EUA mandam políticos devolverem doações que receberam de corretora de criptomoedas

A notícia sobre a devolução de fundos surge meses depois que alguns legisladores anunciaram que estavam doando as contribuições políticas que receberam da corretora agora falida e de seu fundador.

Em uma reviravolta digna de cinema, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) enviou cartas a políticos pedindo-lhes que devolvam fundos recebidos da falida exchange de criptomoedas FTX. Segundo informações divulgadas, pelo menos algumas campanhas do Congresso cumpriram a solicitação e já devolveram o dinheiro.

Uma das campanhas que receberam o contato do DOJ foi a do deputado Bob Latta, republicano de Ohio. No início deste ano, o departamento entrou em contato com Latta sobre as doações da FTX, bem como de suas subsidiárias e funcionários individuais.

Ryan Salame, ex-presidente-executivo da FTX Global Markets, doou dinheiro para a campanha de Latta em outubro de 2022. De acordo com dados da Comissão Eleitoral Federal, Salame doou quase US$ 23 milhões para candidatos durante o ciclo eleitoral de meio de mandato de 2022, com quase todas as doações destinadas aos republicanos.

A equipe da campanha de Latta confirmou que transferiu voluntariamente os fundos assim que recebeu o aviso do Departamento de Justiça.

Políticos são obrigados a devolver doações da FTX

Outros políticos, como Marc Molinaro e Elise Stefanik, de Nova York, e Brian Fitzpatrick, da Pensilvânia, também devolveram fundos recebidos pela FTX, e o dinheiro agora está congelado nas contas do Departamento de Justiça.

“Os fundos foram transferidos para que as pessoas que foram enganadas pudessem receber alguma compensação por suas perdas”, disse o escritório da deputada Lori Chavez-DeRemer, que também recebeu dinheiro da FTX.

Em fevereiro, a FTX enviou cartas a políticos exigindo a devolução de dezenas de milhões de dólares que receberam da exchange de criptomoedas como doações.

Segundo relatos da mídia americana, o valor gira em torno de US $ 93 milhões, mas há políticos que disseram já ter repassado doações para instituições de caridade. Em resposta, os responsáveis pelo processo de falência da FTX avisaram que os advogados fariam de tudo para receber os fundos.

Enquanto isso, o fundador da FTX, Sam Bankman-Fried (SBF), entrou com uma moção para rejeitar 10 das 13 acusações, incluindo fraude, conluio e suborno de autoridades estrangeiras. A promotoria deve responder à petição de Bankman-Fried antes do final do mês.

A notícia sobre a devolução de fundos surge meses depois que alguns legisladores anunciaram que estavam doando as contribuições políticas que receberam da corretora agora falida e de seu fundador.

O senador Dick Durbin, democrata de Illinois, e o deputado Jesús “Chuy” García, democrata de Illinois, revelaram em novembro que devolveriam os valores que cada um recebeu de SBF.

O deputado Ritchie Torres, democrata de Nova York, divulgou que já havia doado suas contribuições para uma instituição de caridade local, a fim de ajudar na distribuição de alimentos para famílias necessitadas.

No entanto, vale ressaltar que as instituições de caridade não estão isentas de possíveis acusações, conforme observado por Jason Lilien, sócio da Loeb and Loeb.

Embora os fundos devolvidos e recuperados normalmente sejam direcionados para o reembolso de clientes, vítimas e credores, o status desses esforços mais amplos não ficou imediatamente claro. Isso também inclui o destino das doações políticas feitas por Bankman-Fried diretamente para instituições de caridade e organizações sem fins lucrativos.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias

Últimas notícias