“Ninguém compra bitcoin quando perde emprego ou luta para sobreviver”, diz dono site bitcoin.org

As pessoas compram a criptomoeda quando tem mais dinheiro para investir em riscos.

-

Siga no
Anúncio

Já conhecido na comunidade do bitcoin, o famoso perfil de análise @CobraBitcoin, que é responsável e também co-fundador do portal Bitcoin.org, voltou a chamar a atenção com suas opiniões.

De acordo com ele, é um erro pensar que ativos como o bitcoin podem ser a resposta para a crise econômica mundial neste momento. Isso porque, conforme suas considerações, a criptomoeda é “o pior investimento que alguém pode fazer neste momento.”

Além disso, o Bitcoin também deve enfrentar as consequências do colapso do mercado de ações. Assim, o “Cobra” acredita que não é uma boa hora para realizar investimentos no ativo digital.

Anúncio

Muitos proprietários de Bitcoin investiram, de todos os meios possíveis, no acúmulo de valor por meio da criptomoeda. O problema é que o ativo digital não está imune as consequências econômicas da queda de ações ou perda de valor das moedas tradicionais.

Há a lógica de que, mesmo com os incentivos de governos ao redor do mundo para assessorar suas populações, as pessoas não tem utilizado suas reversas para adquirir bitcoin.

 

“O maior erro de investimento que você pode cometer é assumir que o Bitcoin e as criptomoedas em geral são um hedge contra o sistema financeiro tradicional e acreditar ingenuamente no Bitcoin”.

Enquanto não houver uma vacina para o coronavírus, a crise não passará.

O ponto de @CobraBitcoin é que as pessoas compram a criptomoeda quando tem mais dinheiro para investir em riscos.

Obviamente não é isso que está acontecendo agora, até porque, como aponta o perfil de análise, pessoas sem emprego, lutando para sobreviver, não tem a ideia de investir em Bitcoin como prioridade.

O perfil de análise converge suas observações com uma recente entrevista do presidente do Federal Reserve Bank de Minneapolis, Neel Kashkari.

De acordo com ele, o período que virá a seguir será longo e bastante complicado. Assim sendo, em sua opinião, uma recuperação econômica será muito difícil, inclusive pelo fato de que enquanto não houver uma vacina para o coronavírus, a crise não passará.

Consequentemente, as finanças de todo o mundo sofrerão, o que inclui os ativos digitais do criptomercado.

Com base nestas análises, o perfil avisa que, em caso de uma depressão profunda, não ficaria surpreso de ver o Bitcoin sendo negociado entre mil e 2 mil dólares.

Para ele, em um cenário assim apenas investidores teimosos seguirão confiantes na criptomoeda, enquanto muitas outras pessoas estarão utilizando o dinheiro para pagar suas contas e sobreviver.

Portanto, por mais pessimista que seja esta opinião, é preciso leva-la em conta como uma possibilidade.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Jeferson Scholz
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".

Leia mais

Últimas notícias

É animador o fato de autoridades brasileiras discutirem criptomoedas, diz OCDE

Para a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), é animador o fato de as autoridades financeiras brasileiras discutirem a regulamentação das criptomoedas. Além disso,...

Meu Pé de Bitcoin é alvo de reclamações de clientes

A empresa Meu Pé de Bitcoin, com sede em Caruaru, no interior de Pernambuco tem sido acusada por clientes de não honrar com as...

“Criptomoedas não são poupança”, alegou empresa processada pela CVM

Em uma defesa contra a CVM, uma empresa brasileira afirmou que as "criptomoedas não são uma poupança". Tudo começou após a empresa captar investimentos...