Elon Musk culpa inflação por “problemas” da Tesla

Homem mais rico do mundo criticou descontrole nos preços.

Elon Musk ao fundo, aplicativo da Tesla na frente
Elon Musk ao fundo, aplicativo da Tesla na frente

O homem mais rico do mundo, Elon Musk criticou a alta inflação nos Estados Unidos após um internauta cobrar dele uma solução em relação à sua empresa Tesla. Nos últimos dias, o banco central dos EUA, o Fed, divulgou os dados medidos nos últimos meses.

Para surpresa de muitos investidores pelo mundo, chamou atenção um índice de inflação em 9,1% nos últimos 12 meses, após acelerar 1,3% em junho, o maior índice dos últimos anos.

Esse fenômeno desgasta o poder de compra da população que utiliza o Dólar, que se deprecia frente a outros produtos.

Elon Musk culpa inflação por preço caro de carros da Tesla

Em busca de proteção para sua empresa, Elon Musk fez a Tesla comprar Bitcoin em 2021, gastando para isso alguns bilhões de dólares. Segundo ele, essa ação seria uma forma de proteger o patrimônio da empresa com um bem intangível.

Sua outra empresa SpaceX também fez o mesmo movimento, com o bilionário revelando que ele também tinha Bitcoin, Ethereum e Dogecoin em seu patrimônio.

Contudo, mesmo com criptomoedas suas empresas sentem o efeito da inflação nos EUA, que segue apavorando os mercados e pressionando famílias.

Após uma publicação em seu Twitter, Elon Musk foi questionado por um jornalista especialista na cobertura de notícias de carros elétricos do DailyCar sobre o alto preço de um Tesla. O jornalista questionou se Musk pretende tomar providências para abaixar os custos após a pandemia ou a crise na logística.

No entanto, a resposta de Elon Musk surpreendeu, visto que ele colocou a culpa na inflação, não na pandemia.

“Se a inflação se acalmar, podemos baixar os preços dos carros.”

FMI diz que governo dos EUA terá que tomar medidas duras para combater inflação

A crise nos Estados Unidos chamou atenção do Fundo Monetário Internacional (FMI), que emitiu nos últimos dias um estudo sobre o tema.

Em um artigo escrito por Andrew Hodge, economista do FMI, ele destaca que as ações do FED para controle da inflação já encareceram a hipoteca nos EUA, mas essa situação deve piorar ainda mais.

A expectativa é que o desemprego aumente nos próximos meses, o que em 2023 causará uma queda nos salários. Sobre os riscos, o economista do FMI acredita que fatores globais ainda devem afetar os EUA, como a guerra entre Rússia e Ucrânia, pandemia e paralisações na China.

Mas caso a inflação dure muito tempo em alta, o FED deverá ter de tomar medidas mais duras e por períodos mais longos, destacou Hodge, o que reduziria o crescimento e aumentaria o desemprego.

“Os desenvolvimentos econômicos dos EUA serão impactados por fatores globais, como a guerra da Rússia com a Ucrânia, a pandemia em andamento e a possível recorrência de paralisações na China. Além disso, quanto mais tempo a inflação permanece alta, maior o risco de que as expectativas de inflação subam, o que então realimenta os salários e os preços. Nesse caso, o Fed precisaria tomar medidas mais fortes para reduzir a inflação, elevando as taxas de juros e mantendo-as mais altas por um período mais longo. Isso reduziria ainda mais o crescimento e levaria a um aumento do desemprego.”

CEO da Binance acredita que inflação já é de 500%, não 9,1%

O chinês CEO da Binance, CZ, discordou da avaliação do FED sobre sua inflação em 9,1%, visto que a base monetária dos EUA cresceu muito nos últimos anos.

Dessa forma, ele disse ser uma mágica a inflação estar em 9,1% e não em 500%, que seria o “valor certo” em sua opinião.

“Se você achava que a inflação deveria ser de 80%, também deveria estar errado. Se a matemática do nosso ensino fundamental fosse ensinada corretamente, deveríamos estar vendo 500% de inflação, não? 80% são novos = 5x do fornecimento original.”

Ou seja, pode demorar um tempo até que os carros da Tesla fiquem mais baratos, visto que Elon Musk acredita que esse cenário influencia o valor de seus veículos elétricos.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias