Placas de vídeo usadas podem estar sendo vendidas como novas no Brasil

Siga no
GPUs. Imagem: ShutterStock
GPUs. Imagem: ShutterStock

Segundo testes realizados pelo TecLab, laboratório especializado em testes de componentes, placas de vídeo de uma das empresas líderes em venda no Brasil, a Afox, estão sendo comercializadas como novas, embora apresentem sinais de uso.

Além dos componentes apresentarem desgaste visível, o TecLab também aponta que a Afox não informa que a placa analisada não possui a mesma performance que placas de mesmo modelo de outras fabricantes.

Isto está relacionado ao processador gráfico, de geração inferior, bem como ao fato de possuir um menor clock efetivo das memórias e taxa de transferência menor quando comparado com modelos de outras empresas.

Placas remanufaturadas

A alta demanda do mercado por placas de vídeo, tanto por mineradores, que estão aproveitando o bom momento do Ethereum, quanto dos gamers, causou um aumento no preço destes equipamentos. Outro ponto a ser notado é a chegada das placas LHR, com limitação de poder de mineração, fazendo com que mineradores procurem por outros modelos.

Devido a este cenário, algumas fabricantes de placas de vídeo podem estar reutilizando componentes essenciais para o desempenho das mesmas. A prática foi noticiada pelo TecLab ao realizar testes com uma placa da Afox, comprada como nova em uma das maiores lojas do Brasíl.

“Você está literalmente comprando uma placa com a performance de uma RX470 de 8GB e não uma RX580”

Segundo os testes, a RX580 da Afox apresenta componentes inferiores quando comparado a modelos de outras fabricantes, como Sapphire. Bem como outros componentes apresentam marcas de uso, especialmente em sua coloração.

É importante lembrar que o TecLab trabalha com a Galax (NVIDIA), empresa concorrente da Afox. Apesar disso Ronaldo da TecLab mostra seu apreço por outras concorrentes como Asus, MSI, Gigabyte, PowerColor, bem como pela AMD, rival da NVIDIA.

Além disso, foi ressaltado que tanto a AMD quando as lojas que vendem estes produtos não tem relação nenhuma com esta prática, visto que elas não possuem conhecimento. Nem mesmo os consumidores tem conhecimento em um primeiro contato, já que seus componentes externos apresentam estado de novo.

Resposta da Afox

Segundo outro vídeo do TecLab publicado nessa última sexta-feira (29), a Afox emitiu uma declaração sobre os testes, mencionado que o canal teria realizado um teste não factual, enganando os consumidores e prejudicando a reputação da empresa.

Já em outro vídeo, publicado nesta segunda-feira (1), Ronaldo do TecLab comenta que a Afox entrou em contato com ele visando, entre outros pontos, melhorar os serviços da empresa recuperar sua reputação no Brasil.

O Livecoins entrou em contato com a Afox por e-mail nesta terça-feira (2), até o fechamento da matéria a empresa não respondeu, o espaço fica aberto.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Henrique Kalashnikov
Há mais de 5 anos trabalhando com criptomoedas, hoje escrevo artigos e notícias para o Livecoins.

Kid Bengala promete dar “madeirada” em quem vender criptomoeda

Após a sua grande carreira na indústria de filmes adultos, Clóvis Basílio dos Santos, mais conhecido como Kid Bengala, se tornou uma celebridade na internet...

Um dos maiores bancos dos EUA pode estar explorando empréstimos com Bitcoin

Com os bancos e outras instituições demonstrando cada vez mais interesse no criptomercado, podemos ver cada vez mais produtos ligados ao setor tradicional e...
Homem olhando bravo para notas amassadas de Real brasileiro enquanto segura o Bitcoin

Pesquisa revela que brasileiros acreditam no Real digital apenas no curto prazo

Muitos brasileiros acreditam no Real digital como uma tecnologia promissora de curto prazo, não para daqui a cinco anos. Pelo menos isso é o...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias