Empossado por Bolsonaro, novo presidente do Banco Central é defensor da tecnologia blockchain

Com passagens pelo Santander, o novo presidente do BC, Roberto Campos Neto, se mostra um entusiasta da tecnologia blockchain e grande estudioso do bitcoin.

Siga no
(Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro empossou nesta quinta-feira (28) o economista Roberto Campos Neto como novo dirigente do Banco Central (BC). Com ampla experiência na área financeira, Campos Neto é lembrado por ser um estudioso do bitcoin e demais criptomoedas. Dentre suas meta, o novo líder do BC revelou que pretende preparar a autarquia para a modernização por meio de tecnologias como a blockchain.

Com passagens pelo Santander, no qual integrou o grupo responsável pelo desenvolvimento do projeto SuperDigital, um banco 100% online, a nomeação de Campos Neto é vista com entusiasmo pelo ecossistema cripto.

Em carta apresentada ao senado, o novo presidente do Banco Central revelou seu entusiasmo em relação às novas tecnologias:

“Tenho estudado e me dedicado intensamente ao desenho de como será o sistema financeiro do futuro. Participei de estudos sobre blockchain e ativos digitais. Uma das contribuições que espero trazer para o Banco Central é preparar a instituição para o mercado futuro, em que as tecnologias avançam de forma exponencial, gerando transformações mais aceleradas”, ponderou.

Possíveis avanços

Após ter sua indicação aprovada pelo senado, na última terça-feira (26), por 55 votos a favor, 6 contrários e 1 abstenção, Campos Neto substitui Ilan Godfajn na presidência do BC, indicando maior disposição para tratar dos ativos digitais.

Em 2017, momento em que o bitcoin atingiu seu maior valor, ficaram famosos os pronunciamentos de Godfajn ao se referir às criptomoedas como “bolha” e “pirâmide”; bem como os alertas emitidos pelo BC, apontando os riscos e uso de tais ativos em atividades ilegais, como a lavagem de dinheiro.

Por outro lado, Godfajn já chegou a destacar o uso da blockchain para outros fins não relacionado às criptomoedas, e teve a sua gestão marcada pelo forte incentivo ao desenvolvimento das fintechs. Foi sob sua liderança, inclusive, que o Banco Central regulamentou a atividade das plataformas que operam com crédito, conforme destaca o Reuters.

O Banco Central é a entidade responsável por gerir a política econômica do país. Dentre as suas atribuições estão: regular as instituições financeiras, controlar a inflação e assegurar um sistema econômico sólido e eficiente.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Camila Marinho
Camila Marinho é jornalista, com passagem por jornais impressos e outros portais com foco em criptomoedas. Acredita que a tecnologia blockchain é como o fogo dado por Prometeu à humanidade. Cresceu sob o sol da Bahia e hoje vive no frenesi do centro de São Paulo.
Fundador Mercado Livre

Fundador do Mercado Livre investe em corretora de criptomoedas

O fundador e CEO do Mercado Livre, Marcos Galperin, participou de uma rodada Série B de investimentos na fintech Ripio, que captou cerca de...

Meu pai viúvo de 68 anos está enviando bitcoins para uma mulher que conheceu...

As interações em redes sociais sempre devem ser realizadas com atenção, principalmente com desconhecidos. Um tipo de golpe bem comum são os emocionais, em...
Nicholas Nassim Taleb

Nassim Taleb sobre queda do Bitcoin: “Não é proteção contra nada”

Nassim Nicholas Taleb é um famoso economista e autor de livros como A Lógica do Cisne Negro, Antifrágil e Arriscando a Própria Pele. Taleb,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias