EUA prende membro de um dos maiores grupos de hackers do mundo

O grupo pode ter hackeado a Netflix em 2017, vazando uma temporada de uma série como forma de ameaça e também comprometeu hospitais e outras empresas de grande porte.

Siga no

Nathan Wyatt, membro de um grupo de cibercriminosos que extorquiam Bitcoin, se declarou culpado e foi sentenciado pelo Departamento de Justiça dos EUA por sua participação nas atividades ilegais. Wyatt fazia parte do “The Dark Overlord”, um dos mais famosos grupos hackers que utilizavam ataques de ransomware para bloquear e roubar dados importantes das vítimas.

De acordo com o Decrypt, o Departamento de Justiça dos EUA sentenciou Nathan Wyatt, morador do Reino Unido, a cinco anos de prisão e multa de US $ 1.5 milhão após ele ter se declarado culpado de todas as acusações.

The Dark Overlord é um grupo conhecido por seus ataques de Ransonware, com ações que roubaram informações importantes de registros médicos, arquivos de clientes de diferentes empresas e arquivos pessoais de empresas. Após o sequestro desses arquivos, o grupo pedia de US $ 75 mil (R$ 406 mil) a US$ 300 mil (R$ 1.6 milhão) em Bitcoin para devolver o acesso as informações.

De acordo com investigações, o grupo pode ter hackeado a Netflix em 2017, vazando uma temporada de uma série como forma de ameaça e também comprometeu hospitais e outras empresas de grande porte.

As informações do Departamento de Justiça mostram que a função de Wyatt era justamente a de entrar em contato com as vítimas através do telefone e do e-mail para pedir o resgate em Bitcoins e fazer as ameaças.

Criminoso usou o próprio telefone para realizar ameaças

Wyatt conversou com várias das vítimas para tentar extorquir os Bitcoins em troca do acesso aos arquivos comprometidos. Ele fez isso através do telefone e muitas vezes até ameaças com dados pessoais e sensíveis.

Em um dos e-mails revelados pela justiça, Wyatt diz:

“Talvez você seja apenas uma garota burra e rica que não entende os perigos do que está acontecendo aqui. Eu vou tentar Chels. Talvez ela tenha mais QI.”

No entanto, apesar dos insultos sobre a inteligência da vítima, Wyatt cometeu um erro amador que acabou fazendo com que as autoridades o encontrassem: O criminoso fazia as ligações às vitimas usando linhas telefônicas registradas em seu nome.

Com isso ele foi preso no Reino Unido e deportado para os Estados Unidos para enfrentar um julgamento federal. Na última segunda-feira, Wyatt se declarou culpado diante da corte das acusações de conspiração para cometer roubo de identidade e fraude eletrônica.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Idoso segurando Bitcoins aposentadoria

Empresa passa a oferecer aposentadoria com Bitcoin

Uma parceria entre três empresas do mercado de criptomoedas possibilitou a criação de um produto de aposentadoria com Bitcoin. Os planos de aposentadoria, normalmente chamados...

Líder de pirâmide com Bitcoin é solto e volta a aplicar golpes prometendo lucros

Mesmo depois de ter sido preso e indiciado pela Polícia Civil, o dono da pirâmide financeira "Medina Bank", Izaltino Medina Filho, de 60 anos,...

Modelo do Instagram vende seu “amor” em forma de criptomoeda

O mercado dos tokens não-fungíveis (NFTS) realmente se tornou uma grande moda nos últimos meses, sendo uma forma que muitos escolheram para vender peças...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias