Grupo Bitcoin Banco amplia fiscalização da origem do dinheiro para garantir transações lícitas e transparentes com criptomoedas

-

Siga no
Carro de Polícia
Carro de Polícia
Anúncio

O Grupo Bitcoin Banco está investindo na ampliação de sua Diretoria de Compliance e acaba de contratar o ex-delegado da Polícia Federal Jorge Luis Fayad Nazário, advogado e professor universitário, com ampla experiência no combate a crimes contra o sistema financeiro e a fazenda nacional.

A equipe de Nazário, recém aposentado após 20 anos na PF, conta ainda com um gerente e três funcionários. Sua missão é garantir que as empresas do grupo – principalmente as exchanges que fazem trade de criptomoedas e as duas agências físicas que oferecem produtos para investimento – estejam protegidas de erros e de tentativas de fraude, corrupção, lavagem de dinheiro e outros crimes.

Aos 51 anos de idade, o ex-delegado tem uma longa trajetória de combate a crimes financeiros, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, fraude de financiamento, gestão temerária e tráfico de drogas.

Anúncio

A experiência e conhecimento sobre o modus operandi de pessoas e quadrilhas nessa área serão agora empregadas na proteção das operações com criptomoedas. Segundo o ranking internacional Exchangewar, a NegocieCoins, uma das principais empresas do grupo, é hoje a 52ª do mundo e a primeira do Brasil, com  um volume negociado de 229,23 Bitcoins a cada 24 horas.

 

“Como ainda não há regulamentação no Brasil para as criptomoedas, há uma grande preocupação por parte do Grupo de que elas sejam usadas para fins lícitos e transparentes. Nosso objetivo é empregar o conhecimento que temos sobre investigação criminal para reconhecer os indícios de operações ilegais e garantir a origem legal do dinheiro. Por meio de análise de cadastro e de quantias depositadas, estamos atentos a movimentações de valores altos por pessoas que não têm patrimônio condizente. E vamos buscar sempre a origem do dinheiro usado para comprar bitcoins e investir em nossos produtos”, explica.

Com pouco mais de um ano de operação, o Grupo Bitcoin Banco mantém desde o início um diretor de Compliance e uma Diretoria Jurídica, responsáveis pela criação de um ambiente e de uma cultura de cumprimento de marcos regulatórios e normas relacionadas a princípios e valores.

As duas diretorias zelam pela observância da conduta de todas as empresas e funcionários e da implantação de regras internas como o código de ética e o guia de compliance. “Cortaremos na própria carne se identificarmos ações ilícitas dentro da empresa”, observa Nazário.

O zelo pela reputação nasceu junto com a empresa. Apesar de não pertencer ao Sistema Financeiro Nacional, o grupo segue o ordenamento da Resolução 4595 de 25/08/2017, do Conselho Monetário Nacional, que orienta as instituições financeiras. “Quando vier a regulamentação, estaremos ajustados à lei.

Utilizamos todos os meios previstos por ela para diminuir os riscos e garantir a credibilidade das empresas do Grupo”, diz Heloísa Ceni, vice-presidente do Grupo Bitcoin Banco, que tem sede em Curitiba e uma agência física em São Paulo do Bitcoin Banco.

Sobre o Grupo Bitcoin Banco

Com sede em Curitiba, o Grupo Bitcoin Banco é um dos primeiros da América Latina a atuar com investimentos e negócios relacionados às criptomoedas.

O grupo é composto pelo Bitcoin Banco, primeira empresa brasileira não integrante do SFN especializada em negócios com moedas virtuais, com uma unidade física localizada em Curitiba e outra em São Paulo; pelas exchanges NegocieCoins, que tem um dos maiores volumes de negociação entre as corretoras nacionais, e Zater Capital, que opera em uma das mais avançadas plataformas de trade do Brasil; pela Imobiliária Tagmob (que aceita bitcoins em seus negócios); pela Opencoin (empresa destinada a desenvolver um token de utilidades)e pela Fork Content, primeira agência de publicidade brasileira a utilizar a blockchain. Também é filiado ao Icoinomia, Instituto Nacional de Defesa dos Operadores de Câmbio de Criptomoedas, cujo objetivo é defender o livre exercício da atividade econômica das organizações que operam com moeda virtual.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Mateus Nunes
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, aprendiz e entusiasta de criptomoedas e blockchain. Sugestão de pauta: [email protected]

Leia mais

Venezuela e Bitcoin

Quais os riscos da Venezuela minerar Bitcoin?

A Venezuela publicou um novo decreto mostrando que deve começar a minerar Bitcoin, mas alguns riscos podem envolver a prática. No país, há uma...
Nouriel Roubini

Nouriel Roubini ataca DeFi: “é um vaporware”

O termo DeFi toma as manchetes do mercado de criptomoedas e de economistas renomados em 2020. De acordo com o analista financeiro Nouriel Roubini,...

Empresa vai dar criptomoedas para quem plantar árvores

Um dos problemas que preocupam a sociedade atualmente é a emissão de carbono e as mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global. Para tentar achar...

Últimas notícias

Nouriel Roubini ataca DeFi: “é um vaporware”

O termo DeFi toma as manchetes do mercado de criptomoedas e de economistas renomados em 2020. De acordo com o analista financeiro Nouriel Roubini,...

Justiça vai atrás de exchanges internacionais em ação de R$ 65 milhões contra a Atlas Quantum

A Justiça de São Paulo determinou que oito exchanges internacionais promovam o bloqueio de qualquer ativo digital depositado pela Atlas Quantum. A decisão foi proferida...

Empresa vai dar criptomoedas para quem plantar árvores

Um dos problemas que preocupam a sociedade atualmente é a emissão de carbono e as mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global. Para tentar achar...