PF cumpre buscas contra pirâmide de criptomoedas que lesou 60 mil vítimas em vários países

Operação Yang ocorreu em vários estados e mais de 100 agentes da PF conduziram as buscas.

A Polícia Federal do Brasil cumpriu 25 mandatos na última quarta-feira (13), contra uma pirâmide de criptomoedas que lesou milhares de vítimas no Brasil e outros países.

Denominada Operação Yang, a nova busca é mais um enfrentamento a crimes de fraudes financeiras. A investigação começou ainda em agosto de 2022 e apura de atos de lavagem de dinheiro que podem chegar a R$ 300 milhões. Os valores pertencem a vítimas nos Estados Unidos, Coreia do Sul, Brasil e mais.

Foram mobilizados mais de 100 Policiais Federais para cumprimento de 25 mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão. Os endereços estavam localizados no DF, GO, SC, MS, PR, RS, SP e ES.

Outras medidas estão sendo executadas diversas medidas cautelares diversas da prisão e ações de constrição patrimonial contra os suspeitos. As informações são da Comunicação Social da Polícia Federal no DF.

Pirâmide de criptomoedas que lesou milhares de vítimas no mundo é alvo da PF no Brasil

As apurações tiveram início a partir de informações compartilhadas por agências norte-americanas, que apontavam que uma empresa constituída por brasileiros poderia ter causado lesão financeira a cerca de 60 mil vítimas, com promessa de lucros incompatíveis com investimentos disponíveis em mercado, o que rendeu ao grupo criminoso cerca de US$ 62 milhões a partir da série de fraudes cometidas nos diversos países.

Após a captação de investimentos das vítimas, os valores eram desviados em favor dos investigados por meio de aplicação em carteiras de criptomoedas e de depósitos realizados em contas vinculadas e controladas pelos criminosos.

Após a liquidação dos criptoativos em favor dos líderes da organização, os valores passaram a ser empregados na aquisição de bens de alto padrão, veículos de luxo e, principalmente, na compra de imóveis, em especial em Brasília/DF e Goiânia/GO e Caldas Novas/GO.

Foi determinado o bloqueio de até R$ 300 milhões mantidos em contas bancárias vinculadas aos envolvidos e o sequestro de 52 imóveis. As ações visam a descapitalização do grupo criminoso e desvendar outros crimes cometidos. O nome dos suspeitos e da empresa não foram revelados pela PF.

As apurações contaram com a colaboração da Agência de Investigações de Segurança Interna (Homeland Security Investigations – HSI), da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília (DF), em cooperação policial mantida entre as autoridades brasileiras e norte-americanas.

Segunda operação contra pirâmide internacional em menos de dez dias

No dia 5 de setembro de 2023, com a Operação Lanterna Verde, a PF derrubou uma pirâmide brasileira de bitcoin que atuava em 17 países.

A outra operação, no entanto, mirou as operações de uma pirâmide que dizia trabalhar com a extração de esmeraldas, mas só captava valores em bitcoin dos investidores.

Com ambos os casos em menos de 10 dias, fica claro que a PF no Brasil conversa com autoridades estrangeiras e participado de operações internacionais de combate a crimes de fraudes financeiras.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias