Espanhóis serão obrigados a declarar posse de Bitcoin

O governo da Espanha aprovou uma nova lei que limita o pagamento com dinheiro em espécie a apenas 1.000 euros. Além disso, os cidadãos que possuem criptomoedas terão a obrigação de informar o governo sobre suas posses.

Siga no

O governo da Espanha aprovou um novo projeto de lei que exigirá que cidadãos declarem seus bitcoins para a Receita Federal. Além de aumentar o controle em cima das criptomoedas, o novo projeto de lei também limita os pagamentos realizados em dinheiro vivo.

De acordo com a ministra da Fazenda Maria Jesus Montero, o novo projeto de lei tem como principal objetivo prevenir sonegação fiscal. A regulamentação de criptomoedas na Espanha ainda não é completamente esclarecida, mas desde 2018 o país vem tentando encontrar maneiras de fiscalizar os ativos digitais com muito mais rigor.

Cidadãos do país que possuem criptomoedas vão ser obrigados a informar para o governo sobre quantas moedas digitais eles têm e quais os seus ganhos. A lei também vai exigir que transações feitas fora do país, mas que afetem os contribuintes espanhóis, sejam declaradas para a Receita Federal.

Segundo Montero, caso a lei seja aprovada nas próximas fazes “Se fará obrigatório que pessoas e empresas informe a Agência Tributária sobre essas operações, até mesmo aqueles com moeda no exterior.”

Os investidores deverão declarar seus Bitcoins através da declaração anual de bens, também conhecida como formulário 720.

A Ministra também informou que enfrentar os sonegadores de impostos é uma das principais prioridades do governo, e que a Receita Federal planeja usar “tolerância zero” contra qualquer prática fraudulenta.

Para brigar com a sonegação de imposto e a corrupção o novo projeto de lei vai limitar a quantidade permitida para pagamentos em dinheiro em espécie. Assim que a lei for aprovada e entrar em vigor, o limite de pagamentos em dinheiro caíra de 2.500 euros para 1.000 euros por transação.

A Fazenda também ampliará a lista de paraísos fiscais com base equidade fiscal e na transparência de cada região. As autoridades também vão aumentar o rigor de vigilância para aqueles que devem mais de 600 mil euros ao governo, o limite atual é de 1 milhão de euros.

Com isso a Espanha se une a uma série de países que estão tentando cada vez mais fechar o cerco nas transações de Bitcoin, com alguns países até buscando maneiras de rastrear as criptomoedas com foco em privacidade. No entanto, o criptomercado continua se mostrando resiliente, apesar de uma grande taxa de aceitação dessas novas regras por parte dos investidores.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Criptomoedas mais populares atualmente são de jogos

De acordo com medidores de popularidade de criptomoedas, uma nova tendência parece estar começando dentro do mercado de criptomoedas: a popularização dos ativos ligadas...

Sob pressão regulatória, maior corretora de Bitcoin do mundo decide limitar saques de novos...

A Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, sempre teve uma postura não muito rígida em relação as regras de KYC (identificação de clientes)...
Movimentos de baleias em gráfico do Bitcoin

Baleias compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas

Um recente estudo publicado pela Santiment revelou que as baleias (grandes detentores) compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas, avaliados em cerca de...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias