Saúde: Tecnologia blockchain identifica alimentos com glúten

Vai ajudar muito pessoas celíacas!

Siga no
Tecnologia Blockchain no Mundo
Tecnologia Blockchain no Mundo

A tecnologia blockchain ganha mais um caso associado a saúde, ao identificar alimentos com glúten em sua composição. Para pessoas celíacas, a notícia é muito importante para melhorar sua qualidade de vida.

Tecnologia Blockchain tem sido utilizada por empresa BlockBear para rastrear alimentos que possuem glúten

A condição de pessoas que sofrem da doença celíaca pode ser agravada em contato com alimentos que possuem glúten. Dentre as principais reações estão a diarreia crônica, falta de apetite, entre outros.

Certamente essa condição é extremamente traumatizante, uma vez que a doença é crônica e pode não ter cura. Ou seja, pessoas afetadas pelo problema devem evitar ao máximo a ingestão de glúten em sua dieta.

Com isso, a empresa BlockBear buscou parceria com a Associação Celíaca do Uruguai para desenvolver um novo produto com foco neste público. De acordo com a IBM, a BlockBear irá utilizar a IBM Trust Foods para ajudar no rastreio de alimentos nocivos aos celíacos.

A tecnologia blockchain será um dos componentes utilizados neste rastreio. Com isso, pacientes que sofrem desse mal no Uruguai poderão encontrar as informações necessárias em produtos com maior facilidade.

Em nota, a IBM afirmou que uma em cada cem pessoas possuem a doença celíaca. Contudo, apenas 10% dessas sabe do seu problema associado a alimentos e produtos com glúten.

Blockchain proverá informações seletivas para pacientes

A IBM afirmou ainda que a nova solução pode ajudar muito as empresas do Uruguai. A BlockBear vai proporcionar o rastreio das informações sobre a origem e os componentes dos alimentos.

De fato, os produtos distribuídos no Uruguai e aqueles para exportação, serão mais informativos para os clientes. Com isso, a população deste país, e de países que importam produtos do Uruguai, já terão acesso a informações mais concretas, principalmente aquelas associadas a alimentos com glúten.

Para o gerente de negócios da BlockBear, Luis Eirea, a novidade é importante para os consumidores finais. Além disso, a transparência da solução agrega valor aos pontos de venda, uma vez que trabalha com produtos de maior qualidade.

A solução baseada na IBM Food Trust não apenas agrega valor aos próprios consumidores, mas também é um diferencial para as empresas produtoras e exportadoras, pois certifica o processo de ponta a ponta, desde matéria-prima, produção, distribuição até o ponto de venda, no Uruguai ou no exterior.

Apesar da boa notícia para os uruguaios, o país não é um forte exportador de produtos associados a glúten, segundo informações do Observatory of Economic Complexity (OEC). Ou seja, para demais países a tecnologia não será tão importante no atual momento. Contudo, o mercado interno poderá se beneficiar da inovação propiciada pela tecnologia blockchain, ajudando ainda mais nas questões de saúde pública.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Bitcoin ganha novo impulso de alta e supera US$ 34 mil, entenda

O Bitcoin continua a se recuperar de sua queda no início da semana após várias empresas darem sinais que estão correndo para apostar no...
dolar rasgado e Bitcoin. Imagem: ShutterStock

Valor total de transações com bitcoin em 2021 deve superar PIB dos EUA

Pela primeira vez em menos de sete meses, o volume total de transferências com bitcoin ultrapassou US $ 15,8 trilhões. Como resultado, o volume...
CEFI vs DEFI

DeFi vs CeFi: Finanças Centralizadas vs Finanças Descentralizadas

Finanças descentralizadas (DeFi) são uma das fatias mais cobiçadas da indústria de blockchain hoje, mas a ideia em si tem origens muito mais humildes. Na verdade,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias