Golpista clona cartão de crédito de médico e compra R$ 70 mil em criptomoedas

O Banco do Brasil disse que não foi culpado pelo episódio

Siga no
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Um golpista teria clonado o cartão de crédito de um médico de Salvador (BA) para comprar criptomoedas no exterior, segundo processo ao qual a reportagem do Livecoins teve acesso. O valor gasto com a aquisição dos bitcoins foi de cerca de R$ 70 mil.

Ao perceber a suposta fraude, a vítima teria entrado em contato com o Banco do Brasil, onde é correntista, pedindo ressarcimento do valor. A instituição bancária, após análise do caso, teria devolvido a grana.

Apesar da resolução, o médico moveu ação contra o banco pedindo indenização por danos morais para “atenuar os constrangimentos e sofrimentos experimentados por conta da omissão da instituição bancária”.

A Justiça ficou do lado da vítima. A decisão foi publicada no Diário de Justiça da Bahia nesta quarta-feira (1). Como o caso é de primeira instância, ainda cabe recurso.

Entenda a história

De acordo com a petição inicial, o correntista do Banco Brasil tem três cartões de crédito. Juntos, eles somam limite de R$ 100 mil.

Em maio, ao tentar fazer uma compra em um supermercado, o médico disse que foi surpreendido com a informação de que seu limite máximo de crédito havia sido extrapolado.

O correntista do Banco do Brasil teria, então, ligado para o gerente de sua conta para entender o que tinha ocorrido.

O funcionário da instituição bancária teria informado que alguém havia solicitado via internet um cartão adicional dele e que algumas compras teriam sido feitas.

As compras, que somaram cerca de R$ 70 mil, teriam sido feitas nos sites das exchanges Bitlish e da Criptopay, ambas sediadas no Reino Unido.

Banco confirmou fraude, mas devolveu dinheiro em parcelas

O banco, após reconhecer a falha, devolveu o dinheiro da vítima em quatro parcelas. Elas foram depositadas na conta do correntista entre junho e setembro do ano passado.

Apesar do pagamento, nos autos do processo o Banco do Brasil disse que não foi culpado pelo episódio, pois o cartão adicional foi pedido por um terceiro, mediante possível fraude.

A instituição bancária também informou que o “autor é responsável, vez que não observou a responsabilidade de guarda em segurança de seus documentos pessoais e senhas”.

Disse também que “os valores foram devidamente estornados, o que afastaria a obrigação de indenizar”.

Informou ainda que “não houve bloqueio dos cartões ou da conta corrente do autor, o que também afastaria o pleito de indenização por danos extrapatrimoniais”.

Por fim, falou que a indenização por danos morais não se sustentaria “pela ausência de prova do alegado”.

O que diz a Justiça?

Na decisão de primeiro instância favorável ao médico, a juíza Daniela Guimarães Andrade Gonzaga reconheceu a culpa do banco e confirmou a necessidade de pagar uma indenização ao correntista.

“Há de se reconhecer e declarar a ocorrência dos danos morais, onde percebe-se o desfalque dos valores pertencentes ao autor, bem como os demais constrangimentos que suportou no período”.

A juíza disse também que o banco, apesar de afirmar que o médico foi responsável pela falha, não conseguiu “comprovar minimamente as alegações”.

O valor estipulado para os danos morais foi de R$ 7 mil.

“Do exposto, além do mais que dos autos consta, JULGO PROCEDENTE O PEDIDO, para condenar o banco réu na quantia de R$ 7.000,00 (sete mil reais), a título de danos morais ao requerente, a ser acrescida de correção monetária com base no INPC a partir desta data (Súmula 362 STJ), com incidência de juros de 1% ao mês a partir da citação, ao tempo que extingo o processo com resolução do mérito, na forma do Art. 487, I, do CPC”, diz trecho da decisão.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Gary Gensler. Imagem: Divulgação/ U.S. Senate

Presidente da SEC diz que Bitcoin é uma reserva de valor digital e escassa

O novo presidente da SEC, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, disse na manhã desta sexta-feira (07) à CNBC que o Bitcoin "é...
NFT do Atlético Mineiro é lançado pelo clube

Atlético Mineiro leiloa NFT pela primeira vez no Brasil e lança colecionáveis no “Cartola”...

O mundo dos tokens artísticos chama cada vez mais atenção de empresas no Brasil e agora também no mundo do futebol. O Atlético Mineiro...
Elon Musk alerta sobre criptomoedas. Imagem: TMZ

Em meio alta da Dogecoin, Elon Musk faz alerta: “Cuidado”

Elon Musk - um dos maiores defensores das criptomoedas e em especial da Dogecoin - fez um alerta para os investidores que esperam lucrar...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias