E se o Bitcoin queimasse taxas como o Ethereum?

Além disso, as propostas dos dois projetos são bem diferentes em vários pontos. O Bitcoin possui um modelo de geração de novas moedas que é seguido desde a sua criação. Já o Ethereum não só pode como faz mudanças definidas pelos seus desenvolvedores, como a diminuição da recompensa padrão por bloco e a própria queima de moedas.

Siga no
Bitcoin em chamas
Bitcoin dispara

A recente atualização do Ethereum, através da aprovação do EIP-1559, permitiu que o protocolo queimasse parte das taxas que antes iam parar no bolso dos mineradores. Tal mudança fez com que mais de 460.000 ETH fossem queimados até agora, um montante equivalente a 9 bilhões de reais.

A queima destas moedas representa uma diminuição de sua oferta total, permitindo que a moeda torne-se desinflacionaria em períodos onde esta queima é superior aos atuais 2 ETH emitidos por bloco.

Falando em preço, caso a demanda continue a mesma e a oferta diminua, o valor da moeda cresce. Seria possível ou interessante implementar tal função no Bitcoin?

Taxas de transação do Bitcoin e do Ethereum

Primeiramente, vale lembrar que o Bitcoin não queimaria tantas moedas quanto o Ethereum. Hoje o total de taxas pagas no Ethereum estão 50 vezes maiores que as do Bitcoin nos últimos meses.

Média mensal das taxas de Bitcoin e Ethereum. Fonte: CoinMetrics

Visto isso, caso o Bitcoin tivesse queimado as taxas durante o mesmo período, este valor seria próximo a 180 milhões de reais, ou 600 bitcoins.

Neste mesmo período, entre a aprovação do EIP-1559 e agora, o Bitcoin criou mais de 9.500 novos blocos, resultando na entrada de mais de 59.000 BTC. Fazendo com que 600 BTC tornem-se uma quantia irrisória para a rede como um todo.

Diferenças na geração de novas moedas

Além disso, as propostas dos dois projetos são bem diferentes em vários pontos. O Bitcoin possui um modelo de geração de novas moedas que é seguido desde a sua criação. Já o Ethereum não só pode como faz mudanças definidas pelos seus desenvolvedores, como a diminuição da recompensa padrão por bloco e a própria queima de moedas.

Continuando, uma das grandes diferenças entre as duas moedas é a sua oferta máxima. Enquanto a do Bitcoin é de 21 milhões de moedas, o Ethereum não possui nenhuma.

Este também é um dos motivos pelos quais os investidores preferem o Bitcoin ao Ethereum. Fazendo com que fosse necessário, de certa forma, que o Ethereum encontrasse uma maneira de controlar esta oferta.

Também há os halvings do Bitcoin, que diminuem pela metade a recompensa por bloco a cada ~4 anos, fazem com que as taxas de transação ocupem um papel cada vez mais importante a cada novo ciclo conforme a rede depende do seu hashrate para manter a sua segurança.

Por fim, embora o recurso tenha se provado um sucesso no Ethereum, a queima de BTC não parece ser necessária, interessante ou economicamente benéfica para a rede do Bitcoin.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Henrique Kalashnikov
Há mais de 5 anos trabalhando com criptomoedas, hoje escrevo artigos e notícias para o Livecoins.
Bitcoin em alta. Imagem: ShutterStock

Bitcoin rompe alta histórica e é negociado acima dos 65 mil dólares

Com um mercado otimista em relação a questões regulatórias, o preço do Bitcoin rompeu a sua máxima histórica de 64.895 dólares registrada em abril...

Criptomoeda “promissora e fora do radar” desaparece com R$3 milhões dos investidores

Golpes envolvendo arrecadação de dinheiro e então um abandono do projeto são bem comuns, mas a CryptoEats foi além. A falsa empresa usou influenciadores...

FCA faz alerta para “jovens” que investem em criptomoedas

Segundo relatório publicado pela Autoridade de Conduta Financeira (FCA) do Reino Unido, a maior parte dos jovens faz investimentos arriscados por conta da competição...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias