Facebook, a maior rede social do...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias