Índia quer cobrar 18% de imposto em todas transações com Bitcoin

Atualmente o Bitcoin não é regulamentado por nenhuma autoridade da Índia.

Siga no

Este ano o Bitcoin quebrou todos os recordes de preço e chamou a atenção de muita gente grande, assim, o Escritório Central de Inteligência Econômica da Índia (CEIB), cresceu o olho na quantidade de impostos que pode arrecadar com a moeda digital.

Após classificar a criptomoeda como uma classe de “ativo intangível”, a CEIB propôs um imposto de bens e serviços de 18% sobre todas as transações com Bitcoin. Relatórios da agência fiscal revelam que transações com criptomoedas na Índia superam os 40 mil crores (~ R$ 28 bilhões) anualmente.

De acordo com o site Times of India, o novo imposto sugerido pela CEIB pode mudar o mercado de criptomoedas no país. Se a segunda nação mais populosa do mundo de fato aplicar o imposto, o governo poderá arrecadar até Rs 7.200 crore (R$ 5.2 bilhões) por ano.

A Índia é a terceira maior economia da Ásia e uma das economias mundiais com crescimento mais rápido no mundo.

A CEIB publicou um relatório demonstrando diferentes usos das criptomoedas e concluiu que o Bitcoin se enquadra na classe de “ativo intangível”. Dessa forma, a receita poderia cobrar um imposto sobre “bens e serviços” em todas as transações que envolvam o ativo digital.

Está é a segunda proposta de impostos para criptomoedas que a CEIB explorou neste ano. No início de dezembro o Departamento Fiscal considerou criar um imposto de até 30% sobre lucros obtidos através de investimentos em criptomoedas.

Esta não é a primeira vez que os usuários de criptomoedas enfrentam o olho gordo do estado, em 2018 a Suprema Corte da Índia proibiu as criptomoedas, desativando bancos e gateways de pagamento que apoiavam empresas e transações de criptomoeda. Contudo, o país mudou sua abordagem em março de 2020 e liberou os negócios.

Atualmente o Bitcoin não é regulamentado por nenhuma autoridade da Índia. Além disso, nenhum conjunto de regras, regulações ou diretrizes foram estabelecidas para resolver disputas judiciais que possam surgir em relação ao Bitcoin.

Apesar disso, a agência afirmou que a tributação pode “ajudar a reduzir o envolvimento do Bitcoin em atividades ilícitas”. Contudo, ao invés de criar regulações ou regras que ajudem o mercado, o país parece ter mais pressa em arrecadar impostos com transações na moeda digital.

É importante lembrar que o governo não tem meios para rastrear e identificar bitcoins que estejam em carteiras pessoais. Assim, ela só conseguiria tributar aqueles bitcoins que estão identificados, seja em corretoras ou outros aplicativos de custódia.

O imposto, portanto, vai atingir as pessoas que não entenderam ainda para o que serve o Bitcoin.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Polícia descobre mineração ilegal de Bitcoin dentro do próprio quartel

A polícia de diversos países continua de olho nas atividades ilegais de mineração que utilizam energia roubada para obter lucros com criptomoedas. Um caso...
Criptomoeda Ethereum mãe do DeFi

Ethereum será atualizado no dia 4 de agosto e se tornará deflácionário

Nos últimos dias os participantes de grupos de criptomoedas têm perguntado se a atualização de uma certa criptomoeda fará a alta do Bitcoin ser...
Mão segurando Bitcoin e bandeira da Malásia

“Clientes da Binance devem sacar fundos imediatamente”, diz CVM da Malásia

A CVM da Malásia afirma que os investidores de criptomoedas devem sacar seus fundos imediatamente da Binance, que receberá medidas coercitivas em breve. A nova...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias