Ripple fecha parceria com Banco Itaú e mais 4 bancos

Siga no
Itaú Ripple Bitcoin Criptomoedas
Banco Itaú

Ripple, a solução empresarial de blockchain para pagamentos globais, está realmente focada em se tornar um sucesso. Ela adicionou 100 instituições financeiras internacionais à RippleNet recentemente, incluindo dois bancos – Itaú Unibanco (Brasil) e IndusInd (Índia) – e três provedores de remessas – InstaReM (Cingapura), Beetech (Brasil) e Zip Remit (Canadá), tudo isso para facilitar os pagamentos tanto dentro e fora de mercados globais.

Em 2016, o banco Itaú, foi classificado com o terceiro maior banco do Brasil, com uma movimentação de 1.2 trilhões. Essa parceria é realmente uma grande conquista para a criptomoeda e seus investidores.

Com essa parceria, a RippleNet pode fornecer acesso imediato a mercados emergentes, como Índia, Brasil e China (através de um recente anúncio com a Lianlian ).

Ripple e Itau

Os mercados emergentes são o lar de 85% da população global e quase 90% das pessoas com menos de 30 anos residem nesses mercados. Dada a demografia, esses países são alguns dos maiores mercados de remessas do mundo. Somente em 2017:

  • Índia, onde a IndusInd está localizada, viu um movimento total de US $ 65 bilhões no país.
  • A China, onde o Zip Remit e a Beetech têm interesse em atuar, viram US $ 61 bilhões de movimentação.
  • Brasil, onde tanto o Itaú Unibanco quanto o Beetech estão localizados, foram movimentados mais de  US $ 600 milhões em transferência de dinheiro para os Estados Unidos.

Quando as instituições financeiras adotam a tecnologia blockchain para pagamentos, ela reduz os custos e os tempos de transferência para seus clientes, o que é crucial nos países em desenvolvimento onde a flexibilidade financeira é limitada. Ao ingressar na RippleNet, as instituições financeiras podem comunicar informações sobre um pagamento entre si e liquidar os pagamentos imediatamente.

O InstaReM, que processa mais de 500 mil transações por ano, está focado em conectar empresas e indivíduos da Austrália, Canadá, Hong Kong, Cingapura e Índia a mais de 60 países em todo o mundo – muitos deles são países em desenvolvimento no Sudeste Asiático.

Conforme falamos neste artigo, o Banco Santander já está iniciando transferências com a Ripple.

“O problema dos pagamentos é um problema global, mas seu impacto negativo afeta desproporcionalmente os mercados emergentes”, disse Griffin. ” Se um professor nos EUA quer enviar dinheiro para sua família no Brasil ou um pequeno empresário na Índia tentando mover dinheiro para abrir uma segunda loja em outro país, é imperativo conectar as instituições financeiras do mundo a um sistema de pagamentos que funciona para seus clientes, não contra eles “. Patrick Griffin.

Ripple continua crescendo, é bom ficar de olho nela.

FONTE: Business Wire

Leia mais sobre:
Mateus Nunes
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org Sugestão de pauta: mateus@livecoins.com.br
Bitcoin em cima de uma pilha de dólares

Polícia Civil encontra Bitcoin em transações de traficantes e milícias

A polícia civil do Rio de Janeiro encontrou Bitcoin em transações financeiras de organizações criminosas (orcrims). A informação é de um jornalista do jornal...

Bilhões estão saindo do ouro e indo para o Bitcoin

Toneladas de ouro foram retiradas dos ETFs enquanto o preço do bitcoin estava subindo ao longo de 2020, mostrando uma correlação impressionante entre os...
UniSwap-arte

Defi chega a um milhão de usuários em todo mundo

As Finanças descentralizadas (DeFI) ultrapassaram um milhão de usuários apenas alguns meses depois de ganhar força em meados deste ano. O mercado cresceu 5...

Últimas notícias

Bilhões estão saindo do ouro e indo para o Bitcoin

Toneladas de ouro foram retiradas dos ETFs enquanto o preço do bitcoin estava subindo ao longo de 2020, mostrando uma correlação impressionante entre os...

Defi chega a um milhão de usuários em todo mundo

As Finanças descentralizadas (DeFI) ultrapassaram um milhão de usuários apenas alguns meses depois de ganhar força em meados deste ano. O mercado cresceu 5...

“Perdi amigos porque vendi Bitcoin”, diz cypherpunk brasileiro

De acordo com Avelino Morganti, um cypherpunk brasileiro, a comunidade bitcoin reagiu mal a sua saída do mercado. Ele relatou que até perdeu amigos...