Ouro alcança maior valor dos últimos sete anos

Metal precioso também sofre influência do coronavírus

Siga no
Lastro das Criptomoedas
Ouro. Imagem: Pixabay

Desde que se tornou assunto global, o coronavírus tem causado efeitos adversos na economia de todo o mundo. E mesmo que as moedas tradicionais enfrentem problemas de instabilidade devido a doença, alguns ativos alternativos têm se beneficiado devido a ela. Este é o caso do ouro, que registrou na última segunda-feira (24) o seu maior valor nos últimos sete anos.

No total, o preço do metal precioso chegou a 1.691,70 dólares por onça-troy, medida que é equivalente a 31,1 gramas de ouro. Isso aconteceu sobretudo porque muitos investidores estão buscando segurança no ativo, uma vez que outras moedas tradicionais continuam desreguladas. Porém, além dos problemas relacionados com o coronavírus, há outros fatores que estão aferando diretamente nas negociações de diferentes ativos.

Entre elas destaca-se o fato de que não há consenso entre os integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus aliados quanto a um corte maior na produção de cartel. Isso fez com que os contratos futuros fechassem em queda, que acabou sendo acentuada pelo aumento de casos da doença. Vale lembrar que uma das maiores preocupações do mercado com relação a ela é que a produção de bens diversos seja afetada, sobretudo na China.

Ouro, Valorização,. Cortesia Trading View
Ouro, Valorização,. Cortesia Trading View

Preocupação global

Este fenômeno do aumento do preço do ouro reflete o aumento de casos de coronavírus em países além da China, como Itália, Irã e Coreia do Sul. Para diversos especialistas, no caso da doença se espalhar pela Europa, há uma grande possibilidade de toda a atividade econômica do continente sofrer uma queda significativa. Em alguns casos, uma paralisação não está descartada.

Trata-se de uma reação em cadeia, que pode acabar, mais cedo ou mais tarde, afetando toda a produção petrolífera mundial. Desta forma, o impasse entre a OPEP e países aliados traz ainda mais tensão para o mercado. Neste ínterim, o impulso de ativos alternativos como o ouro se torna cada vez mais justificado. Algo que chama a atenção, no entanto, é que além do metal precioso, outros investimentos fora do mercado padrão como a criptomoeda também sofrem a influência do coronavírus.

Ativos como o Bitcoin estão em uma situação complexa com relação a doença. Por um lado, assim como o ouro as criptomoedas tem se beneficiado pelos recentes investimentos. Mas por outro, há uma preocupação com relação ao coronavírus afetar a mineração de moedas digitais, sobretudo pelo fato do halving estar previsto para o mês de maio. Assim sendo, o mercado por inteiro seguem os desdobramentos do vírus, preocupados com suas consequências.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".

Bilionário Mark Cuban irrita comunidade ao falar mal das criptomoedas

Mark Cuban, bilionário que investe em Bitcoin e outras criptomoedas, voltou a irritar a comunidade das criptomoedas ao comparar sua explosão com a bolha...

Rafael Portugal perdeu R$ 1,2 milhão na pirâmide do “Faraó dos bitcoins”

A GAS Consultoria se tornou uma das mais notórias pirâmides de Bitcoin do Brasil e causou um prejuízo bilionário para investidores em todo o...

Jornalistas e investidores de criptomoedas são estúpidos, diz Nassim Taleb

Nassim Taleb, renomado escritor e investidor, voltou atacar o Bitcoin nesta quinta-feira (22). Segundo ele, o Bitcoin é igual a bolha das tulipas porém...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias