FBI quer ajuda de vítimas de pirâmide de bitcoin (Bitconnect)

Siga no

O FBI está procurando informações sobre o controverso esquema Ponzi de criptomoedas  Bitconnect. O governo dos EUA espera que as vítimas do esquema levem alguns dos responsáveis ​​à justiça.

De acordo com um comunicado publicado no site do FBI, a agência federal está solicitando ajuda de quem comprou a criptomoeda BitConnect (BCC) para ajudar no caso em andamento.

Já faz mais de um ano desde que o esquema Bitconnect foi derrubado. No entanto, levará vários anos até que o caso seja totalmente resolvido.

O FBI parece estar fazendo a sua parte, já que está abertamente reunindo informações de vítimas através de seu site.

O FBI também divulgou uma extensa sinopse, detalhando o período que antecedeu o fechamento definitivo da Bitconnect:

Em meados de dezembro de 2017, a Bitconnect tinha um valor de mercado de mais de US $ 2,5 bilhões. A BCC prometia aos investidores um retorno de 10% por mês de seu investimento, seguindo um sistema de investimento escalonado baseado na soma do depósito inicial de um investidor. ”

O FBI também informou como as conseqüências desastrosas do fechamento da Bitconnect se tornaram um pesadelo para os detentores da Bitconnect Coin. Como acontece em qualquer esquema Ponzi fracassado, o artifício atingiu duramente os consumidores que haviam investido de boa fé.

Devido à súbita perda de valor da moeda BCC, bem como o fechamento da plataforma da empresa, os investidores entraram com uma ação coletiva contra a empresa em uma tentativa de reivindicar seus fundos perdidos. A ação foi arquivada junto à Corte Distrital do Sul da Flórida.

De acordo com os documentos apresentados à Corte, os autores alegaram que a BitConnect lançou um programa de empréstimos que exigia que seus investidores enviassem ativos digitais em troca da moeda BCC da plataforma, e a empresa lhes prometia 40% de retorno sobre seu investimento ou 3.000% compostos anualmente.

Nos documentos apresentados pelas vítimas, eles argumentaram que, em vez de usar os fundos enviados pelos investidores para o comércio de criptomoedas, a BitConnect administrava um elaborado esquema Ponzi, pagando aos investidores existentes fundos de novos membros.

Até agora, agentes da lei na Índia prenderam o chefe indiano da BitConnect, Divyesh Darji, que era residente da cidade de Surat. Ele acabou sendo preso no aeroporto de Délhi em 18 de agosto de 2018.

Em outubro de 2018, o Tribunal Distrital dos Estados Unidos do Sul da Flórida iniciou uma Reclamação de Ação Coletiva que também incluiu pessoas adicionais e proprietários da BitConnect cujos nomes não foram incluídos em nenhum processo anterior.

A ação incluiu uma lista de novos réus, incluindo o YouTube, que foi processado por dar aos membros da BitConnect a capacidade de promover o esquema ponzi.

O FBI acrescenta que, embora a ajuda das vítimas sejam voluntárias, elas seriam “úteis” para ajudar a resolver o caso.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Fundador do Livecoins. Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org
Hacker e Bitcoin

Hacker rouba R$ 64 milhões em bitcoin da DeFi pNetwork

Enquanto o setor DeFi luta para continuar crescendo e provando seu valor, ele continua enfrentando diferentes problemas em suas plataformas. Desta vez um ataque...
Punhos de grupo de manifestantes erguidos no ar

Clientes da empresa do “Faraó dos bitcoins” protestam contra autoridades

Os clientes da GAS Consultoria intensificaram os protestos contra as autoridades brasileiras nesta segunda-feira (20), desta vez em frente ao TRF2 no Rio de...
Fundador Mercado Livre

Fundador do Mercado Livre investe em corretora de criptomoedas

O fundador e CEO do Mercado Livre, Marcos Galperin, participou de uma rodada Série B de investimentos na fintech Ripio, que captou cerca de...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias