Elon Musk causa caos no Twitter vendendo selos de verificação

Além do verificado, foi prometido aos usuários a possibilidade de postar vídeos longos, ver 50% menos de propagandas e ter prioridade nas pesquisas (sim, um pouco pay to win.)

Quem acompanhar o Twitter sabe que a plataforma está atualmente uma verdadeira bagunça. O que começou como uma onda de otimismo por muitos com a possibilidade de melhorias na rede social, acabou virando uma onda de memes, piadas e também de perdas para a plataforma que já foi a rainha das redes sociais na internet.

Uma das grandes atualizações do Twitter foi justamente a introdução de uma nova forma de ter o seu perfil verificado, a famosa marquinha azul ao lado do nome, com a possibilidade de pagar para essa verificação.

Após a compra do Twitter por parte do Elon Musk, algumas criptomoedas chegaram a reagir com uma alta, principalmente a Dogecoin. No entanto, o lançamento do perfil verificado acabou criando um certo caos para a rede social.

Por que Elon Musk mudou o selo de verificado?

A primeira pergunta sobre esse caso é tentar entender justamente por que Elon Musk decidiu mudar completamente algo que já estava funcionando. Tudo começou com uma promessa de Musk: Trazer liberdade de expressão para o Twitter.

O problema é que muitos confundiram liberdade de expressão com a total falta de decência e postagens com teor racista e preconceituosos aumentaram nos primeiros dias de Twitter com Musk.

Várias empresas não se sentiram confortáveis com a possibilidade de suas propagandas serem exibidas próximas de postagens que tenham esse tipo de conteúdo. Ao ver que os anunciantes estavam deixando a plataforma em um movimento que Musk chamou de “boicote de ativistas esquerdistas”, o Twitter teve que achar uma nova maneira de ganhar dinheiro: Surgiu então a ideia do selo verificado por US$ 20.

O problema é que a ideia foi criticada por alguns grandes nomes e após ser publicamente criticado por Stephen King, Musk teve que implorar para a validação do seu plano.

– “$20 por mês para manter o meu verificado? Que se fo#$, eles que deveriam me pagar. Se isso acontecer eu vou embora.” 

– Nós precisamos pagar as contas de alguma forma! Twitter não pode contar apenas com os anunciantes. Que tal US$ 8?”

A partir dai, surgiu o plano do Twitter Blue, onde alguém assina um plano de US$ 8 por mês para ter o seu perfil com a marca azul de verificado.

O caos da venda de selos verificados do Twitter

Inicialmente os selos verificados seriam lançados logo após a compra do Twitter, mas após um único dia do lançamento, os planos foram adiados por preocupações com as eleições dos EUA e o quanto os perfis verificados poderiam afetar esse processo através de notícias falsas.

Mas alguns dias depois, finalmente o Twitter Blue chegou e com isso tivemos uma grande melhoria da plataforma, que passou a proporcionar momentos como esse:

É…

A situação do Twitter também rendeu a verificação de alguns outros perfis que anteriormente nunca ganhariam a marca azul, até mesmo por respeito a religiões. Como é o caso do perfil de “Jesus Cristo”.

E não demorou muito para que começassem a surgir as muitas paródias de Elon Musk, falando sobre sua ligação com as minas de esmeraldas na África do Sul, Jeffrey Epstein e várias piadas sobre seus relacionamentos.

Mas mesmo após declarar que “A Comédia voltou a ser legal no Twitter”, todas essas contas de paródias foram suspensas imediatamente, o que fez alguns acharem Musk um pouco hipócrita.

https://twitter.com/chadloder/status/1589650245331587072

Cripto influenciadores

Já em relação a quem parece estar aproveitando mais a possibilidade de ter uma marca azul no Twitter, o Mashable destacou que “uma rápida rolagem pelo feed público do Twitter ao vivo mostrará que a maioria das contas de ‘influenciadores’ de mídia social de cripto, NFT e poucos seguidores parecem estar aproveitando.”

Ter uma conta verificada, principalmente quando você dá opiniões sobre o criptomercado, é algo complicado, já que você pode influenciar diretamente a decisão de alguém investir ou não em algum ativo e causar perdas reais.

Além disso, há a possibilidade de essas contas tentarem se passar por nomes famosos para aplicar golpes. E é justamente ai que temos um novo problema: Mais de 2 selos de verificação.

Twitter anuncia mais de um selo de verificado, causando ainda mais confusão

Para ajudar a mitigar o problema com paródias, contas falsas e outros tipos de problemas foi criado um outro selo, onde aparece, junto da marca azul, um selo que dizia “Oficial”, para alertar que a conta não era uma paródia, e sim a pessoa real que está identificada.

A diferença entre o selo oficial e uma conta sem o selo oficial. Fonte: Gizmodo.

Como é possível ver na imagem acima,o selo parece estar sendo distribuído de forma desigual no momento, com contas como o New York Times não recebendo a marca de verificação, apesar de ter 56 milhões de seguidores.

Por que a discrepância? Seu palpite é tão bom quanto o nosso, mas essa situação deixa claro que Elon Musk não tem ideia do que está fazendo e o Twitter está tão preocupado em resolver isso que não conseguiu entregar nenhuma das outras promessas do Twitter Blue.

As outras promessas do Twitter Blue que ainda não foram cumpridas.

Além do verificado, foi prometido aos usuários a possibilidade de postar vídeos longos, ver 50% menos de propagandas e ter prioridade nas pesquisas (sim, um pouco pay to win.)

Para melhorar, a solução para diferenciar as contas que pagaram e as contas que foram verificadas por serem importantes acabou gerando uma onda de novos memes.

“Se você clicar no selo azul em um perfil vai mostrar se ele foi dado o verificado por ser um usuário notável ou vai mostrar se o babaca pagou pelo Twitter”

Twitter perdendo dinheiro e não descarta falência

Enquanto tudo isso está acontecendo, Musk está tentando controlar a perda de dinheiro da empresa, que está afetando até mesmo a Tesla. Elon Musk realizou uma teleconferência gigante para anunciantes e mais de 100.000 outras pessoas na quarta-feira, como mostrado pelo Vox.

Infelizmente, apesar de se mostrar aberto a opiniões e a dicas, os anunciantes parecem não estar tão animados de voltar para a plataforma. Para quem está dentro do criptomercado, Elon Musk, e a sua atitude muitas vezes infantil, cria um nível de risco que poucas empresas estão prontas para aceitar, como afirmou Lou Paskalis, executivo de marketing.

“Sua conta pessoal no Twitter está introduzindo um nível de risco de reputação que, na minha experiência, a maioria das empresas da Fortune 500 não podem aceitar.”, disse ele ao Vox.

Com o Twitter tendo demitido muitos de seus funcionários, principalmente aqueles que poderiam lidar com essa situação, parece que a crise na plataforma pode continuar por mais tempo.

Curiosamente, nenhum dos sites que está cobrindo os acontecimentos do Twitter conseguiu entrar em contato com a empresa, afinal, não existe mais um departamento de comunicações do Twitter.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias