Políticos no Japão podem receber doações em criptomoedas sem limite de valor

Com baixo índice de corrupção, país não vai controlar doações envolvendo criptomoedas para o financiamento de campanhas.

-

Siga no
Bitcoin na palma da mão
Bitcoin na palma da mão

Os políticos no Japão podem receber doações em criptomoedas. No país, não existe limite para doações envolvendo criptomoedas como Bitcoin, por exemplo. Além disso, os políticos japoneses não precisam divulgar a quantidade de doações em criptomoedas para as autoridades.

O Japão é considerado um dos países com maior abertura para o mercado de criptomoedas. Além de uma regulação própria, o país conta com um elevado número de usuários de criptomoedas. Com a determinação, os japoneses poderão doar criptomoedas para financiar a campanha de seus candidatos às eleições no país.

 Políticos não precisam informarcriptomoedas recebidas

Políticos no Japão não precisam informar as autoridades  o quanto receberam de criptomoedas nas doações. De acordo com Sanae Takaichi, doações deste tipo não são enquadradas na legislação japonesa sobre o financiamento de campanhas políticas.  

Takaichi é Ministra de Assuntos Internos e Comunicação do Japão. A ministra explicou sobre o processo de financiamento através de uma coletiva de imprensa, segundo Crypto.IQ. No comunicado, a ministra afirma que as criptomoedas doadas aos políticos não podem ser sujeitas a Lei de Controle de Fundos Políticos do país.

“Os ativos criptográficos não se enquadram em nenhuma das regulamentações”.

Como doações com criptomoedas não estão sujeitas a uma legislação específica no Japão, também não existe nenhum tipo de proibição relacionada a este tipo de doação. Ou seja,  os parlamentares poderão receber criptomoedas livremente sem a necessidade de uma lei que garanta essa prática.

Corrupção no Japão não é preocupante

O Japão é considerado um dos países com menor índice de corrupção do mundo. Não ter limites para doações em criptomoedas para políticos japoneses pode não ser um problema para o país. Com um baixo índice de corrupção, o país não vê problemas em doações com criptomoedas  para os parlamentares.

Esse pensamento seria talvez bem diferente no Brasil, onde não existe nenhum tipo de legislação que ampare doações para políticos em criptomoedas. Muito além disso, no Brasil até o financiamento público de campanhas políticas é proibido pela justiça.

A proibição aconteceu após o cometimento de vários crimes envolvendo a lavagem de dinheiro e o financiamento ilícito de campanhas. Sendo assim, no Brasil doações para políticos com criptomoedas deveriam ser estritamente acompanhadas, caso fossem aprovadas. Por outro lado parece que este não é um problema para o Japão, onde  os políticos podem receber doações com qualquer quantia em criptomoedas.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Anúncio

Bitcointrade - 95% dos depósitos aprovados em até 30 minutos!

Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em 5 minutos!

Complete seu cadastro em 5 minutos!
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

Hacker do Twitter já tinha roubado fortuna em Bitcoin

No final da última semana autoridades da Flórida prenderam um adolescente acusado de ser o organizador do hack que afetou o Twitter e centenas...
Processo na Justiça

Pedido de líder da BWA Brasil é negado em caso milionário

Um processo coletivo milionário corre na justiça contra a BWA Brasil e seu presidente. Na justiça, o líder da BWA Brasil fez um pedido...
Bandeira Brasil e Argentina

Brasileiros são traders de Bitcoin, Argentinos são holders

A corretora Ripio é uma startup com sede na Argentina e operações em vários países da América do Sul, inclusive Brasil. De acordo com...