John Bollinger elogia comunidade Bitcoin por doações à Ucrânia

População ucraniana teve acesso bancário restrito e criptomoedas poderão se mostrar solução.

Moeda Bitcoin em frente a bandeira da Ucrânia
Moeda Bitcoin em frente a bandeira da Ucrânia

O famoso trader John Bollinger elogiou a comunidade Bitcoin, que enviou ajuda humanitária para a Ucrânia, país sob ataque da Rússia desde a última quarta-feira (23).

Acompanhando o Bitcoin em suas movimentações de preços, o criador do indicador Bandas de Bollinger também está atento ao potencial uso da moeda digital para outros fins além da especulação.

Isso porque, no início de janeiro de 2022 o trader lembrou que a comunidade Bitcoin queria a aprovação de ETFs e outros produtos financeiros no mercado, mas que isso mudou totalmente o caráter das negociações. De qualquer forma, ele segue atento ao que pode ser feito com Bitcoin, como ajudas humanitárias, por exemplo.

“Tiro meu chapéu para comunidade Bitcoin por enviar ajuda para Ucrânia”

Um dos pontos fortes da tecnologia Bitcoin é enviar dinheiro para qualquer parte do mundo em segundos, com taxas baratas, principalmente em comparação com o sistema financeiro tradicional, que demora em envios internacionais e cobra taxas altas.

E com a crise no Afeganistão em 2021, muitos afegãos receberam ajuda internacional com bitcoin, assim como em outros casos de abusos de poder por governos desde que a moeda digital foi criada. Assim o Bitcoin vai se reforçando como uma moeda incensurável e que dá poder do dinheiro a população, independente das adversidades.

Ao ver esse cenário sendo repetido agora na Ucrânia, com muita ajuda sendo enviada de todas as partes do mundo, John Bollinger disse que tira seu chapéu para a comunidade Bitcoin. O ato de “tirar o chapéu” é visto como uma homenagem a alguém que merece.

“Eu entendo que a comunidade cripto está enviando BTC para apoiar a Ucrânia. Eu tiro meu chapéu para todos vocês! Viva!”

Recentemente, a comunidade brasileira também mostrou sua força ao apoiar as vítimas das chuvas de Petrópolis, também enviando recursos para ajudar a resolver o caos local. Isso certamente mostra que o Bitcoin pode financiar uma vida melhor para a população mundial, sem fronteiras e em instantes.

Bancos restringindo acesso da população ao dinheiro na Ucrânia

Um fato curioso ocorrido na Ucrânia e Rússia nos últimos dias, principalmente após a deflagração da guerra entre os países, é a corrida das pessoas aos bancos para sacar dinheiro em espécie. Isso acontece porque muitos já viram que os bancos estão sendo levados a restringir o acesso das pessoas ao dinheiro em espécie.

E como não está claro se as instituições de meio de pagamento centralizadas continuarão a funcionar com a guerra, a população correu para entesourar o máximo de moeda fiduciária possível.

Como solução, caso o Bitcoin fosse adotado como moeda, as pessoas não precisariam correr o risco de sacar dinheiro e ter seus bens roubados ou até queimados em explosões, bastando ter um dispositivo ou papel com a chave da moeda digital.

De qualquer forma, a baleia de Bitcoin JOE007 declarou nos últimos dias que mesmo com uma Terceira Guerra Mundial, a moeda digital, assim como a internet, continuariam a funcionar, visto que são tecnologias construídas para lidar com adversidades.

“Internet vai ficar bem, ela foi desenvolvida exatamente como comunicação resiliente em tempos de guerra. Bitcoin vai ficar bem, foi projetado para a adversidade. Links inúteis para jpegs estúpidos, nem tanto.”

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias