MicroBT: Empresa de mineração de Bitcoin pede registro de marca no Brasil

Nos últimos dias, a BlockStream comprou milhões em máquinas da empresa que chega ao Brasil.

Siga no
Bitcoin e placa para mineração de Bitcoin
Mãos segurando Bitcoin e placa para mineração

A empresa Shenzhen MicroBT Electronics Technology Co., Ltd, ligada a mineração de Bitcoin pediu registro de sua marca no Brasil. Com atuação em vários países, a sede da empresa é na China.

A empresa é uma das maiores produtoras de equipamento de mineração no mercado hoje. Como rival, tem na Bitmain, que produz máquinas de mineração, sua principal concorrente no mercado.

Nos últimos dias, a empresa que é conhecida apenas como MicroBT, chamou atenção da comunidade. Isso porque, a Blockstream, empresa que desenvolve aplicações para o Bitcoin, comprou milhões em máquinas da MicroBT.

De acordo com a Blockstream, em anúncio na última semana, as máquinas serão instaladas nos Estados Unidos e Canadá. O valor da compra em equipamentos foi de US $ 25 milhões, cerca de R$ 134 milhões.

MicroBT pede registro de marca no Brasil

Muitos que iniciam no mercado de Bitcoin costumam se interessar pela atividade de mineração. Como uma forma de obter criptomoedas, a atividade recompensa os mineradores pela atividade.

Essencial ao funcionamento do Bitcoin, a mineração é uma atividade especializada hoje. Para entrar no setor, é necessário investimento em equipamentos específicos de mineração e, além disso, resfriamento desses equipamentos.

Desse modo, os gastos com energia na mineração de Bitcoin é um dos fatores que acabam afastando muitas pessoas. No Brasil, por exemplo, o clima relativamente quente e o alto custo de energia podem tirar a atratividade da mineração.

Mas isso não parece ter incomodado a MicroBT, que de acordo com o INPI, fez um pedido de registro de marca no Brasil.

Com uma eventual chegada da MicroBT no Brasil, os interessados em mineração poderiam até comprar equipamentos diretamente da empresa. Ainda não está claro quais os planos da MicroBT para o país.

Pedido de registro de marca ainda não foi totalmente aprovado

Na publicação feita pelo INPI na Revista de Marcas 2613, nesta terça-feira (2), ficou claro que o pedido foi feito no dia 23 de dezembro de 2020. A empresa procuradora e responsável pelo pedido foi a Leão Propriedade Intelectual, com sede em Porto Alegre (RS).

Nos próximos 60 dias, caso alguém tenha algum problema com o registro, o INPI aceitará objeções. Passado o prazo, a MicroBT poderá ter o registro formal de sua marca no país.

Cabe o destaque que apenas o pedido de registro de marca não garante a chegada da MicroBT no Brasil. Isso porque, a empresa ainda teria que lidar com outras questões para efetivamente montar operações no país.

Além da produção de equipamentos para mineração de Bitcoin, a MicroBT trabalha com o desenvolvimento da tecnologia de inteligência artificial. A pesquisa da empresa é feita toda de Pequim, capital da China.

A Bitmain, principal concorrente da MicroBT, também tem sede no país asiático.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

DeFi: três setores de grande potencial

De acordo com dados da Messari, o volume trimestral das Corretoras Descentralizadas (DEXs) no final do segundo trimestre de 2021 foi de R$ 2...
Criptomoeda Tether com sinais vermelhos

Michael Burry faz alerta sobre criptomoeda Tether

O lendário trader Michael Burry compartilhou em seu Twitter que a criptomoeda Tether pode estar no meio da confusão da Evergrande na China. Vale notar...
Dedo encostando em aplicativo da Binance

Binance está sendo investigada por manipulação de mercado, diz Bloomberg

A maior corretora de criptomoedas do mundo, Binance, está sendo investigada nos Estados Unidos por suposta manipulação de mercado e inside trading, de acordo...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias