Homem perde herança em golpe de Bitcoin e processa banco

Ao todo os golpistas retiraram mais de R$ 1,9 milhão da conta do idoso.

Golpe Bitcoin, vítima de golpe de Bitcoin. Fonte: ABC Illawarra | Justin Huntsdale
Kevin Barraclough

Tomar cuidado com os golpes de Bitcoin é fundamental, mas Infelizmente, nem todo mundo tem as ferramentas necessárias ou o conhecimento para identificar quando está caindo em uma situação assim. Em um caso recente, um homem de 67 anos perdeu toda a herança que recebeu após cair em um golpe de Bitcoin no Facebook, agora ele está culpando seu banco por não ter alertado ele a tempo.

Anúncio

De acordo com o jornal ABC News, Kevin Barraclough, de 67 anos, recebeu uma fortuna de herança quando sua mãe morreu. Sua primeira ideia foi realizar um investimento que trouxesse um bom retorno. Ele até mesmo tinha um propósito nobre – queria usar o retorno do investimento para ajudar outras pessoas.

“Eu queria utilizar o rendimento do investimento para dar aos pobres. Eu queria investir para ajudar outras pessoas.”

Com essa ideia na cabeça, Kevin estava navegando no Facebook e se deparou com uma propaganda em uma empresa que investia em Bitcoin e prometia ótimos retornos. Ele decidiu se cadastrar na plataforma, colocando seu nome e o telefone no formulário “só por curiosidade”.

Em questão de minutos ele recebeu uma ligação da suposta empresa, afirmando que ele poderia investir com eles e que logo teria resultado. Tudo que ele precisava era começar com apenas $ 250, cerca de R$ 1.070.

Kevin disse que a pessoa (o golpista) que falou com ele era muito prestativa, profissional e gentil. Com isso ele acabou acreditando nas promessa e passou seu e-mail e informações bancárias para os golpistas. 

Banco bloqueou transações suspeitas

Após a primeira transferência de US $ 250, Barraclough percebeu que o seu cartão de débito e crédito tinha sido bloqueado, impedindo novas transações. Ao ir até o Banco para entender o que aconteceu, ele foi informado que depois de duas transações suspeitas de exatamente $ 1.490,39 cada, a conta foi bloqueada por questões de segurança.

No entanto, o Banco falou para Kevin (segundo o relato da própria vítima) que acreditava que as transações eram legítimas. Sendo assim, o homem de 67 anos desbloqueou sua conta e autorizou outras transações.

O que o homem fez, portanto, foi dar acesso a sua conta bancaria para pessoas que disseram que iriam investir em Bitcoin para ele.

Entre 3 de abril e 15 de maio do ano passado, foram realizadas 43 transações para compra de bitcoins em sua conta. Algumas das transações foram feitas através de empresas identificadas pelo extrato do cartão como Veritex.io, Buesnow.ou, Simplex-Elastum e Simplex-Bitsamp. 

Ao todo os golpistas retiraram mais de $ 450 mil (R$ 1,9 milhão) da conta de Kevin, acabando com todo o dinheiro que ele tinha ganhado da herança da mãe.

Banco está sendo processado por não ter oferecido apoio o suficiente para a vítima

Allan e Kevin Barracough. Fonte: ABC News

Após o golpe ter sido aplicado, a vítima, junto de seu irmão, estão tentando recuperar o dinheiro perdido. De acordo com Allan Barraclough, irmão da vítima, Kevin é uma pessoa vulnerável, um homem solteiro que vive sozinho e que não tem a capacidade de acessar as informações ou ter conhecimento técnico.

Por isso, ele é uma vítima fácil de diferentes golpes.

Ele também não tem nenhum conhecimento sobre a negociação de Bitcoin. Com isso, Allan quer saber porque o Banco não alertou sobre a possibilidade de golpe ou não fez uma pesquisa sobre o que estava acontecendo.

Agora o processo movido quer reparo de danos pelo banco não ter oferecido o cuidado necessário que ele diz ter com seus clientes, principalmente com alguém vulnerável como Kevin.

Allan também afirma que o banco não quer revelar quem é a empresa intermediária para qual o dinheiro foi transacionado para a compra de bitcoins. De acordo com o banco, a empresa intermediária não fez nada errado e não são os verdadeiros golpistas.

Kevin caiu em um golpe que não tem nenhum nível técnico a não ser a engenharia social.

Esses são os mais comuns da internet e estão no ciberespaço muito antes do Bitcoin ser algo relevante ou até mesmo existir. Casos como o do australiano são comuns e é fundamental ter muito cuidado com qualquer promessa da internet.

A lição que fica? Primeiro, e mais óbvio, nunca dê informações da sua conta bancaria para ninguém. Segundo, nunca dê dinheiro pra ninguém investir em Bitcoin por você.

 

Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Sites de negociações de criptomoedas, cuidado com golpes

Cinco sites de investimentos em criptomoedas recebem ordem de parada

Nos últimos dias, cinco sites que prometiam investimentos com criptomoedas para pessoas receberam uma ordem de parada, com as autoridades aumentando sua escalada com...
Delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro

“Faraó dos Bitcoins” mandou matar concorrente em Cabo Frio, diz Polícia

O delegado da 126.ª DP de Polícia Civil do Rio de Janeiro, Carlos Eduardo, comentou sobre a finalização do inquérito que acusa o "Faraó...
Criptomoedas próximas a uma folha com a frase Procurando por liberdade

FGV promove evento sobre perfil de investidores de criptomoedas

A Fundação Getúlio Vargas (FGV), por meio de sua escola de economia, vai apresentar os resultados de um estudo sobre investidores de criptomoedas. O evento...