Veja os fatores que ajudaram a derrubar o preço do Bitcoin na semana passada

Semana passada a BitMEX liquidou 750 milhões de dólares em Bitcoin

-

Siga no
Anúncio

As últimas semanas trouxeram um verdadeiro choque para a economia global, causando quedas significativas para bolsas do mundo todo. E nem o criptomercado escapou do problema, uma vez que seu principal ativo, o Bitcoin, viu seus preços despencarem para baixo dos 4 mil dólares.

Isso causou um temor generalizado entre os investidores, que agora estão mais calmos devido ao quadro de recuperação que a criptomoeda está apresentando.

Mas o que aconteceu? Quando o bitcoin chegou a 3.600 dólares, a queda acentuada teve como principal potencializador a plataforma BitMEX. Devido a acentuada queda, a Exchange precisou fechar para manutenção.

Anúncio

Por outro lado, o movimento de recuperação da criptomoeda teve como principal agente outra empresa, a Coinbase. No entanto, entre essas duas gigantes do criptomercado há um elemento que deixa a situação ainda mais complexa.

Em meio a oscilação, os especialistas estão alertando para os chamados negócios alavancados, bastante populares na BitMEX. A prática permite que os investidores abram posições muito maiores do que o seu capital, o que pode levar a correções extremas de valor.

De acordo com o cientista digital Geoff Watts da Digital Assets Data, isso acabou causando um tremendo impacto negativo no Bitcoin na semana passada, sobretudo graças a Exchange.

O que mais abalou as estruturas da BitMEX?

Em um serviço específico que a BitMEX oferece para seus clientes, é possível pedir empréstimos independentemente de seus depósitos em proporção de 100 para 1. Isso permite que haja uma amplificação de ganhos, bem como de perdas.

Semana passada a plataforma liquidou 750 milhões de dólares de BTC de seus clientes em questão de minutos. Isso acabou causando um verdadeiro choque dentro do criptomercado.

Neste meio tempo houve a interrupção da plataforma, que afirmou a causa para isto foi um ataque DDoS contra ela.

De acordo com o diretor da Exchange, Arthur Hayes, esse ataque causado por um botnet não foi o primeiro. Ele destacou que no dia 15 de fevereiro a plataforma identificou uma investida semelhante, que não foi concluída com sucesso.

Outra empresa da mesma natureza, a Deribit da Holanda, também sofreu interrupções no mesmo período. Porém, em seu caso a pausa ocorreu durante o período de recuperação da criptomoeda.

Desta forma, os problemas técnicos enfrentados por essas duas empresas estão entre os principais motivos de aumento da liquidez do Bitcoin. Somado aos riscos do uso de operações alavancadas, o caos provocado pelo coronavírus ajudou a acentuar ainda mais a queda da criptomoeda.

Além do bitcoin, outros ativos digitais enfrentaram uma perda de 100 bilhões de dólares em apenas uma semana. Isto ajudou a causar uma perda de confiança no criptomercado, trazendo grande fragilidade a ele até o aparente momento de recuperação pelo qual passa.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Jeferson Scholz
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".

Leia mais

Últimas notícias

Meu Pé de Bitcoin é alvo de reclamações de clientes

A empresa Meu Pé de Bitcoin, com sede em Caruaru, no interior de Pernambuco tem sido acusada por clientes de não honrar com as...

“Criptomoedas não são poupança”, alegou empresa processada pela CVM

Em uma defesa contra a CVM, uma empresa brasileira afirmou que as "criptomoedas não são uma poupança". Tudo começou após a empresa captar investimentos...

Hacker “bonzinho” rouba R$135 milhões em DeFi e devolve 10% do valor

Logo no começo dessa segunda-feira uma movimentação suspeita foi notada na rede do protocolo DeFi Harvest Finance. Essas movimentações eram monitoradas pelo Defi Prime,...