Golpes com criptomoedas diminuíram 60% em 2020

Em 2020 os hacks em DeFi representam 21% do volume total de fraudes e roubos em criptomoedas.

Siga no

Os golpes com criptomoedas tiveram uma queda de 60% em 2020 quando comparado com 2019. No ano passado os crimes envolvendo moedas digitais causaram um prejuízo acumulado de $ 4.5 bilhões (R$ 24.2 bi), já em 2020 esse número caiu para $ 1.8 bilhão (R$ 9.6 bi).

As informações foram compiladas pela CipherTrace, que analisou vários tipos de golpes envolvendo criptomoedas, como hacks, roubos, fraudes de pirâmides, phishing, falsos sorteios, etc.

Apesar da queda, o setor de finanças descentralizadas (DeFi) viu uma explosão de atividades criminosas. Os golpes no novo mercado aumentaram expressivamente, disse a empresa de análise forense em Blockchain.

As agências reguladoras de muitos países determinaram que as corretoras de criptomoedas melhorassem suas infraestruturas de segurança. Determinações de processos de “conheça seu cliente” (KYC) e anti-lavagem de dinheiro (AML) também ajudaram no combate as fraudes relacionadas à moedas digitais.

“O que vimos é que as corretoras e outros players do mercado implementaram mais procedimentos de segurança. Eles seguiram as orientações e implementaram os procedimentos para proteger melhor seus fundos. Então, você vê menos hacks em grande escala.” Diz a CypherTrace.

Por que DeFi é o novo alvo dos golpistas?

De acordo com a empresa, a popularidade crescente das plataformas de DeFi estão tornando o setor um alvo fácil para os hackers. Afinal, muitas pessoas acreditam que podem ganhar dinheiro rápido e fácil com as novas moedas criadas.

Além disso, para usar plataformas de DeFi os usuários não precisam se identificar, isso faz com que fique mais fácil para quem precisa lavar dinheiro.

“Os protocolos DeFi não possuem sistema de identificação no desenvolvimento, o que significa que muitas vezes não têm nenhuma conformidade regulatória clara e qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo pode ter acesso a elas com pouca ou nenhuma informação”, diz a empresa, “como resultado disso, DeFi pode facilmente se tornar um paraíso para golpistas lavadores de dinheiro.”

Golpes Defi 2020. Cyphertrace
Golpes Defi 2020. Cyphertrace

A plataforma DeFi mais popular do mundo, a UniSwap, não possui nenhum processo de verificação de usuários, como KYC ou AML. Para utilizar o site, tudo que você precisa fazer é conectar uma carteira. Infelizmente, isso torna o UniSwap uma opção atraente para golpistas que precisam lavar dinheiro.

A CipherTrace fez um compilado de informações sobre os golpes envolvendo DeFi

  • Em 2020 os hacks em DeFi representam 21% do volume total de hacks e roubos em criptomoedas.
  • DeFi representa 45% de todos os golpes e hacks ($ 51,5 milhões ou 40% do volume hackeado) do primeiro semestre de 2020.
  • DeFi assumiu 50% de todos os roubos e hacks ($ 47,7 milhões ou 14% do volume hackeado, no segundo semestre de 2020.
  • O maior roubo de criptomoedas em 2020 (KuCoin $ 281M) foram lavados através de DeFi.
  • Em 2019, o volume de hacks em DeFi era insignificantes.
Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Novo iPhone ou Bitcoin? O que comprar?

Após o lançamento do último iPhone, muitas pessoas se perguntam se vale a pena trocar de aparelho. Segundo dados históricos, é melhor investir em...
Vista do teatro AMC Empire em Manhattan cinema Bitcoin

“Paguem com qualquer criptomoeda, mas por favor, voltem aos cinemas”, diz maior rede de...

A rede de cinemas AMC, a maior do mundo no setor, já anunciou anteriormente que pretende aceitar Bitcoin na compra de ingressos para os...
Imagem de Dólar e Bitcoin fundos

Criador de Fundo de Hedge com Bitcoin é condenado a sete anos de prisão

O criador de dois fundos de hegde com Bitcoin, Virgil Sigma e do VQR, que operavam em Nova Iorque, foi condenado pela justiça dos...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias