O governo popular da China e a queda do Bitcoin

Siga no
China
Imagem: Pixabay

O preço do bitcoin despencou no pregão do fim de semana, após notícias de que a China teria lançado uma nova ofensiva contra as operações de mineração de bitcoin (de novo). A queda é importante porque a criptomoeda atingiu seu nível mais baixo em quase um mês, e significou o fim, pelo menos por enquanto, da sequência de alta.

Preço do Bitcoin

Normalmente, os movimentos de preço no bitcoin se resumem à pura especulação. Mas a atual queda de preço parece estar diretamente relacionada ao governo chinês que tem caído pesado contra o bitcoin, seja nas operações de mineração, seja no seu uso pela população.

A mineração de Bitcoin é o processamento de transações que ocorrem na rede Bitcoin. As mineradoras usam o poder de processamento de dezenas ou centenas de computadores dedicados para validar transações e, em troca, recebem bitcoins pelo trabalho. 

Como o processo de mineração fica mais difícil com o tempo, a atividade requer hardware especialmente customizado. Além disso esse processamento requer uma soma significativa de eletricidade. E é o que vem sendo divulgado pelo governo popular da China, como sendo o motiva da repressão contra a mineração de bitcoin.

No entanto, Leo Wheese, Presidente da Associação de Bitcoin em Hong Kong afirmou que o consumo de energia elétrica não seria o verdadeiro motivo para a onda de apreensões que vem acontecendo no país “comunista”.

Segundo o especialista, em entrevista concedida no último Oslo Freedom Forum, o governo chinês tem restringido sistematicamente o uso de bitcoins devido à dificuldade de impor o controle estatal.

As “exchanges”, ou corretoras de criptoativos, entidades que facilitam a conversão de bitcoins em moeda local, já não existem mais na China, afirmou o especialista, enquanto que no mundo livre o número dessas corretoras só aumenta.

Além disso, a energia elétrica na China, onde operam as maiores usinas hidrelétricas do planeta, é produzida a um custo baixíssimo. Sem contar que o nível das água nas represas aumenta tanto na época das chuvas, que a transmissão fica prejudicada. Especialmente nas áreas próximas dessas usinas a energia elétrica é tão barata que os mineradores de bitcoin quase não tem custo. 

maiores produtores energia hidroeletrica
maiores produtores energia hidroeletrica

No entanto, a polícia tem usado a justificativa de supostos roubos de eletricidade para tornar suas medidas aceitáveis perante a mídia internacional. Segundo o The Guardian, a polícia de Zhenjiang, na provincia de Jiangsu confiscou cerca de 4.000 dispositivos de mineração de uma suposta operação ilegal de mineração de bitcoin. 

Mas o comunicado não faz menção ao devido processo legal para o caso, nem de sentença ou ordem judicial. Pelo contrário, as autoridades afirmam ter tomado “medidas compulsórias” após denúncia feita por companhia elétrica local, e que a operação de mineração teria roubado cerca de US $ 2,91 milhões em eletricidade.  Pelo jeito a polícia na China concentra diversas atribuições, incluindo a aplicação de medidas compulsórias

“Em termos de valor, é o maior caso na quantidade de eletricidade roubada que a Jiangsu quebrou desde a fundação da nova China, e uma visão rara em todo o país”, disse a polícia de Zhenjiang em um comunicado.

Meio Ambiente e Bitcoin

Uma apreensão como essa, num caso isolado não seria algo tão sério. Mas o governo da China vem discutindo a proibição da mineração de criptomoedas devido a motivos ambientais.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China publicou um “projeto de lei” destacando que a mineração de bitcoin não apenas desperdiça energia, mas também polui o meio ambiente. O país no topo da lista de emissão gás carbônico, começou sua reforma em favor da natureza acabando com a mineração de bitcoin. 

emissão CO2
emissão CO2

De acordo com a Judge Business School da Universidade de Cambridge, em recente estudo publicado, a China é responsável por cerca de 58% dos mineradores da rede de bitcoins. Mas a incerteza no país vem criando uma fuga do capital produtivo para outras áreas.

Tirar os mineradores chineses do mercado, poderia nivelar a atividade em comparação a outras áreas onde a energia elétrica não é subsidiada. No entanto, o simples fato de que a validação das transações em bitcoins poderia estar em risco, tem sido ligado à causa na recente queda no preço da criptomoeda.

Por Pascual Ariel Arrechea | Para saber mais sobre blockchain, criptomoedas e tecnologia, visite meu site ou acompanhe no QUORA.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Avatar
Pascual Arrecheahttp://www.arrechea.net
Economista, contador, especialista em blockchain Investigando a tecnologia blockchain, RPAutomação, e o mercado de trabalho em tempos de Internet 3.0. Quero dividr meus achados e pensamentos pra tentar entender a tal criptoeconomia. “Play is just another version of work” Ray Kurzweil, The Singularity is Near

Ethereum será atualizado em 14 de abril, Bitcoin vai comer poeira?

Está previsto para a próxima quarta-feira (14 de abril) a mais nova atualização da plataforma Ethereum. Chamada de Berlin, o update da rede foi...
Ethereum no pano

Ethereum ultrapassa Netflix, Coca-Cola e L’Oreal em valor de mercado

Na manhã deste sábado (10), o Ethereum, segunda maior criptomoeda do mundo em termos de capitalização de mercado, estabeleceu um novo recorde de preço,...
Bandeira da Rússia amassada

Banco central russo deve lançar moeda digital em 2023

Funcionários do Banco Central da Rússia revelaram que estão trabalhando no desenvolvimento do Rublo digital, a moeda digital do país que deve ser lançada...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias