Mais da metade dos 100 maiores bancos do mundo têm exposição às criptomoedas

Cerca de 25 desses 100 grandes bancos já estão desenvolvendo algum tipo de plataforma de custódia de criptomoedas.

Siga no

Quanto mais o mercado de criptomoedas avança, mais as instituições se envolvem com o setor e parece que a exposição dos grandes bancos ao Bitcoin é maior do que o imaginado, com uma pesquisa recente indicando que mais da metade dos 100 maiores bancos do mundo estão expostos as criptomoedas.

A adoção do Bitcoin e o envolvimento de grandes players parece ser cada vez mais comum com uma tendência que está ganhando cada vez mais força. De acordo com uma pesquisa, os grandes bancos acabam se envolvendo com empresas de blockchain e criptomoedas em estágios iniciais ou finais de investimentos.

Segundo o estudo da Blockdata, 55 dos 100 maiores bancos do mundo por Ativos Sob Administração (AUM, Assets Under Management) já estão envolvidos de alguma forma no setor das criptomoedas.

Maiores bancos

Vale ressaltar que isso não quer dizer que essas companhias investem em criptomoedas de forma direta, na verdade, boa parte desses bancos investem através de subsidiárias e em rounds de investimento.

Os dados da pesquisa indicaram também que, de acordo com o número de investimentos em companhias de blockchain, as instituições que estão mais expostas ao criptomercado são: Barclays, com 19 investimentos, Citigroup, com 9 investimentos, Goldman Sachs, com 8, J.P. Morgan Chase, com 7 e o BNP Paribas com um total de 6 investimentos.

Infelizmente, a pesquisa destaca que não é possível determinar quanto dinheiro cada banco investiu nessas empresas, já que elas participaram de rounds de investimento com múltiplos outros investidores.

No entanto, através de extrapolação por parte do valor de cada round de investimento em que eles participaram, é possível determinar que os bancos que participaram dos maiores rounds.

Com isso, os investidores institucionais mais ativos nesses rounds foram a  Standard Chartered ($380M em 6 rounds), BNY Mellon ($320.69M em 5 rounds), Citigroup ($279.49M em 9 rounds), UBS Group ($266.2M em 5 rounds) e BNP Paribas ($236.05M em 9 rounds).

Rank com os investidores mais ativos em diferentes rounds de investimento. Fonte: Blockdata
Rank com os investidores mais ativos em diferentes rounds de investimento. Fonte: Blockdata

A pesquisa também indicou que os investimentos desses bancos tem como foco as empresas de custódia de criptomoedas, formando a principal tendência de investimento dessas instituições no criptomercado.

Essas empresas já receberam o dobro de investimento em 2021 em comparação com o investimento durante 2020. 

Cerca de 25 desses 100 grandes bancos já estão desenvolvendo algum tipo de plataforma de custódia de criptomoedas. Os que não estão desenvolvendo esse tipo de serviço, estão investindo em companhias do criptomercado que oferecem essas atividades.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Criptomoeda Dogecoin

Elon Musk curte que cinema planeja aceitar Dogecoin

Elon Musk curtiu uma publicação de que a maior rede de cinemas do mundo planeja aceitar Dogecoin como meio de pagamento, a rede AMC...

Presidente da SEC diz que criptomoedas só valem algo porque alguém vai querer comprar...

O Presidente da SEC, Gary Gensler, novamente voltou a falar sobre o criptomercado e sobre as moedas digitais. Desta vez Gensler demonstrou estar bem menos...
Binance sob pressão Brasil

Binance anuncia fim de negociações de derivativos na Austrália

A Binance é a maior corretora de criptomoedas do mercado global e com certeza um importante pilar para todo o setor. No entanto, com...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias