Investidor que perdeu bitcoins durante carnaval processa corretora

Caso pode mostrar os riscos de custodiar bitcoin em corretoras e, além disso, andar com acessos em celular pela rua.

A folia nas ruas de São Paulo não terminou bem para um investidor de criptomoedas de Goiânia. Isso porque, ao curtir o carnaval, o trader de bitcoin perdeu seu celular e teve grandes problemas com a situação.

De acordo com um processo que tramita na justiça da capital de Goiás, o trader indica que guardava suas moedas na corretora Mercado Bitcoin.

Contudo, todos os seus acessos na corretora também ficavam em seu aparelho celular. Ou seja, ao ser roubado durante uma festa de blocos, perdeu uma grande fortuna digital.

Trader de bitcoin perde na justiça processo movido contra corretora após perder celular no Carnaval

O bitcoin é uma moeda digital que pode ter sua custódia com segurança em carteiras sem conexão com a internet. Mesmo assim, muitos investidores, principalmente iniciantes, costumam comprar suas moedas e deixar guardados em empresas e corretoras.

E ao curtir o carnaval paulista, um goiano acabou tendo seu celular roubado, perdendo um aparelho recheado de informações pessoais. Entre elas, os seus acessos a sua conta no Mercado Bitcoin.

Assim, os criminosos perceberam a falha e aproveitaram para roubar 5,7836 bitcoins na plataforma, no dia 25 de fevereiro de 2020. O roubo do aparelho ocorreu um dia antes, e o investidor registrou boletim de ocorrência apenas no dia 27 de fevereiro.

Trader de bitcoin teve celular roubado e criminosos aproveitaram para roubas suas moedas em corretora
Trader de bitcoin teve celular roubado e criminosos aproveitaram para roubas suas moedas em corretora. Reprodução.

Com o problema, ele moveu uma ação contra o Mercado Bitcoin e acabou perdendo a causa. Isso porque, a justiça apontou que ele descuidou de sua segurança e demorou a registrar o BO, além da demora de informar a empresa sobre o problema sofrido em São Paulo.

Ao recorrer na segunda instância do Tribunal de Justiça de Goiás, o juiz Paulo César Neves novamente discordou do trader de bitcoin. Além de negar a ele o reembolso de seus bitcoins, mandou o folião pagar as custas do processo definidas em 12% do valor da ação.

Juiz de segunda instância do Tribunal de Justiça de Goiás nega recurso de trader contra Mercado Bitcoin
Juiz de segunda instância do Tribunal de Justiça de Goiás nega recurso de trader contra Mercado Bitcoin. Reprodução.

Custódia de bitcoin, o que é isso?

O caso do trader de bitcoin roubado em São Paulo mostra a importância da custódia ao se investir em uma moeda digital.

Isso porque, um entendimento comum entre veteranos do mercado envolve o fato de que “corretoras não são carteiras”. Ou seja, ao custodiar as moedas em uma plataforma, traders podem correr riscos de ataques hackers e invasões não autorizadas, inclusive por próprio descuido dos clientes.

Assim, ao guardar o bitcoin, o recomendado é manter as posses em carteiras seguras e de preferência sem conexão com a internet. Inclusive, evitar sair com as carteiras para eventos como um carnaval, por exemplo, é uma prática de segurança, a menos que seja necessário.

Algumas carteiras hardware wallet ajudam investidores neste sentido, além das tradicionais carteiras de papel e metal. De qualquer forma, antes de investir no bitcoin, um passo importante é o estudo sobre a tecnologia, para evitar riscos desnecessários.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias