Initiative Q: A saga continua

Siga no

A Initiative Q sequer foi lançada, mas já tem uma reputação. Supostamente fundada pelo ex-PayPal, gigante dos pagamentos online, funcionário (e fundador da Fraud Sciences Corp. Adquirida pelo PayPal em 2008), a startup está convidando pessoas a se inscreverem antecipadamente em sua rede de pagamentos e incentivando-os a convidar amigos.

Apesar de anunciar que dois milhões de pessoas de mais de 180 países já se inscreveram para usar a rede assim que for lançada, o sistema da Initiative Q não está oferecendo uma nova criptomoeda ou blockchain. Apesar de afirmar claramente isso em seu site, a Moeda Q foi chamada de “o próximo Bitcoin” por certos sites de notícias.

A Initiative Q trouxe pelo menos duas lições importantes. Em primeiro lugar, seus métodos proativos de marketing são, sem dúvida, algo que as criptomoedas devem tentar imitar e desenvolver.

E em segundo lugar, a suposição equivocada de que a Initiative Q pode ser um ‘novo Bitcoin’ revela que as criptomoedas ainda são dolorosamente mal entendidas, e que precisa trabalhar mais para comunicar ao público em geral que é mais do que um esquema para ‘ficar rico rápido’.

Almoço grátis e Scam

O fundador da Initiative Q, Saar Wilf contou ao site Cryptonews.com que a pré-criação de uma base de usuários para a Initiative Q – mesmo antes de ter um produto – é, na verdade, um componente-chave de seu sistema de pagamento.

Por mais interessante que pareça, essa estratégia de negócios – que também é caracterizada pelo acesso “grátis” de usuários que se cadastrem para receber a moeda Q ainda a ser lançada – resultou em afirmações de que o sistema é uma fraude, um golpe.

Por exemplo, uma pesquisa extremamente informal realizada no Twitter descobriu que 55% dos fãs de criptomoeda acreditam que o Initiative Q é uma farsa.

Enquanto isso, reportagens de importantes jornais como Financial Times e o Mashable descreveram o sistema como um esquema de pirâmide, dado que ele é baseado em pessoas selecionadas sendo convidadas a participar e sendo a elas oferecido dinheiro, tudo na esperança de ganhar mais dinheiro convidando outras pessoas.

A Initiative Q no entanto, nega todas as alegações de que é uma fraude. No início deste mês, ela disse ao Mashable que não se tratava de um esquema de pirâmide: “O principal diferencial é que os potenciais ganhos futuros são o resultado da moeda se tornar amplamente adotada, e não dos outros usuários que terão que pagar para entrar”.

Ainda, falando ao site Cryptonews.com, o fundador Saar Wilf explicou que sua abordagem para o recrutamento de usuários está direcionada a resolver um problema fundamental que afeta novas redes de pagamento.

“A capacidade da Initiative Q de recrutar uma massa crítica de compradores e vendedores para adotar um novo sistema de pagamento, nos permite atualizar simultaneamente toda a infraestrutura de ponta a ponta – algo que ninguém foi capaz de alcançar até agora”, diz ele. “Isso tornará os pagamentos muito mais simples, mais rápidos e mais baratos”.

Initiative Q não é criptomoeda

A Initiative Q não é uma criptomoeda, como confirma Wilf. “O principal atributo de uma criptomoeda é o fato de que elas são descentralizadas e “se autogovernam”. A Moeda Q, por outro lado, será administrada centralmente por um comitê monetário independente democraticamente eleito, separado da companhia Q.”

Dada essa diferença, torna-se curioso saber por que o público e partes da mídia confundiram a Initiative Q com uma criptomoeda, embora o próprio Wilf tenha uma explicação:

_______

“Como o valor do Bitcoin e outras criptomoedas aumentaram significativamente e rapidamente cerca de 12-18 meses atrás, elas receberam muita atenção do público […] e, consequentemente, eu acho que os termos criptomoeda e moeda digital se tornaram sinonimos. Como a Q está oferecendo umA nova rede de pagamento e moeda digital, e muitos esperam que um dia possa ter um valor significativo, essa comparação entre os leigos é esperada “.

Por mais que essa explicação faça sentido, é preocupante para a indústria de criptomoedas e a comunidade. Se o público considera “criptomoeda” simplesmente como “dinheiro eletrônico”, então a criptomoeda claramente fracassou em distinguir suas virtudes distintas – descentralização e imutabilidade – fora da indústria.

E é exatamente por isso que toda a saga da Initiative Q deve ser uma lição para a comunidade de criptomoedas, não por suspeitas de que a moeda Q é um esquema de pirâmide, mas porque o episódio revela quanto trabalho resta para que as criptomoedas obtenham uma adoção generalizada.

Fonte: cryptonews.com

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org Sugestão de pauta: mateus@livecoins.com.br

Criptomoedas mais populares atualmente são de jogos

De acordo com medidores de popularidade de criptomoedas, uma nova tendência parece estar começando dentro do mercado de criptomoedas: a popularização dos ativos ligadas...

Sob pressão regulatória, maior corretora de Bitcoin do mundo decide limitar saques de novos...

A Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, sempre teve uma postura não muito rígida em relação as regras de KYC (identificação de clientes)...
Movimentos de baleias em gráfico do Bitcoin

Baleias compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas

Um recente estudo publicado pela Santiment revelou que as baleias (grandes detentores) compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas, avaliados em cerca de...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias