Grupo Bitcoin Banco não é transparente, diz administradora judicial

Siga no
Grupo Bitcoin Banco
Manifestantes na sede do Grupo Bitcoin Banco, em Curitiba (PR). Foto: Lucas Marins

A EXM Partners – administradora judicial do Grupo Bitcoin Banco – apontou que o conglomerado e o empresário Claudio Oliveira não são transparentes dentro do processo de recuperação judicial, aprovado ano passado pela Justiça.

Os relatórios contábeis e fiscais do grupo são inconsistentes. A empresa desapareceu de novo com 7.100 bitcoins e não explicou o motivo. Oliveira até hoje não pagou antigos colaboradores, bem como fornecedores. Para completar, o grupo não liberou os saques de quase 30 clientes da exchange Zater Capital.

As informações estão no último relatório mensal de atividades da administradora judicial. Na semana passada, a EXM Partners entregou o documento – que a reportagem do Livecoins teve acesso – para a 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de Curitiba (PR).

Processo de recuperação judicial do Grupo Bitcoin Banco corre risco

De acordo com a EXM, se o Grupo Bitcoin Banco não apontar o paradeiro das criptomoedas e regularizar a situação financeira e contábil em até 10 dias, o processo de recuperação judicial corre risco.

“Diante do exposto no Relatório Mensal de Atividades (…) se faz necessária a intimação das recuperandas de maneira URGENTE, via seus representantes, para, no prazo máximo de 10 dias, sob pena de CONVOLAÇÃO EM FALÊNCIA, conforme previsto no art. 94 da Lei 11.101/05”, disse a EXM em petição enviado à Justiça, junto com o relatório de atividades.

A reportagem contatou o Grupo Bitcoin Banco, mas a empresa não enviou resposta até o fechamento desta matéria.

Para onde o Grupo Bitcoin Banco mandou os 7.100 bitcoins?

A administradora judicial quer saber o paradeiro dos 7.100 bitcoins do Grupo Bitcoin Banco. De acordo com EXM Partners, a empresa “pulverizou” as criptomoedas, sem aviso prévio. A mesma situação havia ocorrido em maio deste ano. Naquele mês, um advogado chegou a pedir a prisão de Oliveira, que já foi conhecido como “rei do bitcoin”.

“Posto o presente cenário marcado por ausência de transparência para com esta Administradora Judicial e, consequentemente, para com a presente recuperação judicial, reitera-se o quanto exposto em página 21 do relatório mensal, no sentido de que as Recuperandas apresentem em caráter de URGÊNCIA, no prazo de 10 dias, a devida justificativa das operações relatadas acima e a destinação numerário superior a 7.100 BTC informados em 15/05/2020”, informou a EXM Partners.

A administradora judicial também solicitou que o Grupo Bitcoin Banco deposite cerca de 800 bitcoins em uma conta judicial.

Grupo Bitcoin Banco não libera R$ 708 mil para investidores e não paga fornecedores

Também no relatório de atividades, a administradora judicial pediu para o Grupo Bitcoin regularizar os relatórios contábeis e fiscais da empresa, bem como o passivo extraconcursal (dívida feita depois que a empresa entrou em recuperação judicial).

Além disso, a EXM Partners determinou que o grupo regularize os saques e resgates pendentes de clientes da exchange Zater Capital. De acordo com o documento, quase 30 pessoas estão com dinheiro preso, sem justificativa. A dívida é de R$ 708 mil.

Por fim, a administradora judicial também pediu para a empresa pagar os fornecedores contratados para viabilizar a recuperação judicial. A empresa de Oliveira contratou serviços de contabilidade, por exemplo, mas até agora não honrou com R$ 245 mil acordados.

Justiça está cercando cada vez mais o Grupo Bitcoin Banco

Além dos problemas no processo de recuperação judicial, o Grupo Bitcoin Banco e Oliveira também enfrentam agora a Polícia Federal. Na início deste mês, a pedido da Polícia Civil do Paraná, a Justiça colocou a PF “na cola” do conglomerado e do empresário.

O motivo é a possível existência de crimes contra o sistema financeiro nacional, a exemplo de lavagem de dinheiro e organização criminosa. Na decisão, a juíza Camile Santos de Souza Siqueira disse que a suposta fraude montada pelo Grupo Bitcoin Banco foi “sofisticada”.

Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Binance PIX

Corretoras brasileiras pedem ação da CVM, MPF e BC contra Binance

A Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto), que tem corretoras como a foxbit e Mercado Bitcoin, pediu que o MPF ajuíze uma ação civil pública...

Site sobre criptomoedas supera Bloomberg, Reuters e WSJ em visitas mensais

O maior agregador de preços de criptomoedas do mundo, o CoinMarketCap, realizou um marco histórico no mês de fevereiro: superou a marca de 100...
Comunistas + Bitcoin

Foice, martelo e… Bitcoin? Filósofo diz que criptomoeda é um renascimento do comunismo

O filósofo francês Mark Alizart lançou um livro onde afirma que o advento das criptomoedas e o protocolo Bitcoin são uma possível alavanca para se pensar em...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias

Site sobre criptomoedas supera Bloomberg, Reuters e WSJ em visitas mensais

O maior agregador de preços de criptomoedas do mundo, o CoinMarketCap, realizou um marco histórico no mês de fevereiro: superou a marca de 100...

Foice, martelo e… Bitcoin? Filósofo diz que criptomoeda é um renascimento do comunismo

O filósofo francês Mark Alizart lançou um livro onde afirma que o advento das criptomoedas e o protocolo Bitcoin são uma possível alavanca para se pensar em...

George Ball diz que Bitcoin é uma boa proteção contra inflação

O famoso investidor George Ball, CEO da Sanders Morris Harris, dise que o Bitcoin é uma boa proteção contra a inflação. Dessa forma, ele...

Domínio chinês em blockchain é um risco para os EUA, diz presidente da Câmara de Comércio Digital

Perianne Boring, a presidente da Câmara de Comércio Digital dos Estados Unidos destacou os motivos pelos quais acredita que os Estados Unidos precisam se...

CEO da Aave diz que “loucura do Yield Farming” está chegando ao fim

O CEO da Aave, Stani Kulechov, está preocupado com a falta de inovação dentro do setor de finanças descentralizadas (DeFi), citando a natureza de...