Primeiro site a dizer que bitcoin não tinha futuro não existe mais

O Underground Economist fez a matéria em 2010, dizendo que a unica coisa que mantinha o bitcoin vivo (desde 2009) era seu status de "novidade".

A história é sempre a mesma, toda vez que o bitcoin cai, algum “economista” ou site “especializado” em assuntos de finanças declara a moeda digital como “morta”.

No Brasil também não faltam críticos que depois de 11 anos de vida da moeda digital ainda não conseguiram entender qual o propósito ou fundamento do bitcoin (mesmo que sua documentação só tenha 6 páginas).

Por desconhecimento, ignorância, ou canalhice mesmo, esses “críticos” não perdem uma oportunidade de dizer “eu avisei” toda vez que o bitcoin enfrenta uma queda.

A estratégia de dizer “eu avisei” lembra muito um “vidente” no fim de carreira que “prevê” alguma coisa aleatória, como, “vai acontecer uma catástrofe natural este ano”, e quando qualquer coisa acontece ele diz, “não disse!?.

Fato é que, o site 99 bitcoins catalogou mais de 350 matérias de grandes jornais ao redor do mundo que já “enterraram” o bitcoin ao longo dos seus 11 anos de vida, esses sites afirmaram várias vezes que era o fim da moeda digital ou que ela não tinha futuro.

A ironia aqui é que o primeiro site que declarou o bitcoin como morto não existe mais. O Underground Economist fez a matéria em 2010, dizendo que a unica coisa que mantinha o bitcoin vivo (desde 2009) era seu status de “novidade”.

“A única coisa que manteve o Bitcoin vivo por tanto tempo é sua novidade. Ou ele será  uma novidade para sempre ou fará a transição do status de novidade para morto mais rápido do que você pode piscar.” Disse o site em 2010.

Primeiro site a declarar bitcoin como morto já morreu. Imagem: Livecoins
Primeiro site a declarar bitcoin como morto já morreu. Imagem: Livecoins

A descoberta foi feita por Danny Scoot, um entusiasta do mercado de criptomoedas e fundador de uma corretora inglesa. O twitt fez sucesso, com centenas de curtidas e vários comentários.

“Isso é incrível. Jornais que chamaram o bitcoin de morto começaram a morrer”, disse um dos usuários.

Apesar do site ter saído do ar, é possível ver o texto na integra através do Way Back Machine, uma plataforma que “printa” páginas da internet, guardando um histórico de qualquer página da web.

Primeiro texto matando o bitcoin. 2010. Imagem, reprodução, Way Back Machine / Livecoins
Primeiro texto matando o bitcoin. 2010. Imagem, reprodução, Way Back Machine / Livecoins

Bitcoin já “morreu” outras 380 vezes

De acordo com o Bitcoin obtuaries, o bitcoin “já morreu” pelo menos 380 outras vezes. O ano que mais matérias enterraram a moeda digital foi em 2017, quando era amplamente apontado como bolha.

Um colunista da Forbes chegou a chamar a moeda digital de “grande golpe”. O Bitcoin já foi morto por grandes sites, como Bloomberg, Yahoo Finance, CNN, BBC, entre outros.

2018, quando enfrentou uma queda de mais de 80%, foi o segundo ano com mais notícias negativas, 93 no total.

No seu inicio de vida, o bitcoin era apontado como pirâmide financeira. Nos anos seguintes era mais citado como bolha. Nos dias atuais é referenciado como “ativo de risco”.

Seja como for, o bitcoin continua forte e firme, enquanto isso os economistas com doutorado fazem cosplay de vidente, dizem que o bitcoin vai morrer. Vai que um dia morre.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Últimas notícias