Dificuldade de mineração do Bitcoin pode ter maior queda da história, entenda

A rede do Bitcoin é extremamente resistente a tais eventos devido a incentivos econômicos simples, mas a migração da taxa de hash está tendo um impacto de curto / médio prazo no mercado.

Siga no
Bitcoins
Bitcoins

A dificuldade de mineração do Bitcoin pode cair para os níveis do início de 2020 no próximo mês, conforme os mineradores chineses, responsáveis ​​por mais de 60% do poder de mineração global, estão fazendo as malas e se mudando para países mais amigáveis com a atividade.

O nível de dificuldade do Bitcoin é ajustado periodicamente e é baseado nas circunstâncias do mercado no momento do ajuste. Quando menos mineradores estão trabalhando na rede, o nível de dificuldade diminui para tornar a mineração mais fácil para os mineradores restantes e vice-versa.

No mês passado, o hashrate do Bitcoin caiu de um recorde de 180,7 milhões de terahashes por segundo em meados de maio para cerca de 103,8 milhões em 25 de junho, de acordo com dados do site Blockchain.com.

Maior queda de dificuldade da história pode estar próxima

Vários dados on-chain estimam que a dificuldade de mineração do Bitcoin terá uma queda de cerca de 21% em seu próximo ajuste que está previsto para acontecer na altura do bloco 689.472, provavelmente na próxima sexta-feira (2).

Listados abaixo estão os maiores ajustes de dificuldade na história do Bitcoin, tornando o ajuste de dificuldade iminente o maior ajuste para baixo na história se os blocos continuarem sendo minerados no mesmo ritmo.

Maiores ajustes dificuldade Bitcoin. Imagem: Bitcoin Magazine
Maiores ajustes dificuldade Bitcoin. Imagem: Bitcoin Magazine

Essa pode ser a maior queda de dificuldade na história do Bitcoin e também será a primeira vez que a dificuldade cai três vezes consecutivas desde dezembro de 2018.

A dificuldade de mineração do Bitcoin é ajustada a cada duas semanas. Ela caiu 16% e 5% em 30 de maio e 14 de junho, respectivamente.

Estima-se que mais de 90% da capacidade de mineração de Bitcoin da China esteja paralisada. Como mais de 60% de toda a mineração global de Bitcoin era no país, o preço do Bitcoin está em queda.

De acordo com o site Bitcoin Magazine, a receita da dos mineradores diminuiu 64,5% desde o preço histórico do Bitcoin. A pressão que isso colocou sobre os mineradores restantes na rede levou a uma queda ainda maior no preço do Bitcoin.

A rede do Bitcoin é extremamente resistente a tais eventos devido a incentivos econômicos simples, mas a migração da taxa de hash está tendo um impacto de curto / médio prazo no mercado.

Enquanto isso, a China continua sua repressão às criptomoedas, como Sichuan, uma popular região de mineração de Bitcoin no sudoeste do país, que ordenou que as empresas de energia parassem de fornecer energia para 26 fazendas de mineração de Bitcoin na região.

A queda de curto prazo na taxa de hash em breve será superada, uma vez que novas fazendas de mineração logo ganharão vida depois que a comunidade de mineração da China se estabelecer em outros países. Inclusive, os mineradores chineses já estão se mudando para países como o Cazaquistão, Estados Unidos e até a África.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

ETF 100% Ethereum estreia hoje na B3

Nesta quarta (04) foi lançado o ETF 100% Ethereum na B3, bolsa brasileira. O fundo foi desenvolvido pela gestora QR Asset Management, a mesma...

Dotz vai permitir que clientes troquem pontos por bitcoin

A Dotz, uma das principais gestoras de pontos de fidelidade do Brasil, com uma grande quantidade clientes, pode ser mais uma forma de aproximar...
Claudio Oliveira. "Rei do Bitcoin"

‘Rei do Bitcoin’ e mais oito pessoas são indiciadas por fraude bilionária

O "Rei do Bitcoin", Cláudio Oliveira, fundador do Bitcoin Banco, e mais oito pessoas foram indiciadas em seis crimes que causaram um prejuízo bilionário...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias