Polícia fecha corretora de criptomoedas e prende influenciador

Os usuários da JPEX passaram a denunciar a corretora em Hong Kong devido à empresa começar a cobrar repentinamente taxas absurdas para saques de criptomoedas.

Uma corretora global de criptomoedas com sede em Hong Kong, suspendeu sua plataforma após sofrer uma batida policial que resultou na prisão de várias pessoas. A operação foi resultado de uma investigação conduzida pela Comissão de Valores Mobiliários e Futuros de Hong Kong (SFC), que descobriu que a empresa vinha realizando suas operações sem licença no país.

De acordo com a mídia local, a polícia de Hong Kong prendeu um dos maiores influenciadores do país, Joseph Lam Chok, na manhã desta segunda-feira (18), por seu envolvimento com a plataforma que enfrenta acusações de fraude.

O regulador dos mercados financeiros de Hong Kong emitiu um alerta contra a JPEX na semana passada, afirmando que a corretora alegou falsamente ter solicitado uma licença ao regulador.

Em seu site, a empresa afirma ser licenciada pelas autoridades de valores mobiliários da Austrália e possui registro na Rede de Execução de Crimes Financeiros dos EUA (FinCEN) como uma Empresa de Serviços Monetários (MSB). No entanto, o SFC destacou que as alegações são falsas.

Corretora é denunciada por usuários

Os usuários da JPEX passaram a denunciar a corretora em Hong Kong devido à empresa começar a cobrar repentinamente taxas absurdas para saques de criptomoedas.

Um cliente da plataforma chegou a publicar no Twitter (X) que tentou fazer um saque de US$ 1000 e teve que pagar taxa de US$ 999 pela operação.

Corretora cobra taxa de 999
Corretora cobra taxa de 999

Além disso, a empresa anunciava seus tokens nativos em táxis da cidade prometendo que seu preço aumentaria 50 vezes, e também oferecia uma conta ‘poupança’ em stablecoins com um gigantesco retorno anual de З0%.

JPEX Taxi
JPEX Taxi

A empresa então passou a enfrentar escrutínio devido a suspeitas de ser um esquema de “rug pull”, uma tática onde os criadores de uma plataforma abandonam o projeto, deixando os investidores em apuros.

Mais de 1000 reclamações foram registradas contra a empresa, com alegações de clientes perdendo aproximadamente US$ 34 milhões.

A Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China (CSRC) teve participação no caso, redirecionando as investigações para a polícia de Hong Kong. Isso levou à implementação de uma linha direta para denúncias de incidentes relacionados.

No meio da turbulência e reclamações dos usuários, a plataforma publicou um artigo em seu blog oficial na noite de domingo (17), culpando terceiros por seus problemas de saques e taxas.

“Devido ao tratamento injusto por parte de instituições relevantes em Hong Kong em relação à JPEX, e a uma série de notícias negativas, nossos parceiros terceirizados e criadores de mercado congelaram fundos maliciosamente”, disse a empresa, acrescentado que seus parceiros restringiram sua liquidez, aumentando “significativamente seus custos operacionais”.

Influenciador é preso

Joseph Lam Chok, um influenciador famoso no país, foi preso pela polícia na manhã desta segunda por promover a plataforma em suas redes sociais. Ele foi abordado enquanto estava em seu escritório e teve evidências apreendidas, incluindo um laptop, celular e dinheiro.

De acordo com notícias locais, o influenciador já havia dado depoimento à polícia na última sexta-feira (15), quando afirmou que qualquer pessoa poderia se tornar parceiro da plataforma através de um sistema de indicação.

Joseph Lam Chok Preso. Imagem: thestandard.com.hk
Joseph Lam Chok Preso. Imagem: thestandard.com.hk

A CVM de Hong Kong afirmou que a JPEX promoveu “seus produtos e serviços ao público por meio de influenciadores de mídia social e principais líderes de opinião (KOLs), bem como vendedores de ativos virtuais de balcão (OTC)”, acrescentando que solicitou a todos eles que parassem de promover a empresa.

Enquanto isso, a corretora desocupou seu escritório em Taipei, capital de Taiwan, e as autoridades estão interrogando vários influenciadores que promoveram a empresa.

No Twitter, um usuário afirmou que a JPEX abandonou seu estande repentinamente no segundo dia da conferência Token2049 realizada em Cingapura, logo após o aviso da CVM do país.

Corretora culpa todo mundo

Em comunicados publicados após a operação da polícia, a JPEX cita injustiça por parte das autoridades. A empresa atribuiu a culpa pelo congelamento de fundos a seus criadores de mercado.

“Eles começaram a exigir informações adicionais de nossa plataforma para fins de negociação, restringindo nossa liquidez e aumentando significativamente nossos custos operacionais diários”, disse.

A empresa então anunciou sua decisão de congelar todos os saques e interromper sua plataforma de rendimentos chamado Earn Trading. Ao mesmo tempo, prometeu resolver a situação e fazer ajustes nas taxas de retirada.

Além disso, a JPEX afirmou que está contemplando um esforço de reestruturação para se transformar em uma Organização Autônoma Descentralizada (DAO).

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias

Últimas notícias