O que é DeFi (finanças descentralizadas)?

Se você nunca ouviu esse termo, prepare-se para escutá-lo de modo cada vez mais frequente com o passar do tempo.

Siga no
DeFi
DeFi

O mundo das finanças sem bancos e bolsas de valores parece impossível mas é isso que essa disrupção propõem.”DeFi” é a abreviação de Decentralized Finance, que, em bom português, significa “Finanças Descentralizadas”.

Pra ficar fácil: enquanto o Bitcoin foi criado para descentralizar o dinheiro, DeFi pretende descentralizar os serviços financeiros, tirando todos os tipos de intermédios, sejam os bancos ou as próprias corretoras.

O termo surgiu há alguns anos – não existe uma data exata para o surgimento – e desde então, o número de projetos nesse sistema, além da quantidade de dinheiro e usuários, tem crescido dia após dia, ganhando mais força desde 2019.

De modo geral, ele é basicamente uma nova tecnologia que envolve construir e oferecer produtos e serviços financeiros de maneira descentralizada, a partir de uma blockchain, como uma alternativa ao mercado financeiro tradicional.

Na prática, abre portas para uma infinidade de serviços antes restritos a bancos, instituições financeiras e outros players do sistema atual.

A maioria dos aplicativos DeFi, usa blockchain Ethereum para completar transações, pois permite a criação de contratos inteligentes (Smart Contract) que são como protocolos pré-programados nas blockchains que, uma vez em que se atinge tais condições do contrato, ele se autoexecuta, de maneira automática, sem necessidade de nenhum órgão intermediando.

Smart Contract, a nova tendência mundial! – Reginaldo Barduzzi – Palestrante
Smart Contract, a nova tendência mundial! – Reginaldo Barduzzi – Palestrante

Atualmente, o Ethereum é a segunda criptomoeda mais negociada do mundo, ficando apenas atrás do Bitcoin. Em geral, sua blockchain possibilita o funcionamento de uma série de aplicações por meio de corretoras descentralizadas (DEX) ou dapps, onde os mercados estão sempre abertos e não há autoridades que podem bloquear pagamentos ou negar acesso a qualquer coisa.

Usando dapps como Uniswap, Compound e Maker, é possível fazer praticamente qualquer coisa com a criptomoeda que você pode fazer com moedas tradicionais como o dólar.

Algumas funcionalidades incluem, por exemplo, pedir empréstimos e emprestar moedas de modo anônimo, fazer investimentos, ter acesso moedas estáveis (stablecoins) e as voláteis, como o próprio Bitcoin.

Para se ter uma ideia, há aplicações que cobram taxas menores que 1% ao ano e emprestam 100% do valor da cripto dada em garantia para qualquer cliente que acione o mecanismo, isso sem contar a possibilidade que alguns protocolos oferecem de rentabilizar as criptos que estão “paradas” por meio de Stake, Pool e Farm, que nem se comparam aos irrisórios dos bancos tradicionais!

Segundo o site DeFi Pulse, atualmente as Finanças Descentralizadas possuem cerca de $ 48 bilhões travados (TVL) em seus protocolos sendo que seu pico se deu em maio de 2021, com cerca de $87 bilhões.

TVL DeFi
TVL DeFi

Quais são os riscos?

Enquanto os riscos nos mercados tradicionais costumam estar ligados a questões econômicas e sistêmicas, como alavancagem e inadimplência, no DeFi o perigo mora na tecnologia.

Os projetos mais sérios são auditados por mais de uma empresa. Se souber programação, pode abrir e verificar, uma vez que os códigos dentro da blockchain são públicos.

Porém, se acontecer uma falha técnica ou humana, não há um número para o qual você possa ligar para alguém resolver o problema.

Quem deseja entrar neste mercado deve estudá-lo com calma, bem como evitar promessas de rentabilidades exorbitantes como acontece em muitos scams.

Resumo das principais diferenças entre as Finanças Descentralizadas e Centralizadas:

Como tudo que é novidade, a DeFi pode significar uma ameaça para o tradicionalismo do mercado financeiro, mas isso não vai acontecer da noite para o dia. Embora os DeFis sejam muito novos comparados ao sistema tradicional, o consenso dos especialistas do mercado de criptomoedas é que essa tecnologia pode destravar uma verdadeira revolução no mercado financeiro do mesmo modo da internet em nossas vidas.

DeFi é globalizado e sem permissão. Qualquer pessoa em qualquer lugar tem acesso a fundos e outros ativos a qualquer momento!

Particularmente, acredito em um futuro muito próspero, a longo prazo, para as Finanças Descentralizadas, em que pessoas tomarão consciência da importância de ser seu próprio banco.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Mayara Souza
Devoradora de livros e amante do conhecimento. Aqui tem economia, empreendedorismo, tecnologia, investimentos, liberdade e um pouco besteiras: séria mas nem tanto!

“Bitcoin não me atrai”, diz André Esteves do BTG Pactual em áudio vazado

Um áudio vazado de uma conversa de André Esteves, banqueiro do BTG Pactual, deixou claro a opinião dele sobre o Bitcoin como um investimento. Esse...
Dúvida sobre o Bitcoin ser caçado pela China

China pode estar planejando cancelar proibição do Bitcoin

A China tem sido um dos países que mais aparece nos holofotes do setor financeiro, seja ele o tradicional ou então o criptomercado. Com...

Alemanha vai leiloar R$ 75,2 milhões em Bitcoin

O leilão de criptomoedas realizados por diferentes governos tem sido algo cada vez mais comum, e desta vez um estado da Alemanha vai leiloar...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias