Microsoft descobre malware que infectou 80 mil computadores e minera Monero

Não é o CoinHive!

Siga no
Criptomoeda Monero
Criptomoeda Monero

A gigante Microsoft emitiu um relatório de segurança informando que 80 mil computadores que rodam Windows estão infectados com um malware que minera Monero (XMR). O vírus, que tem espalhado cada vez mais, tem afetado várias versões do sistema operacional.

Malware que minera Monero é descoberto pela equipe de segurança da Microsoft

O novo malware foi apelidado de Dexphot pela equipe que realizou a descoberta. De acordo com a Microsoft, o Dexphot atua sem que os usuários desconfiem que estão minerando Monero.

Além disso, várias versões do popular sistema operacional teriam sido afetadas. A Microsoft afirmou que o Dexphot começou a atuar em outubro de 2018, com pico de ação em junho de 2019.

A empresa afirmou, contudo, que o sistema Windows 10 está livre dessa praga por hora. Entretanto, computadores que ainda utilizam versões do Windows XP, 7 e 8 estão expostos ao vírus. Para os analistas de malware da Microsoft, o Dexphot é um vírus sofisticado.

É uma das inúmeras campanhas de malware que estão ativas em um determinado momento. Seu objetivo é instalar um minerador de criptomoedas que rouba tacitamente os recursos do computador e gera receita para os atacantes. Porém, o Dexphot mostra um grau de complexidade e supera a taxa de desenvolvimento de ameaças cotidianas, destinadas a iludir a proteção e a serem motivados a voar sob o radar em busca de lucro.

Atualização para versões mais novas do sistema operacional pode ajudar na prevenção

A Microsoft recomenda a atualização de seus produtos para versões mais novas como medida de segurança. Em janeiro de 2020 o suporte ao Windows 7 finalmente chega ao fim, ou seja, quem utiliza esse sistema operacional ou anterior, ficará ainda mais exposto.

Além disso, manter boas condutas de navegação na web, evitando baixar qualquer arquivo suspeito pode ser importante. Neste caso do Dexphot nem os antivírus comerciais seguraram a infecção, mas convém manter um programa atualizado. Para o analista da Microsoft, são vários os tipos que programas que tentam minerar Monero, sendo o malware Dexphot apenas um deles.

É um dos inúmeros malwares [descobertos pela microsoft] que estão sendo usados para minerar Monero, roubando silenciosamente o poder de processamento e ganhando criptomoedas para hackers sem o conhecimento da vítima. No entanto, a boa notícia é que a infecção é vista se espalhando amplamente pelas máquinas Win 8, 7 e XP e não pela máquina executada pelo sistema operacional Windows 10.

A Microsoft tem lutado para mitigar esses ataques ao SO e, de acordo com relatório, tem sido eficiente. Até que a solução final chegue, cerca de 80 mil computadores já rodaram a praga virtual em junho de 2019.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Leão. Imagem: Shutter Stock

Receita Federal dos EUA já apreendeu R$ 6,21 bilhões em criptomoedas em 2021

Assim como acontece aqui no Brasil, órgãos governamentais realizam leilões de objetos e bens apreendidos de irregularidades fiscais, processos de falência e muitos outros....
Moedas Monero movidas

Após prisão de desenvolvedor da Monero, milhares de moedas são movidas

Após a prisão do desenvolvedor da criptomoeda Monero, Riccardo Spagni (Fluffy Pony), os administradores do Fundo Geral da moeda moveram milhares de XMR para...
Jair Bolsonaro

Bolsonaro diz que 99% das pessoas não sabem o que é o Bitcoin

Jair Bolsonaro (Sem Partido) participou de uma entrevista com a Rádio 96 FM, do Rio Grande do Norte, onde falou que 99% dos brasileiros...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias