Empresa diz conseguir rastrear Monero

Solução foi criada para governo rastrear transações ilícitas com criptomoeda.

Siga no
Criptomoeda Monero
Criptomoeda Monero

Uma empresa que trabalha para alguns governos alega que criou uma ferramenta capaz de rastrear transações realizadas com Monero. Essa criptomoeda tem sido apontada como uma das preferidas para crimes virtuais no mundo hoje.

Criada em 2014, a Monero se declara como uma criptomoeda privada. Isso quer dizer que essa moeda tem foco em transações anônimas, diferente do Bitcoin, que são pseudo-anônimas. Essa característica até é vista em outros projetos, como Dash e Zcash, por exemplo. Mesmo assim, a Monero é o grande destaque na característica.

Com sua popularidade em alta, a Monero é apontada como a criptomoeda da deep web hoje. Utilizada até como pagamento de resgates ransomware, a Monero tem sido alvo de buscas por governos, que querem descobrir a identidade dos usuários dessas moedas. No que depender de sua comunidade, isso será uma tarefa complicada ainda.

Empresa CipherTrace alega ser possível rastrear transações Monero com uma nova ferramenta

Preferência de pessoas que não querem sua identidade revelada, a comunidade Monero sente o vento soprar em sua direção há alguns anos. Como uma criptomoeda privada, a Monero é proibida em vários países, que não permitem transações com criptomoedas privadas.

Mesmo com tais restrições, a moeda ganhou fama e segue sendo comercializada em corretoras pelo mundo. O preço da Monero hoje opera em alta, mesmo sob pressão. Isso porque, na última segunda-feira (31), a empresa CipherTrace alegou ser possível rastrear as transações de Monero.

De acordo com comunicado, a CipherTrace lançou uma nova ferramenta, que foi construída para esse propósito. Dessa forma, governos, policias e provedores de serviços, poderão utilizar essa ferramenta de rastreio. A CipherTrace apontou que essa é a primeira ferramenta capaz de identificar transações com Monero no mundo.

“CipherTrace, empresa líder em inteligência em criptomoedas, desenvolveu ferramentas para o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS) para rastrear transações de moeda de privacidade notoriamente difícil de rastrear Monero (XMR)”

“45% do mercado da darknet usa Monero para transações hoje”, revelou estudo

A CipherTrace estima que 45% das transações da darknet hoje usem Monero como pagamento. A primeira moeda digital preferida ainda seria o Bitcoin, mas havia um interesse em identificar transações com Monero. Com Bitcoin, autoridades já efetuaram prisões de suspeitos, mas com Monero tem sido mais complicado.

De acordo com a CipherTrace, moedas roubadas ou utilizadas para crimes agora serão rastreadas. Segundo o CEO da CipherTrace, Dave Jevans, ainda há muito o que se fazer para melhorar a ferramenta, mas ela já estará em uso pelas autoridades dos EUA, que apoiaram o projeto.

“Nossa equipe de pesquisa e desenvolvimento trabalhou por um ano no desenvolvimento de técnicas para fornecer ferramentas de análise aos investigadores financeiros. Ainda há muito trabalho a ser feito, mas a CipherTrace tem o orgulho de anunciar o primeiro recurso de rastreamento Monero do mundo. Somos gratos pelo apoio da Diretoria de Ciência e Tecnologia do Departamento de Segurança Interna neste projeto”

Desenvolvedores da criptomoeda Monero desconfiam de nova ferramenta

Apesar da comemoração da empresa, alguns desenvolvedores da Monero desconfiam da capacidade de rastrear transações da solução. Para Seth Simmons, um desenvolvedor da comunidade, a CipherTrace não consegue fazer o que declarou.

Para ele, caso a empresa conseguisse realizar esse rastreio ela teria dado provas de sua solução. Seth deixou claro que as poucas informações públicas ainda não garantem que a CipherTrace consegue realmente fazer o que declarou.

“Além disso, consideramos altamente suspeitas quaisquer conclusões de que tais métodos seriam amplamente aplicáveis às transações modernas. Como diz o ditado, o que pode ser reivindicado sem provas pode ser rejeitado sem provas”

A comunidade Monero acompanha atenta o que poderia ser a primeira violação da privacidade da moeda. Além disso, alguns desenvolvedores deixaram claro que continuarão os esforços para manter a Monero privada.

Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

“Nunca emprestamos dinheiro para a Singu”, diz BitcoinTrade em caso da Natura e Tallis...

A Natura é uma das empresas mais conceituadas do Brasil e um investimento considerado seguro por muita gente. Como qualquer outra ação, os títulos...

Coluna do TradingView: Bitcoin e a briga de compradores e vendedores

Bitcoin chegou no topo e já ensaiou um rompimento, mas falhou. O preço está brigado no topo e se romper pode ser um estouro....

Visa vai conectar sua rede de pagamentos a criptomoeda

A Visa, uma das maiores processadoras de pagamentos do mundo anunciou nesta quarta-feira (2) que vai integrar o seu sistema de pagamento com o...

Últimas notícias

Coluna do TradingView: Bitcoin e a briga de compradores e vendedores

Bitcoin chegou no topo e já ensaiou um rompimento, mas falhou. O preço está brigado no topo e se romper pode ser um estouro....

Visa vai conectar sua rede de pagamentos a criptomoeda

A Visa, uma das maiores processadoras de pagamentos do mundo anunciou nesta quarta-feira (2) que vai integrar o seu sistema de pagamento com o...

Visa lança cartão de crédito com cashback em bitcoin

Agora você pode receber 1.5% de cashback em bitcoin por compras efetuadas por meio de um novo cartão de crédito lançado pela Visa em...