Hacker de Sérgio Moro tem pedido de liberdade negado na justiça

Possível cúmplice já havia saído da cadeia, mas o principal suspeito continuará preso.

Siga no
ex-juiz Sério Moro
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

O principal suspeito de hackear o celular do ex-juiz Sérgio Moro, vazando conversas privadas dele ao público, continuará preso. O hacker que usou uma conta no Banco do Brasil e até Bitcoin nos crimes, tentou um pedido de liberdade nos últimos dias.

Com a pandemia do novo coronavírus, vários presos foram colocados em liberdade. A justificativa é uma recomendação do CNJ, para evitar a disseminação do novo coronavírus nas prisões.

Ao mesmo tempo, várias empresas liberaram funcionários para trabalhar em regime de home office. Dessa forma, mesmo com o pedido de liberdade devido à Covid-19, o hacker poderia levar perigo para a sociedade caso fosse libertado. Esse foi o entendimento da justiça no caso, que já liberou um possível cúmplice em janeiro de 2020.

Hacker de ex-juiz Sérgio Moro e Banco do Brasil teve o pedido negado pela justiça federal

Em 2019, quando Sérgio Moro ainda era Ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, o Brasil parou. Com vários vazamentos de dados pessoais de Moro, e várias autoridades, o portal de notícias The Intercept iniciou a famosa “Vaza Jato”.

Para expor conversas pessoais do então ministro na época em que era juiz, o jornalista Glenn Greenwald contou com o vazamento dos dados feitos por hackers. O caso foi parar nas mãos da Polícia Federal que passou a investigar os hackers e as movimentações em Bitcoin que realizavam.

O principal hacker, apontado como líder do vazamento das informações, é Walter Delgatti Neto. Walter, que foi preso na Operação Spoofing, em 2019, confessou a autoria do crime. Nos últimos dias, contudo, pediu para sair da prisão, de forma preventiva.

O caso, que foi parar no Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, foi decidido nos últimos dias. De acordo com a decisão judicial, seria um risco liberar o hacker durante a pandemia, onde o acesso a meios digitais são fáceis.

Justiça negou liberdade e notificou Ministério Público Federal da decisão

A decisão judicial que negou pedido de liberdade Walter Delgatti Neto foi publicado pelo TRF-1 nesta sexta (28). Após a decisão, o Ministério Público Federal, que também apura o caso, foi notificado.

Na decisão, a justiça apontou o perigo em libertar o hacker, que poderia ter acesso a dispositivos eletrônicos e novamente cometer crimes. Como ele tira seu sustento de atividades criminosas, com meios digitais, a justiça negou liberdade.

O periculum libertatis está devidamente fundamentado nos requisitos do artigo 312 do Código de Processo Penal para a manutenção da prisão preventiva de WALTER DELGATTI NETO. Faz-se necessário garantir a ordem pública devido ao fundado receio de reiteração de práticas criminosas considerando o presente panorama de home office e utilização de computadores e dispositivos de informática também para a realização de atividades bancárias, em tempos de pandemia pelo Covid-19, alvos das ações de hackers; a necessidade de preservar as investigações em curso relativas a fraudes bancárias e furtos eletrônicos, além de assegurar a aplicação da lei penal já que o réu não exerce atividade lícita fazendo do crime seu sustento.

Por fim, com o pedido de revogação da prisão preventiva de Walter indeferido, o hacker do ex-juiz Sérgio Moro continua preso.

O caso segue acompanhado pelas autoridades, que viram o hacker vazar dados de várias pessoas públicas, em um episódio que será lembrado por alguns anos no país.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Ethereum Classic ETC criptomoeda altcoin

Ethereum Classic dispara e renova máxima histórica

Na última terça-feira (4) as altcoins mostraram força mesmo com o preço do Bitcoin em queda e uma das moedas que dispararam no mercado...
Mercado Livre. Imagem: Reprodução

Mercado Livre compra R$ 40 milhões em Bitcoin

O Mercado Livre finalmente divulgou em seus balanços a compra de Bitcoin como parte de sua reserva de valor. A compra teria sido realizada...

Banco digital anuncia fundos de criptomoedas da Hashdex

O C6 Bank anunciou hoje (05) que irá oferecer em sua plataforma dois fundos baseados em criptomoedas geridos pela Hashdex. De acordo com o...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias