Sócios acusados de aplicar golpe de R$ 30 mi com pirâmide são soltos no PR

Empresa oferecia até 50% de lucro em três meses

-

Siga no
wolf-trade-club
Foto: Reprodução
Anúncio

Os cinco sócios da empresa Wolf Trade Club, suspeitos de terem aplicado um golpe de pirâmide financeira que pode ter gerado prejuízo de R$ 30 milhões, foram soltos nesta semana, segundo os advogados do grupo. Eles haviam sido presos temporariamente pela Polícia Civil do Paraná, em Curitiba (PR), na semana passada.

De acordo com a advogada Isadora Sartori Ried, que defende Gabriel Maximiano Picancio, Gabriel de Mello Graminho e Lucas de Mello Bubniak, eles foram postos em liberdade na terça-feira (22).

“Os três sócios permanecem à disposição das autoridades competentes para auxiliar nas investigações e persistem em buscar meios legais para liquidar todas as dívidas”, disse.

O advogado Ricardo Lamers, que defende os outros dois membros do grupo, Hugo Felix da Silva e Henrique Oldair Mendes, também confirmou a saída deles da prisão, mas não quis repassar outras informações.

Empresa oferecia até 50% de lucro em três meses

Anúncio

A Wolf Trade Club, fundada em 2017, oferecia rendimentos de 20%, 30% e 50% em cima de investimentos em até três meses. Esses lucros seriam obtidos por meio de compra e venda de ativos na Bolsa de Valores, técnica conhecida como day trade.

A empresa e seus sócios, no entanto, nunca tiveram autorização da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para atuar. A autarquia chegou a emitir um alerta ao mercado, em julho, afirmando que a Wolf Trade Club não poderia ofertar carteiras de valores mobiliários.

De acordo com a Polícia Civil do Paraná, a empresa também oferecia porcentagens a investidores que indicassem conhecidos, amigos e familiares dispostos a colocar grana na empresa, prática característica do esquema de pirâmide.

No início de outubro, o presidente e fundador da empresa, Lucas de Mello Bubniak, disse ao portal UOL que a empresa sofreu um golpe no ano passado, o que gerou perdas de R$ 9 milhões. Quase 300 clientes da empresa, segundo ele, foram afetados.

Esquema foi desmantelado no começo de outubro

O esquema veio abaixo na quarta-feira (10), dia em que a Polícia Civil cumpriu mais de 20 mandados de busca e apreensão na empresa e nas casas dos sócios e funcionários, tanto em Curitiba como em São José dos Pinhais, na região metropolitana da capital.

Wolf Trade Club
BMW apreendida pela Polícia Civil. Foto: Lucas Marins

Além das prisões temporárias dos membros do esquema, foram apreendidos duas BMW 500, avaliadas em R$ 100 mil, diversos relógios de luxo, armas e projéteis de munição.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Lucas Marins
Lucas Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Bitcoin em corretoras de criptomoedas

CEO da MicroStrategy: “podemos despejar R$ 1.3 bi em Bitcoin no mercado a qualquer...

Após comprar de R$ 1.3 bilhão em bitcoin como reserva de valor, a MicroStrategy se tornou um nome importante para os defensores da moeda...
Prédio da PGR - Ministério Público Federal do Brasil (MPF) investigando

MPF está investigando ataque hacker em seus servidores

O Ministério Público Federal (MPF) está investigando um suposto ataque hacker em seus servidores. De acordo com um portal de notícias, dados do órgão...

Finanças Descentralizadas (DeFi) caem 40%, será o fim?

Nos últimos dias assistimos um massacre das moedas de finanças descentralizadas (DeFi), com quedas entre 30% e 58%. Talvez você não tenha acompanhado a...

Últimas notícias

MPF está investigando ataque hacker em seus servidores

O Ministério Público Federal (MPF) está investigando um suposto ataque hacker em seus servidores. De acordo com um portal de notícias, dados do órgão...

Finanças Descentralizadas (DeFi) caem 40%, será o fim?

Nos últimos dias assistimos um massacre das moedas de finanças descentralizadas (DeFi), com quedas entre 30% e 58%. Talvez você não tenha acompanhado a...

Pioneira, gestora carioca lança primeiro ETF de criptomoedas do mundo

A gestora Hashdex, sediada no Rio de Janeiro (RJ), informou nesta semana que recebeu aprovação para lançar o primeiro ETF (sigla para fundo negociado...