Investidor de criptomoedas é obrigado a fugir do Talibã e morar debaixo de ponte

O jovem disse que estudou ciência da computação e ensinava web e graphic design no Afeganistão.

Siga no

A atual crise no Afeganistão com a vitória do grupo terrorista Talibã contra o exército local está sendo uma grande preocupação para países no mundo todo. Muitos moradores estão tentando fugir do país em situações que geraram cenas marcantes de desespero nas últimas semanas, entre esses refugiados há também muitos investidores em criptomoedas que agora não vêm mais esperança de ficar no Afeganistão.

A agência de notícias Reuters acompanhou alguns dos refugiados que estão tentando entrar na fronteira da Turquia e entrevistou Muhammad Ali, que estava se abrigando debaixo de uma drenagem junto de outras dezenas de homens refugiados tentando abrigo no país.

Ali não só era um investidor e apoiador do Bitcoin, mas até mesmo tinha um canal onde dava dicas e conselhos sobre como ganhar dinheiro online e sobre como investir em criptomoedas.

Ali em um dos seus vídeos para o YouTube onde ensinava investidores a ganhar dinheiro online.

Muhammad Ali revelou também que sonhava em criar um negócio focado em criptomoedas na cidade de Kabul e estava até mesmo considerando criar a sua própria mineradora de Bitcoin. Mas então o Talibã dominou o país do Oriente Médio, o que acabou forçando a fuga de muitos, incluindo Ali.

Youtuber

Antes investidor de criptomoedas, apresentador de um canal no YouTube e futuro empreendedor, agora ele foi obrigado a pagar traficantes para atravessar com ele pelo Irã e tentar entrar na Turquia.

Dentro do túnel de drenagem com mais 50 homens, Ali de pouco mais de 20 anos, disse que estava tentando transporte para entrar no país e poder entrar na Europa. Todos os outros refugiados estavam buscando fazer o mesmo, tentando entrar na Europa pela Turquia.

“Eu estava planejando criar um negócio de mineração de Bitcoin e Ethereum… de repente tudo mudou quando o Talibã dominou o Afeganistão. Não tem internet lá. Se não tem internet eu não posso trabalhar. Se tivéssemos celulares com câmera o Talibã não permitiria.”

O jovem disse que estudou ciência da computação e ensinava web e graphic design no Afeganistão. Além disso ele tinha o canal do YouTube onde postava vídeos sobre como investir e ganhar dinheiro online.

Muhammad Ali (Centro) próximo à entrada do túnel de drenagem onde se abriga. Fonte: REUTERS

Dias após a sua entrevista com a Reuters, Ali enviou uma mensagem à reportagem, afirmando que tinha acabado de ser preso pela polícia de fronteira da Turquia e possivelmente será enviado para o processo de repatriação. Até o momento o governo da Turquia não está extraditando ninguém para o Afeganistão por causa da situação atual do país.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Investidor em pânico com queda do Bitcoin pergunta se outros são robôs: “Estão muito...

Nos últimos meses a situação do Bitcoin não tem sido das melhores (comparado com os últimos meses), nesse período de baixa não é incomum...
Bandeira do Brasil e de Israel com pilhas de Bitcoin

Israelense alvo da PF no Brasil pega 8 anos de prisão por lavagem de...

Um israelense que morava no Brasil e foi alvo da Polícia Federal (PF), foi condenado a oito anos de prisão. As investigações contra Tal...

Suspeita de pirâmide, empresa bloqueia saques e culpa Binance

Uma possível pirâmide financeira suspendeu os pagamentos dos clientes e colocou a culpa na Binance, por ter supostamente bloqueado valores da plataforma. Quando uma...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias