“Sou contra intervenção do governo”, diz fundador do Mercado Livre sobre colapso bancário nos EUA

Empresa é mais uma da América Latina que não tem exposição ao banco Silicon Valley Bank, que faliu na última semana.

O fundador e CEO do Mercado Livre, Marcos Galperin, diz ser contra uma possível intervenção do governo no caso do Silicon Valley Bank (SVB), banco que faliu na última semana após suspeitas de má gestão.

A fala do executivo ocorre em meio às reações do mercado quanto a um possível resgate do banco falido, que poderia causar dúvidas em investidores sobre a saúde do sistema bancário dos EUA. Além disso, a falência do banco pode pressionar o FDIC, que registra garantias de depósitos para poupadores no país.

De acordo com Galperin, a atuação de reguladores não resolve em nada os problemas da sociedade, sendo a prova cabal a nova falência, em apenas 48 horas, de um banco regulado.

Para Marcos, a falência do SBV é similar ao problema vivido pela FTX, ou seja, não tem relação com regulação, mas sim com fraude na gestão do negócio.

“Ameaça muito interessante. Em geral, sou contra a intervenção do governo (incluindo resgates), o fato de o banco n.º 20 nos EUA ter falido em 48 horas confirma a inutilidade dos reguladores… FTX não faliu por falta de regulamentação, eles o fizeram porque havia fraude.”

Com ações listadas na bolsa dos EUA, o Mercado Livre (Nasdaq: MELI) mostra estar atento aos desdobramentos da falência. Em nota para a Reuters, a empresa negou que tenha depósitos no Silicon Valley Bank, assim como o Nubank, PagSeguro e Inter.

“Banco falido era imoral e tinha uma gestão horrível”, diz discussão que chamou atenção do fundador do Mercado Livre

A discussão que causou revolta no fundador do Mercado Livre foi criada pelo fundador e CEO da Macro Compass, Alfonso Peccatiello.

De acordo com sua análise, a má gestão de risco do banco falido em apenas 48 horas não pode ser ignorada, nem mesmo o risco moral. Segundo o analista, apenas a incompetência é uma palavra pouca para explicar tamanha queda do banco.

“O SVB não merece um resgate. Uma análise profunda de suas demonstrações financeiras revela como eles eram horríveis no gerenciamento de riscos. E na minha opinião a incompetência explica apenas parte disso. O risco moral deve ter estado em jogo.”

Casa Branca acusou governo de Donald Trump de relaxar a fiscalização dos bancos

Nesta segunda-feira (13), o mundo aguardava por um posicionamento do presidente Joe Biden sobre a situação dos bancos. Em pronunciamento rápido, ele declarou que a situação da falência de bancos no país está sob controle.

“Hoje, o presidente Biden destacou as ações que esta administração está tomando para resolver os problemas no Silicon Valley Bank e no Signature Bank. Os americanos podem ter certeza de que nosso sistema bancário é seguro e os dólares dos contribuintes não serão colocados em risco.”

Em outra comunicação, a Casa Branca ainda declarou que a antiga administração federal, sob o Governo de Donald Trump, relaxou a fiscalização aos bancos. A promessa de Joe Biden é a de buscar apoio no Congresso e criar regras mais rígidas aos bancos novamente.

Vale lembrar que ambos os bancos falidos tinham ligações com o mercado de criptomoedas. De acordo com o CEO da Binance, CZ, pode ter ocorrido uma ação coordenada contra as instituições bancárias.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias