O Bitcoin não é a bolha da economia, aponta analista

Analista analisou momento critico dos Bancos Centrais!

Siga no
Gráfico do Bitcoin Imagem Cortesia do PikRepo
Gráfico do Bitcoin Imagem Cortesia do PikRepo

O momento é crítico no mundo todo, com uma crise global da saúde e financeira agindo em conjunto. Para um analista, o Bitcoin agora certamente não é a bolha da economia.

Isso porque, de acordo com Max Keiser, os bancos centrais tem se endividado de uma forma absurda nas últimas semanas. A dívida, maior de toda a história, foi feita para salvar empresas, empregos e bancos.

Para isso, foram lançados títulos de dívidas na economia de vários países. Para Keiser, o momento é de pagar o preço da grande bolha que vinha sendo construída nos últimos anos.

De acordo com Max, o Bitcoin não é a bolha da economia, muito menos o ouro. Ambos os ativos têm sido considerados reservas de valor nos últimos anos, mesmo com queda nas últimas semanas.

Bitcoin não é bolha
Bitcoin não é bolha

Se o Bitcoin não é a bolha da economia, para quem sobra a crise?

Max Keiser é um analista conhecido nas finanças tradicionais, nos EUA principalmente. De fato, o relatório Keiser Report é divulgado e conta com a participação de vários analistas de mercado.

Keiser é um entusiasta do Bitcoin e observador das políticas monetárias de banco central. Neste ponto, Keiser apontou que certamente o Bitcoin não tem nenhuma relação com a atual crise financeira global.

Para Max, era nítido que a bolha dos bancos centrais iria estourar em algum momento. Com o recente endividamento dos BCs, com pacotes de estímulos negativos, taxas básicas negativas, era o sinal da próxima crise.

A maior bolha da economia mundial não foi o Bitcoin. Certamente não era ouro. Era o mercado de títulos. O mercado de títulos soberanos. E quando esses países começaram a emitir dívida soberana com taxa de juros negativa, esse foi o seu grande sinal no céu, como um enorme sinal do Batman no céu, como se estivesse prestes a cair

O analista apontou que os próximos anos serão difíceis para as empresas, principalmente aquelas listadas em índices como S&P 500. Para Keiser, entre 50 e 60% das empresas listadas em bolsas declarará falência.

Eles precisarão de resgates maciços, reestruturação maciça, demissões maciças, mas esse é o preço a pagar por explodir essa enorme bolha. Isso é uma bolha estourando.

Estouro da crise, problemas em supermercados e pandemia da impressão de dólar

Com Max, Stacy Herbert apresentou o último programa Keiser Report, que possui mais que 3 milhões de inscritos no YouTube. Os analistas se questionaram como os EUA, a maior potência mundial da economia, não consegue produzir máscaras e outros itens básicos de combate ao coronavírus, em meio a uma pandemia, mesmo com 18% do PIB na saúde.

Alta de casos do Coronavírus
Alta de casos do Coronavírus

Para Keiser, o COVID19 matou o sistema financeiro e, junto, a política monetária de banco central. Essa seria uma consequência das conduções feitas nos últimos anos por Bancos Centrais, que passou há investidores uma falsa segurança de que tudo estava indo bem.

Além disso, Keiser destacou que países que souberem resistir ao impacto da bolha de títulos da América, se darão bem. Países asiáticos, de acordo com Max, tem ido bem e criaram resistência, logo poderiam ser candidatos a uma rápida recuperação. O analista destacou que os EUA deverão sofrer graves consequências.

Os analistas alertaram para um problema ainda mais grave que a crise financeira já aponta: a falta de reposição em supermercados. Ou seja, com cinco ou seis dias sem reposição, há problemas na cadeia de suprimentos. O fato, preocupante, cresce, ao mesmo tempo, com a venda de armas nos EUA, indicando que já há distúrbios sociais no país.

Por fim, ficou claro que há uma pandemia na economia, assim como na saúde. Os analistas deixaram claro que a nova impressão de dólares no mercado não será positiva, com a crise podendo ser forte. Os analistas falaram que o Bitcoin e ouro poderão ser ativos que ajudam a sair dessa crise financeira, pois o dólar poderá desvalorizar.

“Toda essa quebra sistêmica que temos assistido até aqui, é para isso que o Bitcoin foi inventado, não sei se poderia estar mais animado com o Bitcoin”, apontou analista convidado Dan Tapiero

Assista o programa na íntegra abaixo:

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Bitcoin ganha novo impulso de alta e supera US$ 34 mil, entenda

O Bitcoin continua a se recuperar de sua queda no início da semana após várias empresas darem sinais que estão correndo para apostar no...
dolar rasgado e Bitcoin. Imagem: ShutterStock

Valor total de transações com bitcoin em 2021 deve superar PIB dos EUA

Pela primeira vez em menos de sete meses, o volume total de transferências com bitcoin ultrapassou US $ 15,8 trilhões. Como resultado, o volume...
CEFI vs DEFI

DeFi vs CeFi: Finanças Centralizadas vs Finanças Descentralizadas

Finanças descentralizadas (DeFi) são uma das fatias mais cobiçadas da indústria de blockchain hoje, mas a ideia em si tem origens muito mais humildes. Na verdade,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias