Polícia da Ucrânia prende criminosos que lavavam dinheiro de criptomoedas roubadas

O grupo era especializado em lavar dinheiro de criptomoedas obtidas em atividades criminosas, como ataque da ransomware. 20 corretoras eram utilizadas no processo. A Binance ajudou na investigação.

Siga no

Existem diferentes tipos de golpes na internet que envolvem as criptomoedas. Quase todos possuem algo em comum: Eles precisam utilizar algum serviço para conseguir movimentar e lavar as moedas que são obtidas de forma ilícita.

A polícia da Ucrânia acabou de realizar uma importante série de prisões contra uma gangue que utilizava corretoras de criptomoedas para lavar o dinheiro de muitos tipos de ataques.

As autoridades do país europeu anunciaram hoje a prisão de uma gangue de cibercriminosos que administravam cerca de 20 corretoras. Essas corretoras foram utilizadas para lavar mais de US$ 42 milhões em fundos adquiridos através de golpes de Ransomware por diferentes grupos.

A prisão foi realizada em junho desse ano, mas as informações e detalhes sobre a prisão foram divulgadas apenas agora. A notícia foi publicada em uma publicação conjunta entre Polícia da Ucrânia e a Binance.

A Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo teve papel importante na identificação desses criminosos, já que a corretora, através de análise de dados, conseguiu determinar diferentes transações suspeitas feitas em sua plataforma.

Segundo as autoridades o grupo de administradores de corretoras contava com apenas 3 pessoas e estava atuando desde 2018 na região de Poltava. O grupo publicava propagandas sobre os seus serviços em sites não listados e mercados negros da internet.

Entre os serviços, as corretoras afirmavam que conseguiam lavar criptomoedas obtidas em atividades criminosas em dinheiro fiduciário. Vários grupos que atuavam com ataques de Ransomware utilizaram algumas das 20 corretoras suspeitas.

Prisões foram resultado do projeto “Bulletproof Exchangers”

Como notado pelo site ZDnet essas prisões são frutos de um projeto chamado Bulletproof Exchanger, uma ação interna da Binance que começou ainda esse ano.

A ideia do projeto é conseguir identificar centros de atividades suspeitas dentro do ecossistema do criptomercado, além identificar os operadores desses centros e ajudar as autoridades a prender os criminosos.

De acordo com o site, o time de segurança da Binance disse em e-mail que:

“O Bulletproof Exchangers é um termo geral usado internamente para se referir a serviços de exchange de risco que podem estar servindo como um ponto de saída para atividades criminosas, como o caso do ransomware.”

A corretora agora está focada nesse tipo de pesquisa, considerando que esse tipo de serviço de lavagem de dinheiro é um pilar importante para todas as atividades criminosas. O Bulletproof Exchangers vai continuar em operação no futuro e é possível que leve à prisão de outros operadores de serviços ilegais dentro do criptomercado.

Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Bitcoin em cima de uma pilha de dólares

Polícia Civil encontra Bitcoin em transações de traficantes e milícias

A polícia civil do Rio de Janeiro encontrou Bitcoin em transações financeiras de organizações criminosas (orcrims). A informação é de um jornalista do jornal...

Bilhões estão saindo do ouro e indo para o Bitcoin

Toneladas de ouro foram retiradas dos ETFs enquanto o preço do bitcoin estava subindo ao longo de 2020, mostrando uma correlação impressionante entre os...
UniSwap-arte

Defi chega a um milhão de usuários em todo mundo

As Finanças descentralizadas (DeFI) ultrapassaram um milhão de usuários apenas alguns meses depois de ganhar força em meados deste ano. O mercado cresceu 5...

Últimas notícias

Bilhões estão saindo do ouro e indo para o Bitcoin

Toneladas de ouro foram retiradas dos ETFs enquanto o preço do bitcoin estava subindo ao longo de 2020, mostrando uma correlação impressionante entre os...

Defi chega a um milhão de usuários em todo mundo

As Finanças descentralizadas (DeFI) ultrapassaram um milhão de usuários apenas alguns meses depois de ganhar força em meados deste ano. O mercado cresceu 5...

“Perdi amigos porque vendi Bitcoin”, diz cypherpunk brasileiro

De acordo com Avelino Morganti, um cypherpunk brasileiro, a comunidade bitcoin reagiu mal a sua saída do mercado. Ele relatou que até perdeu amigos...