Vídeo: Sacolão era faixada de fazenda clandestina de mineração criptomoedas; mais de mil placas de vídeo

Receita Federal encontrou máquinas de mineração de criptomoedas em refrigeradores.

A receita federal argentina efetuou uma inusitada operação contra um suposto sacolão, que, na verdade, era uma fazenda de mineração de criptomoedas clandestina.

A operação ocorreu na última terça-feira (6), em San Juan, após um contribuinte realizar a importação de vários equipamentos eletrônicos e entrar em uma lista de suspeitos.

Dois órgãos da receita conduziram a operação, a alfândega argentina e a Direção Geral de Impostos (DGI).

No país, a mineração de criptomoedas enfrenta uma “caça às bruxas” nos últimos meses, com autoridades chegando a ter apoio do setor elétrico nessa perseguição.

Suposto sacolão se revela em mineração de criptomoedas clandestina após investigação da receita argentina

Um argentino teve uma surpresa na última terça, quando agentes da receita federal argentina chegaram até sua porta.

Durante o procedimento de fiscalização, os agentes o questionaram sobre a importação de vários equipamentos eletrônicos, que não tiveram recolhidos os devidos impostos.

Ao ser pressionado, o cidadão suspeito disse que chegou a comprar tais equipamentos, mas não os utilizou e acabou revendendo, informando ainda que não sabia o paradeiro dos supostos compradores.

Desconfiados, os fiscais da receita pressionaram e pediram para inspecionar o local, uma espécie de galpão de refrigeradores que armazenaria frutas.

Ao entrar no local, os fiscais logo perceberam se tratar de uma gigante fazenda de mineração de criptomoedas, e não um possível sacolão como havia dito o suspeito.

“A Administração Federal de Receitas Públicas (AFIP) realizou uma operação de controle sobre uma empresa dedicada à mineração de criptomoedas, que trabalhava em um imóvel declarado para outros fins comerciais e cuja documentação não podia justificar os elementos ali encontrados.”

Mais de 1 mil placas de vídeo apreendidas

O que chama atenção ainda é que os fiscais da receita não entendiam como os equipamentos eletrônicos haviam sido comprados pela pequena empresa, que não tinha patrimônio condizente com tal aquisição.

Assim, a suspeita é que essa era apenas uma empresa de fachada, que se aproveitou do CNPJ para comprar itens com desconto e fraudar a receita federal argentina.

No local então, a receita federal encontrou 142 Rigs de mineração, que tinham 1.355 placas de vídeo ligadas para a atividade de criptomoedas clandestina.

“No local, foram detectadas 142 máquinas em operação para realizar a mineração de criptomoedas (Rigs) composta por 1.355 placas de vídeo.”

Ao fim da operação, a receita argentina comemorou o sucesso de sua terceira operação contra uma mineração clandestina de criptomoedas na história.

O site Política Argentina obteve um vídeo da ação ocorrida na última terça.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias