Hacker de Sérgio Moro tem pedido de liberdade negado na justiça

Possível cúmplice já havia saído da cadeia, mas o principal suspeito continuará preso.

Siga no
ex-juiz Sério Moro
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

O principal suspeito de hackear o celular do ex-juiz Sérgio Moro, vazando conversas privadas dele ao público, continuará preso. O hacker que usou uma conta no Banco do Brasil e até Bitcoin nos crimes, tentou um pedido de liberdade nos últimos dias.

Com a pandemia do novo coronavírus, vários presos foram colocados em liberdade. A justificativa é uma recomendação do CNJ, para evitar a disseminação do novo coronavírus nas prisões.

Ao mesmo tempo, várias empresas liberaram funcionários para trabalhar em regime de home office. Dessa forma, mesmo com o pedido de liberdade devido à Covid-19, o hacker poderia levar perigo para a sociedade caso fosse libertado. Esse foi o entendimento da justiça no caso, que já liberou um possível cúmplice em janeiro de 2020.

Hacker de ex-juiz Sérgio Moro e Banco do Brasil teve o pedido negado pela justiça federal

Em 2019, quando Sérgio Moro ainda era Ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, o Brasil parou. Com vários vazamentos de dados pessoais de Moro, e várias autoridades, o portal de notícias The Intercept iniciou a famosa “Vaza Jato”.

Para expor conversas pessoais do então ministro na época em que era juiz, o jornalista Glenn Greenwald contou com o vazamento dos dados feitos por hackers. O caso foi parar nas mãos da Polícia Federal que passou a investigar os hackers e as movimentações em Bitcoin que realizavam.

O principal hacker, apontado como líder do vazamento das informações, é Walter Delgatti Neto. Walter, que foi preso na Operação Spoofing, em 2019, confessou a autoria do crime. Nos últimos dias, contudo, pediu para sair da prisão, de forma preventiva.

O caso, que foi parar no Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, foi decidido nos últimos dias. De acordo com a decisão judicial, seria um risco liberar o hacker durante a pandemia, onde o acesso a meios digitais são fáceis.

Justiça negou liberdade e notificou Ministério Público Federal da decisão

A decisão judicial que negou pedido de liberdade Walter Delgatti Neto foi publicado pelo TRF-1 nesta sexta (28). Após a decisão, o Ministério Público Federal, que também apura o caso, foi notificado.

Na decisão, a justiça apontou o perigo em libertar o hacker, que poderia ter acesso a dispositivos eletrônicos e novamente cometer crimes. Como ele tira seu sustento de atividades criminosas, com meios digitais, a justiça negou liberdade.

O periculum libertatis está devidamente fundamentado nos requisitos do artigo 312 do Código de Processo Penal para a manutenção da prisão preventiva de WALTER DELGATTI NETO. Faz-se necessário garantir a ordem pública devido ao fundado receio de reiteração de práticas criminosas considerando o presente panorama de home office e utilização de computadores e dispositivos de informática também para a realização de atividades bancárias, em tempos de pandemia pelo Covid-19, alvos das ações de hackers; a necessidade de preservar as investigações em curso relativas a fraudes bancárias e furtos eletrônicos, além de assegurar a aplicação da lei penal já que o réu não exerce atividade lícita fazendo do crime seu sustento.

Por fim, com o pedido de revogação da prisão preventiva de Walter indeferido, o hacker do ex-juiz Sérgio Moro continua preso.

O caso segue acompanhado pelas autoridades, que viram o hacker vazar dados de várias pessoas públicas, em um episódio que será lembrado por alguns anos no país.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Tether

Hacker ameaça vazar dados que “podem prejudicar toda indústria de criptomoedas”

A Tether disse que está sendo extorquida e que o criminoso exigiu 500 bitcoins para não vazar documentos que podem "prejudicar todo o ecossistema...
vice-presidente da Nigéria, Yemi Osinbajo, em seu discurso no CBN Bankers 'Committee Economic Summit. Imagem: Youtube

Não mate a galinha dos ovos de ouro, diz vice-presidente da Nigéria sobre Bitcoin

No início de fevereiro, o Banco Central da Nigéria (CBN) proibiu os bancos de fornecer serviços para pessoas e empresas que negociavam criptomoedas, a...
Escritório Coinbase. Imagem: Coinbase

Coinbase diz que Satoshi Nakamoto é um risco para seus negócios

A Coinbase deve se tornar oficialmente uma empresa de capital aberto nos próximos dias, ela será listada no índice da Nasdaq Global Select Market....

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias

Não mate a galinha dos ovos de ouro, diz vice-presidente da Nigéria sobre Bitcoin

No início de fevereiro, o Banco Central da Nigéria (CBN) proibiu os bancos de fornecer serviços para pessoas e empresas que negociavam criptomoedas, a...

Coinbase diz que Satoshi Nakamoto é um risco para seus negócios

A Coinbase deve se tornar oficialmente uma empresa de capital aberto nos próximos dias, ela será listada no índice da Nasdaq Global Select Market....

Coinbase deve lançar token parecido com Binance Coin

A maior corretora de criptomoedas dos Estados Unidos, Coinbase, vai se tornar uma empresa de capital aberto em breve, assim, a empresa registrou um...

Bitcoin cai abaixo de $ 45 mil, o que dizem os analistas?

Depois de um sábado relativamente positivo, o Bitcoin desabou novamente, caindo abaixo de 45 mil dólares, o menor valor desde 10 de fevereiro. A...

O Título do Tesouro EUA derrubou o Bitcoin?

Títulos do Tesouro norte-americano, ou Treasuries, são negociados diariamente em bolsas de valores. Com 21 trilhões de valor em circulação, giram mais de 11...