Goldman Sachs ataca Bitcoin em apresentação: “Não é uma classe de ativos!”

A Goldman Sachs lucra muito com o investimento em ações e com o próprio dólar. Mesmo não querendo criar a narrativa de “eles contra nós”, é bem provável que incentivar os clientes a ficar fora do bitcoin seja uma atitude de proteção do Banco e seus investimentos (e não aos investidores).

Siga no
Divulgação/Goldman Sachs
Divulgação/Goldman Sachs

Recentemente mostramos aqui no Livecoins  que a Goldman Sachs estava planejando uma chamada de vídeo com os seus investidores para uma apresentação que incluiria o Bitcoin. Na época, especulamos que isso poderia ter um impacto positivo no ecossistema da moeda, no entanto, parece que a instituição financeira não é muito fã da moeda digital.

Inicialmente, o convite para uma conversa entre o banco e os clientes era interessante, afinal, de acordo com as muitas informações, a reunião marcada para hoje, 27, tinha como foco falar sobre a situação financeira global e a inflação mundial, além de falar também sobre o ouro e o Bitcoin.

No entanto, a instituição de investimentos não pintou uma imagem do Bitcoin com bons olhos para os seus muitos clientes e investidores. E ao olhar para os slides e parte do conteúdo da apresentação, parece que as informações eram dedicadas a descreditar o Bitcoin como uma forma de investimento.

Barry Silbert, um importante nome no criptomercado e fundador da Digital Currency Group, postou no Twitter as suas impressões sobre toda a apresentação.

“Acabei de revisar os slides da Goldman apresentados aos clientes em uma reunião na manhã de hoje. Esse subtítulo resume tudo o que a apresentação quis afirmar:

Criptomoedas, incluindo o Bitcoin não são uma classe de ativos.”

Goldman Sachs desincentiva seus clientes a apostar no Bitcoin

Em um dos slides que foram apresentados, é possível ver como a empresa de investimentos pintou o ativo digital de uma forma negativa.

Na apresentação eles afirmam que o Bitcoin e as criptomoedas:

  • Não gera influxo de dinheiro como Bonds;
  • Não gera nenhum lucro através da exposição ao crescimento da economia global;
  • Não providencia benefícios de diversificação consistente por causa da correlação instável;
  • Não diminuem a volatilidade, considerando a volatilidade histórica de 76%;
  • Não demonstram evidencia de serem uma segurança contra a inflação.

Esses são pontos bem negativos de serem levantados sobre as criptomoedas (muitos estão mal interpretados pela investidora), mas todo o assunto parece ir além de falta de conhecimento.

Com o aumento das preocupações em relação há uma crise financeira, muitos estão preocupados com o quanto o dinheiro fiduciário vai valer em um futuro próximo.

Com cada vez mais impressão de dinheiro pelos Bancos Centrais, não é incomum ver pessoas buscando no Bitcoin e nas criptomoedas uma solução para a desvalorização do dinheiro.

A Goldman Sachs lucra muito com o investimento em ações e com o próprio dólar. Mesmo não querendo criar a narrativa de “eles contra nós”, é bem provável que incentivar os clientes a ficar fora do bitcoin seja uma atitude de proteção do Banco e seus investimentos (e não aos investidores).

Curiosamente, ao atacar o BTC, a empresa entrou em um caminhos um pouco contraditórios.

“Minha frase favorita dos slides:

‘Nós acreditamos que um ativo cuja a apreciação é primariamente dependente em alguém querer pagar mais caro do que o que você pagou não é uma forma de investimento boa para nossos clientes’

Então eu acho que as ações estão foram de cogitação?”

Por fim, como colocado por Marcel Pechman, do RadarBTC, a Goldman Sachs está com opiniões não muito acima de dúvidas, para escrever de forma sútil.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Rede Bitcoin e seus canais de comunicação rastreio criptomoedas nodes servidores

Chainalysis identifica suspeitos de crimes com criptomoedas e os entrega à polícia, entenda como

Um vazamento de documentos em italiano da Chainalysis, uma das maiores empresas de análise de dados de blockchain, revelou os meios usados pela companhia...
Glaidson dos Santos em pronunciamento feito pela Gas Consultoria antes de Operação da PF Faraó dos Bitcoins

Justiça bloqueia mais de meio milhão do “Faraó dos Bitcoins” em apenas quatro horas

A justiça brasileira determinou o bloqueio de mais de meio milhão de reais das contas do Faraó dos Bitcoins em menos de quatro horas. Essa...
Homem com algemas segurando Bitcoin criptomoedas sequestro prisão

Polícia desarticula quadrilha que iria sequestrar investidor de criptomoedas em Campinas

A polícia militar de São Paulo, por meio de seu Batalhão de Ações Especiais (BAEP), ajudou o Gaeco a desarticular uma quadrilha que planejava...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias